#surf #viagens #previsão 
Brasil

Surftrip: aquele check list para não esquecer nada

Aline Nicola

A viagem perfeita começa com um bom check list!

Aloha, galera!

Pode parecer simples, mas para que você não passe por perrengues na sua surftrip, é bom ter um check-list para não deixar escapar nada – ou quase nada!

Vou deixar algumas dicas que podem parecer óbvias, mas muitas vezes passam batido!

Vai de avião?

Programe-se! Verifique ANTES de comprar suas passagens como a companhia cobra pelo transporte de pranchas. Algumas cobram como despacho de mala normal e outras podem ter outros tipos de tarifa a depender do peso e tamanho. Não deixe para a última hora, pois isso vai interferir não só no valor, mas também no tempo de despacho.

- Valor: a companhia pode cobrar tarifas extras e bem salgadas.

- Tempo: se for despachada como carga, você precisará chegar com mais antecedência que o normal.

Já que estamos falando sobre transporte de pranchas, já vai a primeira dica: invista em uma boa capa e proteja bem o bico e a rabeta com papelão, por exemplo. Além da prancha ser frágil, vira e mexe aparece nas redes sociais alguém reportando sobre pranchas quebradas após serem despachadas. Apesar de não termos garantia de que elas não serão danificadas mesmo com toda a proteção, é bom “tentar” minimizar os riscos fazendo a nossa parte. E por falar em proteção, tenha uma fita do tipo “silver tape” para pequenos reparos. Se estiver mais familiarizado com consertos, leve seu kit de manutenção.

Outra dica é verificar se no destino da sua surf trip possui locação de pranchas. Pode ser uma ótima opção! Além de poupar todo o trabalho que é levar prancha no avião, pode ficar mais barato. Consulte! Ah! Mas pesquise com vontade: entre em contato, mande mensagem, ligue. Já ouvi relatos de pessoas que apenas encontraram nas redes sociais, mas chegando lá o lugar não existia mais ou não tinha disponível – verifique até a possibilidade de já deixar “a sua” reservada para o período que vai ficar lá.

Se vai de ônibus, a mesma coisa: não deixe de conferir com antecedência as regras de embarque e despacho da prancha!

Foto: Aline Nicola @alinenicola

Vai pra onde?!

Você precisa se programar, se preparar e conhecer o pico para onde vai!

Pesquise sobre o local: se é frio, calor, se esfria à noite, se a água é quente ou fria, se venta forte. Qual é o tipo de onda: cheia, cavada? Se a sua surftrip for pelo litoral brasileiro, a grande maioria das praias são de fundo de areia (beach break). Mas temos fundo de pedra (point break) e de coral (reef break) também. Se informe! Ué? Mas por quê? Se você for um surfista iniciante ou intermediário, mas que está explorando novos picos agora, é importante saber, pois esses fundos (pedra e coral) te deixarão expostos a alguns riscos que talvez você não esteja disposto, preparado ou simplesmente não queira passar. E isso pode estragar sua surf trip, confia em mim! Outra dica importante é sempre consultar um surfista local sobre aquela onda.

Para saber a previsão do tempo, do vento e das ondas, você já sabe, né? Aqui no Surfguru você pode ter previsão estendida para até 15 dias se for assinante do Surfguru Pro (dentre várias outras vantagens). E olha, vou te adiantar que, dependendo do lugar para onde você for, é muito importante ficar de olho não só na previsão do tempo e das ondas, como também no vento. Em dias de ventos fortes, você pode se programar para fazer outras atividades, já que, provavelmente o surf pode ficar prejudicado se o vento não for favorável para aquele pico e/ou muito forte. Vai por mim, ficar de olho nessa previsão, SALVA o dia! Quer testar o SurfGuru Pro? Use meu cupom ALINENICOLA e teste por 30 dias free!

Foto: Pato Surf Photo @pato.surfphoto

Arrumando a mala!

Tudo certo, picos pesquisados, hora de colocar as coisas na mala. Mas o quê?!

Apesar de todas as dicas, é legal avaliar e levar em consideração o tempo da sua trip, o local e a facilidade/disponibilidade que a cidade tem a oferecer – ou não.

Saindo para o surf:

- Roupa de borracha e/ou uma lycra. Se o clima for quente (e a água também), esquece a roupa de borracha, hein? Vai ocupar – muito! – espaço na sua mala sem necessidade. A não ser que vente muito. Nesse caso, uma jaquetinha de 1mm pode ser útil (experiência própria: dia lindo, nenhuma nuvem no céu, calor, água boa, e... MUITO VENTO! Estava de lycra, não rolou. Precisei sair e colocar um neoprene de 1mm).

- Wetbag: perfeito para colocar roupa molhada – seja roupa de borracha, biquíni, toalha... Esse acessório é bom ter sempre que sair para o surf, para ter onde guardar a roupa molhada e deixar separadas das secas!

- Parafinas, raspador, chave de quilha, parafusos extras, leash (ou strap) extra, cordinha extra, quilha extra, sacador de quilha*. Porém, atenção aqui: se você não tem nenhum desses extras e está indo para um pico que possui facilidades e lojas especializadas de surf, sugiro comprar no local – se precisar (com exceção do leash, cordinha e parafusos, que é bom ter extra SEMPRE). Às vezes você não vai precisar e acaba gastando dinheiro à toa. Mas se está indo para um pico deserto, de difícil acesso ou caro, compre antes para não perder viagem, literalmente! Sobre o leash, verifique sempre se está em boas condições. Na dúvida, para sua segurança e conforto é melhor comprar um novo. *Sacador de quilha, eu não tenho, mas em uma das surf trips que fiz, uma amiga tinha e foi super útil, pois a quilha de uma das meninas não queria sair por nada e o sacador ajudou.

- Poncho/toalha: Para mim, só o poncho já é suficiente e economiza espaço na mala – ou se quiser muito levar uma toalha, opte por aquelas menores e de secagem rápida. Tirar o biquini/maiô ou neoprene depois de uma sessão de surf e colocar um biquini ou roupa seca, principalmente em locais frios, vai fazer o maior diferencial (como vou falar a seguir) para que não sinta mais frio.

- Biquini/maiô: Sempre que sair para surfar, leve um biquíni extra para trocar depois da queda e não ficar com a roupa molhada no corpo (ficar com roupa molhada por muito tempo faz mal para a saúde íntima - principalmente água salgada).

- Chinelo/tênis: Leve pelo menos 2 chinelos para o caso de um estourar.

- Protetor solar: não pode faltar. De rosto (principalmente) e corpo com fator de proteção 50, pelo menos. Para surfar, opte pelos naturais. Pode parecer estranho e “pequeno”, mas a maioria dos protetores protegem a nossa pele, mas agridem, poluem e matam a vida marinha :(

Foto: Pato Surf Photo @pato.surfphoto

- Boné/chapéu/óculos de sol: além de proteger o cabelo, rosto e olhos, dá aquele charme, né?

- Corda ou fita de rack para amarrar prancha: Não duvide, você pode precisar, e se não tiver... Xiii! Seja para pegar um táxi, amarrar no carro de um amigo, ou no alugado. É melhor levar e não usar, do que passar perrengue por isso - além de ocupar pouco espaço.

- “Farmacinha”: tenha um kit com alguns remédios do tipo: antialérgico, antitérmico, analgésico, anti-inflamatório, para dor de garganta, barriga, cabeça, fígado, enjoo, relaxante muscular, antiácido, esparadrapo, termômetro, repelente etc. Se a sua surf trip for internacional, lembre-se que comprar medicamentos no exterior não é nada simples, e não esqueça de verificar se o destino exige alguma vacina – cheque com antecedência para ter tempo de correr atrás. Vou colocar na seção farmacinha também: isqueiro – não custa caro, não ocupa espaço e você pode precisar (até para fazer um pequeno reparo na prancha).

- Imagens e câmera fotográfica: Se você gosta de registrar tudo, se atente ao espaço livre no seu celular! Se tiver uma GoPro, também é uma ótima pedida – não esqueça do cartão de memória, bateria e carregador (se tiver, leve extras!)

- Comida e bebibda: Algumas praias, seja no Brasil ou fora, são mais isoladas. Com isso, o acesso à água ou algo para comer não é dos mais fáceis. Leve e deixe no carro algo para beber (de preferência numa garrafa térmica) e comer.

- Bolsa e/ou mochila: Para transportar todos esses itens, particularmente prefiro uma mochila. Dá para colocar nas costas, geralmente tem bom espaço interno, cabe tudo e às vezes sobra espaço, e você consegue carregar a sua prancha sem problemas.Para mim, aquelas bolsas/sacolas de colocar num ombro só, podem não ser muito práticas, principalmente se você tiver que carregar a prancha numa trilha, por exemplo.

Foto: Pato Surf Photo @pato.surfphoto


Nessas dicas tentei abranger vários tipos de surf trip: da mais simples, curta e nacional, até às mais longas e internacionais. Nem sempre você vai precisar levar tudo, mas é bom ter um check list completo e adequar para a sua viagem. Os itens que mencionei são específicos, não se esqueça de levar blusa, calça, shorts, roupa íntima, escova de dentes, desodorante, documentos pessoais e etc.

Por fim, na verdade reforçando: não se esqueça de acompanhar as previsões no SurfGuru (tempo, ondas, vento, maré) para programar a sua trip e aproveitá-la ao máximo!

Foto: Aline Nicola @alinenicola

Malas prontas! Agora é só colocar os amigos no carro e seguir estrada ou pegar um avião direto para a surf trip dos sonhos!

Boa viagem!

Aloha!

-----

Aline Nicola é advogada, crossfiteira mas que sempre amou o mar. Depois de muitos anos afastada, voltou e se conectou de uma maneira inexplicavelmente mágica. Iniciando no surf, explorando histórias, aprendendo e compartilhando todo aprendizado – dentro e fora da água!

Instagram: @alinenicola

 

Comentários

Galerias | Mais Galerias