#mundial 
Peru

Vitórias brasileiras no terceiro dia dos Jogos Mundiais de Surf no Peru

Chico Padilha

Peterson Crisanto e Alan Johnes venceram pela terceira fase principal e Gutembergue Silva na repescagem

Em Punta Hermosa, Lima, Peru, na sexta-feira, terceiro dia do Billabong ISA World Surfing Games, os Jogos Mundiais de Surf, d

epois das vitórias do paranaense Peterson Crisanto e do potiguar Alan Jones na fase três principal, parecia que na sexta bateria do round inaugural da repescagem daria vitória do vice campeão suíço Gabriel Benesenes, mas a reação de Gutembergue Silva, brasileiro vindo do menos frio Ceará, garantiu a primeira vitória brasileira na repescagem, a qual eliminara definitivamente, na quinta-feira, sua conterrânea, e também campeã Open nacional, Estefany Freitas.

Gutembergue registrou nota mais de sete pontos para atingirmédia dez e meio em duas notas, e assim manter o Brasil com sete de seus oito integrantes iniciais, sendo Peterson Crisanto e Alan Jones

os primeiros do Brasil a vencerem novamente em Caballeros.

Gutembergue, se somaou a Filipe Toledo, o paulista campeão brasileiro júnior, na segunda fase de repescagem, na qual o round dois da versão feminina tem a estréia de um das favoritas, a também cearense Silvana Lima, vinda da segunda fase principal do torneio em

que na busca de tentar chegar a final estréia no caminho mais longo enfrentando a britânica Beth Mason, a equatoriana Cristina Vargas e Celine Gehret, surfista da Suiça, cujo campeonato nacional 2010 aconteceu na espanhola Zarautz.

Potências

O poderio norte-americano e australiano está bem representado nas quartas de final Open masculina, em que ambas chegaram com trio, e fazem confronto direto já na bateria que abre a fase, para em seguida o Brasil ter Peterson Crisanto frente ao portoeiquenho Alejandro Moreda, o taitiano Hira Terinatoofa, e uma “fera” do Peru, Matias Mulanovich.

Fechando a série de quatro baterias Open, o potiguar Alan Jones tem o vice campeão de 2009 Ben Bourgeois, o britânico Micah Lester e o quarto colocado do ano passado, Gabriel Villaran, do Peru.

Satt em sintonia

Se o surfista da “república alpina”, Gabriel Benesenes, avançou sem conseguiu vencer à Gutembergue, no entanto a seguir o atleta Sub-20 chileno Guillermo Satt, mostrou condições para levar para os Andes o título individual Open, ao estabelecer um “quase” novo recorde com média acima 16,40 pontos na oitava bateria da repescagem, apenas quatro centésimos abaixo do recorde estabelecido pelo australiano Darren O’rafferty, a quem Satt também coadjuva em médias gerais com 8,33 alcançados nesta sexta-feira.

Não ir ao pódio do Jogos Mundiais de Surf está fora nos planos da dupla brasileira dos pranchões do Longboard, o carioca Rodrigo Sphaier e o paulista Jefson Silva.

Eles estrearam avançando na quinta-feira e são esperanças brasileiras para superar favoritos franceses, australianos e norteamericanos, a exemplo de Toni Silvagni, um dos adversários de Jefson na quinta bateria e que também integrou os Estados Unidos na conquista do título 2009 na Costa Rica.

No longboard uma curiosidade, a presença na dupla taitiana de Heifara Tahutui, que há vinte anos venceu ao ISA Games no Japão, em final que o Brasil teve em terceiro o potiguar Hemerson Marinho e o formato e o nome do evento era diferente não tendo repescagem, mas igualmente prestigiado, inclusive pelo futuro ídolo do esporte Kelly Slater.

Galerias | Mais Galerias