#wct #competições #profissional #mundial 
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil

Vitória do País Basco no Maresia Surf International em Floripa

João Carvalho / ASP

Diferente do ano passado, a experiência prevaleceu no Maresia Surf International 2010. Aritz Aranburu leva o título na final com o gaúcho Rodrigo Dornelles na Praia Mole

O gaúcho Rodrigo Dornelles, 36 anos, barrou o defensor do título, Gabriel Medina, 16, com o também ex-top da elite mundial, Aritz Aranburu, 24, do País Basco, fazendo o mesmo contra outro paulista da nova geração, Caio Ibelli, 17 anos, nas semifinais. Na bateria decisiva, entraram poucas ondas boas e Aranburu achou duas regulares para faturar o prêmio máximo de 20.000 dólares e os 3.000 pontos da etapa nível 6 do ASP World Star que festejou 25 anos de eventos do Circuito Mundial em Santa Catarina. O campeonato foi um sucesso principalmente de ondas, que ficaram entre 6-8 pés durante toda a semana na Praia Mole de Florianópolis.

“Estou muito feliz. Foi um campeonato muito bom pra mim, tivemos alguns dias de mar bem difícil e hoje deu tudo certo pro meu lado”, vibrou Aritz Aranburu, que saltou do 60.o para o 35.o lugar no ASP World Ranking. “Infelizmente, não conseguimos pegar boas ondas na final, não surfei o meu melhor, mas que bom que foi o suficiente para vencer. O Rodrigo (Dornelles) é um grande surfista e foi um prazer fazer a final com ele. É muito bom vencer aqui no Brasil. É um lugar que gosto muito de vir, sempre consigo bons resultados e já vou ficar esperando ansioso para voltar para cá para tentar outra vitória”.

O gaúcho Rodrigo Dornelles tentou tudo para acabar com um longo jejum de 12 anos da sua única vitória no Mundial WQS, conquistada em 1998 no Peru. Ele escolheu surfar no lado esquerdo, enquanto o surfista do País Basco foi para o direito. O brasileiro surfou as primeiras ondas, porém só conseguindo fazer uma manobra. A primeira onda regular foi a de Aritz Aranburu, que valeu nota 5,67. O gaúcho continuou arriscando tudo nas ondas que pegou, mas sempre errando a segunda manobra. Já o campeão confirmou o título na última dele, quando ganhou nota 7,00 para fechar o placar da vitória em 12,67 x 6,67 pontos.

“A sorte esteve do meu lado no campeonato inteiro, menos agora justamente na final. Mesmo assim, não posso reclamar, mas queria muito ter vencido o evento”, lamentou Rodrigo Dornelles, que subiu da 76.a para a 59.a posição no ASP World Ranking. “Desta vez, meu adversário foi o mar. Não consegui fazer mais de uma manobra em nenhuma onda, todas encheram muito. A única que eu poderia ter feito melhor, acabou que cai, pois arrisquei uma manobra forte e a prancha descolou, então não era pra mim mesmo. Tudo bem, estou amarradão de voltar a fazer uma final e ganhar um dinheirinho pra ajudar pagar as contas”.

Viradas de placar na última onda marcaram o domingo decisivo do Maresia Surf International 2010. Foi assim que o defensor do título, Gabriel Medina, derrotou o havaiano Sebastien Zietz nas quartas de final, que o também paulista Caio Ibelli despachou o carioca Pedro Henrique na disputa seguinte, com o mesmo Caio Ibelli levando o troco na semifinal contra o basco Aritz Aranburu. Ele abriu a bateria com nota 8,17, a maior do último dia, mas no final o surfista do País Basco arrancou um 7,67 para ganhar por 12,40 x 11,17.

Caio Ibelli dividiu o terceiro lugar no pódio do Maresia Surf International 2010 com o campeão do ano passado, Gabriel Medina, que foi barrado no confronto de gerações pelo representante da velha guarda, Rodrigo Dornelles. “Venci no ano passado aqui, mas dessa vez não deu, paciência. Não consegui achar as ondas na bateria, gostaria de ter ido pra final de novo, mas estou feliz com outro bom resultado que consigo aqui nessa praia que está marcada na minha história. Parabéns para o Pedra (Rodrigo Dornelles)”.

Uma das disputas mais emocionantes do último dia foi a quarta de final entre o defensor do título, Gabriel Medina, com Sebastien Zietz. O havaiano liderou toda a bateria e quando restavam 8 segundos para o término, o paulista conseguiu aplicar sua arma mortal para virar o placar com dois aéreos na mesma onda. O resultado foi apertado, 10,90 x 10,33 pontos, com o recordista de nota (9,33) do campeonato ficando em quinto lugar no Maresia Surf International, recebendo 2.950 dólares e 1.266 pontos.

“É sempre muito frustrante perder no final da bateria”, lamentou Sebastien Zietz, último com chances matemáticas de ainda ingressar na lista dos 10 que sobem para o Dream Tour da ASP neste evento. “Queria muito ter passado para as semifinais, mas não deu. O Gabriel (Medina) é um bom garoto, vem surfando bem e pena que perdi, pois queria aproveitar mais hoje, que é o melhor dia de ondas da semana aqui. Mas estou feliz com meu desempenho. Saio daqui com o recorde de nota do campeonato, então foi bom também”.

Também na contagem regressiva para o término da bateria, o jovem paulista Caio Ibelli virou sobre o carioca Pedro Henrique para ser mais um grande valor da nova geração verde-amarela no pódio do Maresia Surf International 2010. Pedrinho ficou em quinto lugar, empatado com Sebastien Zietz, o paulista Robson Santos e o carioca Leandro Bastos, que perdeu a última quarta de final para o espanhol Aritz Aranburu.

FINAL DO MARESIA SURF INTERNATIONAL – 12.67 x 6.67 pontos:

Campeão: Aritz Aranburu (ESP) com nota 7,00 e 5,67 - US$ 20.000 e 3.000 pontos

Vice-campeão: Rodrigo Dornelles (BRA) com 3,67 e 3,00 - US$ 10.000 e 2.250 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar – US$ 5.000 e 1.688 pontos:

1.a: Rodrigo Dornelles (BRA) 13.17 x 10.94 Gabriel Medina (BRA)

2.a: Aritz Aranburu (ESP) 12.40 x 11.17 Caio Ibelli (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar – US$ 2.950 e 1.266 pontos:

1.a: Rodrigo Dornelles (BRA) 8.77 x 7.17 Robson Santos (BRA)

2.a: Gabriel Medina (BRA) 10.90 x 10.33 Sebastien Zietz (HAV)

3.a: Caio Ibelli (BRA) 9.26 x 7.84 Pedro Henrique (BRA)

4.a: Aritz Aranburu (ESP) 11.93 x 9.00 Leandro Bastos (BRA)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar – US$ 2.300 e 949 pontos:

1.a: Rodrigo Dornelles (BRA) 11.90 x 8.04 Paulo Moura (BRA)

2.a: Robson Santos (BRA) 7.80 x 7.46 Dion Atkinson (AUS)

3.a: Sebastien Zietz (HAV) 12.00 x 9.80 Pablo Paulino (BRA)

4.a: Gabriel Medina (BRA) 13.50 x 5.90 Dayyan Neve (AUS)

5.a: Caio Ibelli (BRA) 10.23 x 5.20 Hizunomê Bettero (BRA)

6.a: Pedro Henrique (BRA) 12.70 x 5.04 Alejo Muniz (BRA)

7.a: Aritz Aranburu (ESP) 14.23 x 11.83 Beyrick de Vries (AFR)

8.a: Leandro Bastos (BRA) 8.55 x 7.67 Heitor Alves (BRA)

ASP WORLD RANKING – 20 etapas:

01: Taj Burrow (AUS) – 24.125 pontos

02: Jordy Smith (AFR) – 22.191

03: Kelly Slater (EUA) – 21.750

04: Jadson André (BRA) – 21.689

05: C. J. Hobgood (EUA) – 19.484

06: Adriano de Souza (BRA) – 18.557

07: Mick Fanning (AUS) – 17.794

08: Bede Durbidge (AUS) – 16.183

09: Dane Reynolds (EUA) – 16.003

10: Chris Davidson (AUS) – 15.813

--------os 10 indicados para o Dream Tour 2011:

15: Heitor Alves (BRA) – 11.460 pontos

16: Raoni Monteiro (BRA) – 10.995

19: Damien Hobgood (EUA) – 10.252

20: Wiggolly Dantas (BRA) – 10.247

22: Alejo Muniz (BRA) – 9.847

24: Gabe Kling (EUA) – 9.778

25: Andy Irons (HAV) – 9.756

27: Josh Kerr (AUS) – 9.307

29: Willian Cardoso (BRA) – 8.946

32: Neco Padaratz (BRA) – 8.608

Galerias | Mais Galerias