#wct #competições #surf 
Nova Zelândia

Sally Fitzgibbons assume a ponta com segunda vitória

João Carvalho

A australiana Sally Fitzgibbons, 20 anos, ganhou a segunda final consecutiva de Carissa Moore, 18, e tirou da havaiana a liderança do ranking na Nova Zelândia.

A australiana Sally Fitzgibbons, 20 anos, ganhou a segunda final consecutiva de Carissa Moore, 18, e tirou da havaiana a liderança do ranking na Nova Zelândia. O Subaru Pro TSB Bank Women´s Festival comprovou o domínio da nova geração na disputa do título mundial neste início de temporada.

Semifinalistas nas ondas de Back Beach, no sábado em Taranaki, a australiana Tyler Wright, 17, e a havaiana Coco Ho, 20, ocupam a terceira e quarta posições no ranking, respectivamente. A tetracampeã mundial Stephanie Gilmore, 23, e a brasileira Silvana Lima, 26, passaram a dividir o quinto lugar na classificação geral das três primeiras etapas do ASP Women´s Tour 2011.

A decisão na Nova Zelândia foi uma reedição do ano passado, vencida pela havaiana com mais de 19 pontos de 20 possíveis. A australiana agora empatou o placar das quatro finais que elas disputaram na divisão principal do circuito mundial. Carissa Moore tinha esta vitória e uma em 2009 no Havaí, em Sunset Beach. Fitzgibbons também perdeu para ela na semifinal da primeira etapa deste ano na Gold Coast, mas esta foi a última derrota.

A australiana festejou o seu primeiro título no sábado passado em Bells Beach e mostrou um backside poderoso nas esquerdas de Back Beach durante esta semana. Fez os recordes do campeonato nos primeiros dias e ratificou as brilhantes apresentações com a segunda vitória consecutiva sobre a havaiana. A final valia a liderança do ranking e Sally pegou as melhores ondas que entraram na bateria para vencer com duas notas 8.

“Estou muito feliz pela vitória aqui na Nova Zelândia. No ano passado eu comecei uma série de vice campeonatos seguidos aqui, então vencer agora é muito especial", disse Fitzgibbons.

Apesar das ótimas ondas de 3-4 pés da manhã na maré seca, as fases decisivas rolaram na cheia, com séries mais espaçadas e sem a mesma formação. Fitzgibbons escolheu o lado direito para pegar as ondas na final, ficando distante de Moore, que preferiu ir para o esquerdo.

"As ondas hoje estavam mais dificeis", conta Sally. "Entrando na água, preferi ficar um pouco abaixo do pico. Foi uma jogada arriscada, mas valeu a pena porque as ondas entraram para mim ali. Eu já estava feliz na final e só pensava em pegar ondas para surfar".

Com apenas 500 pontos de diferença entre ela e Carissa Moore, a corrida do título mundial de 2011 promete ser emocionante. “É sempre bom estar no topo, mas, para ser honesta, estou tão focada em cada evento que nem olho muito pro futuro. O caminho ainda é longo e o nível das meninas muito alto para pensar nisso agora”.

Carissa Moore chegou confiante na final, depois de surfar muito bem nas quartas de final e nas semifinais. Porém, não conseguiu achar as ondas que precisava para vencer Fitzgibbons na final. "Eu definitivamente escolhi o lugar errado no mar", admitiu a havaiana.

"A Sally foi muito inteligente, escolheu o lugar certo e pegou as melhores ondas. Ela surfou muito bem as ondas daqui durante toda a semana e mereceu. Claro que ninguém gosta do segundo lugar, você quer ganhar sempre, mas foi bom o resultado também. Afinal, foram três finais em três etapas e é muito bom para o esporte uma rivalidade assim".

PRÓXIMAS ETAPAS – O quarto desafio do ASP Women´s Tour 2011 começa na terça-feira em Sydney e o prazo do campeonato promovido pela heptacampeã mundial Layne Beachley vai até domingo na Austrália. Na semana seguinte, a eletrizante disputa do título mundial feminino continua no Billabong Rio Pro Girls, nos dias 12 a 16 de maio na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

A etapa brasileira será a mais rica da temporada feminina, única com premiação de 120.000 dólares para ser dividida entre as dezoito participantes. Desde 2008 o ASP Women´s Tour não passa pelo Brasil e a última vez foi também na Barra da Tijuca. Naquele ano, a havaiana Melanie Bartels venceu a final contra a peruana Sofia Mulanovich no Rio de Janeiro.

FINAL DO SUBARU PRO TSB BANK WOMEN´S FESTIVAL:

Campeã: Sally Fitzgibbons (AUS) com 16,00 pontos - US$ 15.000 e 10.000 pontos

Vice-campeã: Carissa Moore (HAW) com 6,86 pontos - US$ 9.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar – US$ 6.500 e 6.500 pontos:

1.a: Carissa Moore (HAW) 14.50 x 9.76 Tyler Wright (AUS)

2.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 12.34 x 0.80 Coco Ho (HAW)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar – US$ 5.250 e 5.200 pontos:

1.a: Tyler Wright (AUS) 14.50 x 11.50 Pauline Ado (FRA)

2.a: Carissa Moore (HAW) 13.77 x 13.10 Courtney Conlogue (EUA)

3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 15.67 x 13.40 Chelsea Hedges (AUS)

4.a: Coco Ho (HAW) 13.40 x 8.73 Paige Hareb (NZL)

QUARTA FASE – REPESCAGEM – 1.a=Quartas de final / 2.a=9.o lugar – US$ 4.500 e 4.000 pontos:

1.a: Pauline Ado (FRA) 11.65 x 8.35 Silvana Lima (BRA)

2.a: Carissa Moore (HAW) 17.05 x 15.80 Rebecca Woods (AUS)

3.a: Chelsea Hedges (AUS) 16.75 x 15.50 Stephanie Gilmore (AUS)

4.a: Paige Hareb (NZL) 13.00 x 8.15 Melanie Bartels (HAW)

RANKING DO ASP WOMEN´S TOUR 2011 – 3 etapas:

01: Sally Fitzgibbons (AUS) – 26.500 pontos

02: Carissa Moore (HAV) – 26.000

03: Tyler Wright (AUS) – 19.700

04: Coco Ho (HAV) – 16.900

05: Stephanie Gilmore (AUS) – 15.700

05: Silvana Lima (BRA) – 15.700

07: Chelsea Hedges (AUS) – 14.400

07: Coutney Conlogue (EUA) – 14.400

09: Pauline Ado (FRA) – 13.200

10: Sofia Mulanovich (PER) – 10.950

11: Laura Enever (AUS) – 10.000

12: Paige Hareb (NZL) – 8.700

13: Melanie Bartels (NZL) – 8.000

14: Rebecca Woods (AUS) – 7.500

14: Jessi Miley-Dyer (AUS) – 7.500

14: Jacqueline Silva (BRA) – 7.500

17: Alana Blanchard (HAV) – 5.250

18: Claire Bevilacqua (AUS) – 3.500

Galerias | Mais Galerias