#mundial 
Saquarema - Rio de Janeiro - Brasil

Sábado de grandes ondas no Oakley Saquarema Prime

João Carvalho / ASP

Três brasileiros e um australiano já passaram para as quartas de final e Willian Cardoso segue na busca pelo bicampeonato no ASP World Prime de Saquarema

Previsões confirmadas e a Praia de Itaúna mostrou a força das suas ondas, bombando 6 pés sólidos e séries maiores durante todo o sábado de céu nublado, chuvas e frio na Cidade do Surf da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O título do Coca-Cola apresenta Oakley Saquarema Prime, que vale 40.000 dólares e 6.500 pontos para o ASP World Ranking, será disputado por cinco brasileiros, cinco australianos e dois norte-americanos.

Três dos cinco brasileiros já passaram para as quartas de final, Raoni Monteiro, Willian Cardoso e Jessé Mendes. A exceção foi o australiano Yadin Nicol, que venceu a única bateria só com surfistas estrangeiros na rodada dos 12 melhores que fechou o sábado de ondas desafiadoras na Praia de Itaúna. Mas, os perdedores nesta fase têm outra chance na repescagem que vai abrir o domingo decisivo, às 8 horas, com o campeão sendo definido por volta das 13 horas em Saquarema.

DEFENSOR DO TÍTULO - Willian Cardoso defende o título desta etapa e saiu do mar quando faltavam 4 minutos para o término da sua segunda bateria no sábado, após a excelente onda que surfou e valeu nota 8,83. Com ela, o catarinense confirmou a vitória sobre os australianos Adam Robertson e Kai Otton. Com a passagem para as quartas de final, Willian voltou a aparecer no grupo dos 32 primeiros colocados no ASP World Ranking, que vai formar a elite mundial na segunda metade da temporada.

"A hora que eu vi a onda dobrando, eu sabia que ia conseguir virar o resultado com uma manobra forte, mas ainda deu para fazer outra na sequência e a nota saiu", vibrou Willian Cardoso, que vai dormir o sábado em 32.o lugar no ranking mundial unificado da ASP. "O mar está muito difícil, a correnteza é muito grande, tomei várias séries na cabeça, mas Saquarema não decepciona, proporciona manobras gigantes e é o que eu gosto de fazer. Foi bom que agora vou ganhar algumas horas de descanso amanhã, o que vai ser importante porque já sabemos que o mar vai estar gigante, então vamos com tudo".

As outras três classificações foram conquistadas com viradas sensacionais no último segundo das baterias. Na primeira, Yadin Nicol precisava de 7,06 pontos e ganhou nota 7,60 na sua última onda para tirar a vitória do norte-americano Cory Lopez. Os dois estão na briga direta para entrar no G-32 do ASP World Ranking. Nicol passou a aparecer logo abaixo de Willian Cardoso, em 34.o lugar e Cory Lopez é o 35.o com a atualização dos resultados do sábado na Praia de Itaúna.

"Foi realmente fantástico", definiu Yadin Nicol. "Eu fiquei preso na arrebentação durante um tempão, só pensava em chegar lá fora pra surfar, está muito difícil entrar na onda, mas joguei tudo nessa última onda e estou muito feliz que a nota saiu. É muito bom passar direto nessa fase, principalmente porque não precisarei competir tão cedo amanhã".

O carioca Raoni Monteiro, que mora em Saquarema e conhece bem as ondas de Itaúna, fez o maior placar na rodada dos 24 melhores, quando eliminou o americano Nathan Yeomans por 14,83 x 11,43 pontos. Na bateria da fase classificatória, o paulista Junior Faria liderou até o último segundo, mas Raoni conseguiu a virada com duas manobras numa direita, fato não muito comum num point break de esquerdas como a Praia de Itaúna. Ele precisava de 6,33 pontos e ganhou nota 6,50.

"Essa direita do canal é só pra quem conhece", falou Raoni Monteiro. "Eu lutei até o fim. Precisava de uma onda boa pra virar e acho que essa direita foi uma benção de Deus. A bateria só termina quando toca a sirene e eu acreditei até o final. Meu pai tinha falado pra eu me ligar que a direita vinha de vez em quando, então deu um estalo ali, a onda entrou pra direita, era da série, mandei uma manobra forte lá fora, vim tentando conectar e dei mais uma boa no inside pra virar a bateria".

Na última bateria do dia, o fato se repetiu e o paulista Jessé Mendes tirou a última vaga direta para as quartas de final do norte-americano Damien Hobgood também no minuto final. O australiano Adam Melling, outra estrela do ASP Tour, também caiu para a repescagem nesta bateria e os dois falaram sobre as condições desafiadoras do mar no sábado em Saquarema.

"Muito difíceis. O mar foi subindo durante o dia e eu nem sabia qual prancha usar hoje", confessou Adam Melling. Damien Hobgood concordou com o australiano, mas gostou das ondas de Itaúna: "Está dificil achar as ondas, de se posicionar bem lá dentro, mas gosto de surfar mar assim. Ficou até meio parecido com Margaret River, onde venci uma etapa Prime neste ano, então tomara que fique assim amanhã também".

MELHOR DO DIA - O paulista Junior Faria também vai disputar a repescagem que começa às 8 horas do domingo na Praia de Itaúna. Seu adversário será o australiano Lincoln Taylor na segunda bateria do dia. Ele foi o grande destaque do sábado de grandes ondas em Saquarema. Na primeira que surfou, acertou duas manobras seguidas muito potentes no outside para arrancar a maior nota do dia, 9,23. Ela foi decisiva para Junior Faria despachar a sensação australiana, Julian Wilson, dono dos recordes de nota - 9,87 - e placar - 18,34 pontos - do Coca-Cola apresenta Oakley Saquarema Prime 2011.

"Foi legal essa bateria, tive sorte de achar uma onda boa logo no início e agora perdi pro Raoni (Monteiro) no finalzinho, mas tudo bem porque tem outra chance amanhã", falou Junior Faria. "Mas, o mar está muito difícil, meio loteria. Quando o mar está pequeno a gente fala que está loteria, mas quando está grande também fica loteria, então tem que ter sorte e não pode errar. Quando peguei aquela onda contra o Julian Wilson só pensei nisso, que não poderia errar e deu tudo certo".

Galerias | Mais Galerias