#ecologia #equipamentos 
Vila dos Remedios - Fernando de Noronha - Brasil

Projeto Navi em Noronha inova com tecnologia.

Leonardo Veras

Criamos o conceito de “turismo de expedição cientifica” para dar origem as expedições NAVI. Reunimos uma equipe multidisciplinar com o objetivo de desenvolver um programa onde o participante vivenciasse um ensaio de expedição oceanográfica.

O Projeto Navi

Quem somos:

O Projeto NAVI - Natureza Viva é uma empresa brasileira do século XXI sensível às questões do seu tempo

O Arquipélago de Fernando de Noronha é o nosso berço, nossa especialidade é o turismo náutico.

Nossos objetivos:

• Democratizar o acesso ao mundo submarino com o uso de tecnologias avançadas.

• Estabelecer um novo padrão aplicando o conceito de “Turismo de expedição cientifica”.

• Propagar conceitos de conservação da vida marinha e dos sistemas oceânicos.

• Avivar a cultura náutica na comunidade do Arquipélago

Nossas ações:

• Localizar tecnologia de visão subaquática compatível com Fernando de Noronha.

• Desenvolver e implantar o conceito de “turismo de expedição cientifica”: expedições NAVI natureza viva.

• Contribuição sócio ambiental

• Localizar tecnologia de visão subaquática compatível com Fernando de Noronha.

Nossa primeira missão foi realizar uma pesquisa no mercado global para selecionar a melhor embarcação com tecnologia de visão subaquática. Ela deveria cumprir rigorosos quesitos estabelecidos pelo nosso conselho.

Além das qualidades óticas, a embarcação deveria oferecer segurança com conforto ao mesmo tempo fosse compatível com as singularidades do Arquipélago.

Percebemos que o mercado está repleto de embarcações comuns adaptadas com janelas de vidros planos. Tais adaptações não conseguem produzir uma visão subaquática satisfatória e costumam gerar um ambiente claustrofóbico para o passageiro.

Não foi nada fácil encontrar uma embarcação que cumprisse nossos requisitos.

Determinados em descobrir novas tecnologias, fomos investigar um improvável projeto que estava sendo desenvolvido nos antigos estaleiros militares da Europa oriental. Tratava-se de uma embarcação que, em tese, satisfazia nossas exigências.

O Arquipélago reúne as melhores condições para as atividades de visitação no ambiente marinho e de educação ambiental. O visitante que vem para Arquipélago tem em mente encontrar um paraíso ecológico e está psicologicamente receptiva a questão ambiental. Apesar disto à ilha é carente em atividades náuticas direcionadas para educação ambiental.

Assumimos a missão de oferecer uma experiência além de um passeio. Ela deveria conter atividades praticas de educação ambiental em um clima de entretenimento de alta tecnogia.

Criamos o conceito de “turismo de expedição cientifica” para dar origem as expedições NAVI. Reunimos uma equipe multidisciplinar com o objetivo de desenvolver um programa onde o participante vivenciasse um ensaio de expedição oceanográfica.

O programa consiste em uma palestra descritiva do ambiente marinho e sua conservação em uma atmosfera de aventura submarina (ver a hidronave). A palestra é apoiada por material impresso onde desenvolvemos uma linguagem cientifica de fácil compressão (ver Log Book).

• Contribuição sócio ambiental

Seguindo a filosofia de ampliar a acessibilidade ao ambiente marinho mantemos um programa titulado de “Viva a Natureza Marinha”.

Neste programa alunos da escola Arquipélago participam de excursões especialmente preparadas para que conheçam, na pratica, conceitos básicos de oceonagrafia, navegação, biologia marinha e conservação ambiental. O foco será para a identificação das espécies de peixes encontrados no Arquipélago.

Nosso esforço visa popularizar conceitos científicos e avivar a cultura marinha na juventude do Arquipélago. Esperamos com isto inspirar futuros profissionais que estarão atentos ao ambiente marinho e sua conservação.

A Hidronave:

Apresentamos a Navi, uma hidronave com inovadora tecnologia de visão subaquática. Foi projetada para abrigar a maior lente de visão subaquática do mercado civil (3m x 2m). O projeto deriva de uma ideia concebida originalmente para uso restrito em ações militares.

Seu casco de alumínio naval é equipado com hidrofólio estabilizador que proporciona maior desempenho e estabilidade. Características essenciais às pessoas não aclimadas ao ambiente marinho.

A maioria das embarcações com visão subaquática são munidas de pequenas janelas de vidro plano que, além de proporcionar um pequeno ângulo de visão, provocam distorção da imagem.

O grande diferencial da NAVI é sua lente esferóide (3m x 2m). Ela foi especialmente desenvolvida para minimizar as distorções da imagem sub com o maior ângulo de visão possível.

A embarcação dispõe de toalete e dois ambientes para acomodação dos passageiros. O cockpit é um ambiente de estar onde a pessoa tem plena visão externa, a sala da megalente é onde as pessoas têm o acesso à visão submarina.

Seu desenho futurista é tão revolucionário que, a primeira vista, lembra uma nave de ficção cientifica.

Log Book:

NAVI natureza viva, turismo de Expedição científica, educação ambiental na prática.

A proposta de funcionamento da embarcação NAVI engloba o conceito de “Turismo de expedição científica” o qual nomeamos Expedições NAVI - Natureza Viva. Na NAVI o participante será monitorado por um guia treinado e qualificado para interpretar o cenário submarino do Arquipélago. Usando linguagem de “ciência popular”, o monitor irá transmitir conceitos básicos de arqueologia submarina, oceanografia e conservação da vida marinha.

Cada passageiro receberá material didático em forma de Log Book. Nele o expedicionário poderá registrar os parâmetros ambientais encontrados na ocasião e sinalizar os animais identificados.

O Log Book é pessoal e será um registro contundente da experiência, uma lembrança para toda a vida. Muito além de um passeio marítimo, a pessoa participará de um ensaio de expedição oceongráfica.

A primeira parte do Log Book consta os parâmetros ambientais da expedição. Os parâmetros devem ser preenchidos por meio da leitura dos instrumentos de bordo com a orientação do monitor.

A segunda parte é um guia das espécies marinhas mais frequentes no Arquipélago. Nela o expedicionário pode assinalar as espécies identificadas, anotar observações e aplicar a certificação personalizada.

A certificação personalizada é uma declaração oficial de que o participante vivenciou as condições assinaladas. Este é um diferencial opcional.

Na certificação constam: nome do participante, gravação antifraude em hot stamp e assinatura do Engenheiro de Pesca Leonardo Veras (Diretor de Pesquisa do projeto Navi e Diretor do Museu Tubarões).

Links Relacionados:

Link para o site:

Galerias | Mais Galerias