#eventos #competições #wsl #wct #profissional #atletas #competições #jogos olímpicos #surf 
São Paulo - Brasil

Os medalhistas de ouro, Italo Ferreira e Carissa Moore, serão as atrações do Corona Open Mexico

joão carvalho/ WSL Latin America

O Brasil lidera o ranking com Gabriel Medina, Italo Ferreira e Filipe Toledo nas três primeiras posições. Jhony Corzo recebe um wildcard e mais dois mexicanos serão indicados na triagem.

BARRA DE LA CRUZ, Oaxaca, México (Quinta-feira, 29 de julho de 2021) - Depois do sucesso do surfe estreando como esporte olímpico nos Jogos de Tóquio 2020 no Japão, as atenções agora voltam-se para a reta final do World Surf League Championship Tour 2021, com os dois eventos que restam para definir os top-5 e as top-5 que vão decidir os títulos mundiais no Rip Curl WSL Finals, de 9 a 17 de setembro em Trestles, na Califórnia (EUA). O próximo é o Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver, nos dias 10 a 19 de agosto nas direitas de Barra de La Cruz, em Oaxaca. O México volta a receber os melhores surfistas do mundo depois de 15 anos e os brasileiros Gabriel MedinaItalo Ferreira e Filipe Toledo, lideram o ranking vencendo cinco das seis etapas disputadas no Havaí, Austrália e Califórnia. 

“O Brasil vive um momento especial, único, no nosso esporte, com três surfistas no topo do ranking mundial e o atual campeão, Italo Ferreira, conquistando a primeira medalha de ouro da história do surfe nas Olimpíadas”, disse Ivan Martinho, CEO da WSL Latin America. “Este será o primeiro evento após os Jogos de Tóquio e é grande a expectativa para o retorno do México, com suas ondas espetaculares, nesta fase decisiva na batalha pelas vagas para a decisão dos títulos mundiais, que acontecerá em Trestles no Rip Curl WSL Finals”.

Medalhistas olímpicos vão competir no México

Uma das atrações do Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver, será a participação dos primeiros medalhistas da história do surfe nos Jogos Olímpicos. A competição foi realizada em três dias com uma grande variedade nas condições do mar em Tsurigasaki Beach, desde ondas pequenas até séries de 2 metros geradas por um tufão que passou pela região de Chiba. Os surfistas da elite da World Surf League deram um show, com o brasileiro Italo Ferreira e a havaiana Carissa Moore ganhando as medalhas de ouro nas finais com o japonês Kanoa Igarashi e a sul-africana Bianca Buitendag, que ficaram com as medalhas de prata. 

As medalhas de bronze foram conquistadas pelo australiano Owen Wright e pela japonesa Amuro Tsuzuki, nas baterias dos perdedores das semifinais. O bicampeão mundial Gabriel Medina vinha sendo um dos destaques do evento, mas no último dia foi derrotado por Kanoa Igarashi nos minutos finais e depois não conseguiu achar boas ondas contra Owen Wright. Medina e Carissa Moore são os únicos que já confirmaram suas vagas para a decisão dos títulos mundiais no Rip Curl WSL Finals em Trestles, na Califórnia.

O australiano Julian Wilson, que foi barrado por Gabriel Medina nas Olimpíadas de Tóquio, anunciou que vai dar uma pausa nas competições e não participará do restante do CT 2021. Com isso, seu compatriota Mikey Wright foi confirmado para substitui-lo nas etapas do Mexico e no Outerknown Tahiti Pro, que será realizado de 24 de agosto a 03 de setembro, logo após o Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver, que termina em 19 de agosto.

Três surfistas do México vão ter a chance de enfrentar os melhores do mundo em casa. Um deles já está confirmado, Jhony Corzo, que recebeu um dos três wildcards (convites) para esta etapa. Atualmente, ele é o sétimo colocado no ranking regional da WSL North America e foi o primeiro mexicano a vencer o ISA Surfing Games, em 2017. 

“Competir em casa com os melhores surfistas do mundo é o meu sonho desde criança”, disse Jhony Corzo, após receber a notícia do wildcard. “A volta do Championship Tour ao meu país que amo e a mágica de Barra de La Cruz, é uma ótima maneira para poder mostrar o meu surfe para o mundo. Só tenho que agradecer a Deus, minha família, a WSL e especialmente ao meu patrocinador, Corona, por tornar isso possível. Agora é hora de brilhar”.

Os outros dois participantes do México serão definidos na Triagem masculina e feminina, que está marcada para acontecer no dia 3 de agosto em Barra de La Cruz. Ela será disputada por 24 surfistas selecionados pela Federação Mexicana de Surf e pela Associação Estadual de Surf de Oaxaca. Serão dezesseis homens e oito mulheres lutando por uma vaga em cada categoria,

Triagem Masculina do Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver:

- Alan Cleland (Colima)

- Dylan Southworth (Nayarit)

- Luis Rey Hernández (Guerrero)

- Diego Cadena (Nayarit)

- Kevin Meza (Baja California)

- Adrian Rodriguez (Nayarit)

- Martin Olea (Baja California Sur)

- Vicente Trujillo (Guerrero)

- Nahúm Corzo (Oaxaca)

- Jimel Corzo (Oaxaca)

- Roger Ramirez (Oaxaca)

- Jafet Ramos (Oaxaca)

- Cesar Petroni (Oaxaca)

- Sebastian Williams (Oaxaca)

- Jesús Leyva (Barra de La Cruz)

- Geyser Platero (Barra de La Cruz)

Triagem Feminina do Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver:

- Maya Larripa (Oaxaca)

- Valeria Peconi (Oaxaca)

- Summer Sivoni (Oaxaca)

- Regina Pioli (Oaxaca)

- Isabelle Leonheart (Colima)

- Alexia Ceballos (Sinaloa)

- Mariana Valencia (Baja California)

- Shelby Detmers (Mexicana no exterior)

 

Comentários

Galerias | Mais Galerias