#wsl #competições #surf 

Ondas grandes de 4m no Havaí, mas vento ruim adia Pipe Masters

Carol Fontes e Lívia Laranjeira

WSL deverá colocar o round 1 nesta segunda-feira no período da manhã no Havaí (tarde no Brasil). Campeonato pode terminar até 17 de dezembro, último dia com ondas de qualidade na janela.

Pelo segundo dia consecutivo, a Liga Mundial de Surfe (WSL) adiou o início da 11ª etapa do Circuito Mundial em Pipeline, no Havaí, que definirá o campeão da temporada de 2017. Gabriel Medina, John John Florence, Jordy Smith e Julian Wilson estão na briga pelo caneco. O mar subiu neste domingo e trouxe ondas de 4m para a costa norte da ilha de Oahu, no entanto, o vento desfavorável deixou a formação irregular. A previsão é de séries de até 5m no período da tarde no horário local. A próxima chamada para avaliar as condições será nesta segunda-feira, às 15h30, de Brasília (7h30 no Havaí). Os organizadores do campeonato planejam colocar as primeiras baterias do round 1 nesta segunda-feira e continuar nesta terça-feira, dando início à terceira fase.

Comissário da WSL, Renato Hickel explicou que as condições são desafiadoras no que diz respeito ao vento e não em relação ao tamanho das ondas. A entidade tem a intenção de encerrar o round 1 e colocar duas baterias na água ao mesmo tempo para os rounds 2 e 3, com disputas de homem a homem. A primeira fase, não eliminatória, tem três surfistas em cada bateria.

- Em termos de tamanho, a previsão de materializou. Está cerca de 4m de onda, e a previsão hoje à tarde é de chegar a 5m. Infelizmente, a ondulação de swell (ondulação) é muito ruim. Uma ondulação muito de norte, e Pipeline é uma onda que gosta de (vento) oeste e noroeste, e precisa deste ângulo para funcionar de maneira perfeita. As condições da janela são bastante desafiadoras em termos de vento. Teremos tamanho de swell, mas a segunda-feira também será difícil. Provavelmente, faremos meio período de competição na segunda e na terça-feira. Esperamos terminar o round 1 e começar o 2 e 3, com duas baterias ao mesmo tempo - disse Hickel.

 

Renato Hickel dá detalhes das previsões até o fim da janela, que se encerra no dia 20 de dezembro (Foto: Carol Fontes)

Renato Hickel dá detalhes das previsões até o fim da janela, que se encerra no dia 20 de dezembro (Foto: Carol Fontes)

Vento prejudica formação das ondas em Pipeline

O termômetro para avaliar o quão ruim estão as condições neste domingo é o mar sem surfistas. A praia de Piperline é conhecida por ser um dos dos lugares com maior disputa por espaço, marcada pelo "crowd" (quando o pico está lotado de surfistas).

A WSL tem a opção de encerrar o campeonato em três ou quatro dias, mas poderá finalizar até o próximo domingo, dia 17, o último dia com ondas de qualidade na janela, que vai até 20 de dezembro. A quinta (14) e a sexta-feira (15) da semana que vem também parecem promissoras.

- Existe uma grande chance de acontecer o round 1 na segunda, apesar dos ventos serem ruins no período da tarde. A gente tem a possibilidade de terminar a prova nesses três ou quatro dias, mas acho que o mais provável é usar quinta e sexta-feira. Quem sabe, até o domingo. Além do tamanho do swell, precisamos da condição de vento, que está atrapalhando muito as provas neste ano no Havaí. A temporada teve muito swell de norte, que está prejudicando. Há ainda muita areia na praia de Pipeline e precisamos do swell de oeste e noroeste para tirar essa areia da bancada de coral e propiciar uma onda de melhor qualidade aqui em Pipeline - analisou o comissário da WSL.

A entidade precisa de três dias completos para realizar o campeonato, um total de 32 horas de provas. Existe a opção de usar partes do dia com as melhores condições. A segunda e a terça-feira terão ventos ruins durante a tarde, portanto, a WSL poderá colocar as baterias no período da manhã, até o meio dia, pelo horário local. Neste caso, restariam dois dias cheios para encerrar a última etapa do Circuito Mundial.