#mundial 
Portugal

Nat Young em destaque no primeiro dia do Quicksilver Pro Portugal ASP Prime

Quicksilver

O primeiro dia do Quiksilver Pro Portugal ASP Prime assistiu a duas sessões de surf intenso, intervaladas pelo período de maré-cheia, com Nat Young (Santa Cruz, CA) 20 anos, a liderar o grupo de surfistas internacionais de elite nas direitas (com cer

No Quiksilver Pro Portugal ASP Prime estão em jogo muitos pontos que atraem os melhores atletas do mundo, com vista à qualificação ou manutenção da sua posição no ranking do circuito mundial da ASP. Os surfistas europeus podem, ainda, arrecadar pontos adicionais para a ASP European Men's Series.

Nat Young esteve na sua melhor forma no ataque às ondas de ribeira, entrando em total sintonia com o oceano para, de forma consistente, atingir os melhores resultados da bateria de 30 minutos. Young pontuou 16.97, em 20, num total de duas ondas, incluindo um quase perfeito 9.10.

“Onde vivo há ondas muito semelhantes e acho que consegui um bom ritmo. Cada vez que apanhei uma onda, diverti-me imenso. Foi uma combinação de vários factores que resultou da melhor forma”.

Young teve a melhor pontuação do Quiksilver Pro Portugal até ao momento e, agora, a pressão aumenta para manter esta posição.

“Com sorte, consigo fazer o mesmo na próxima bateria. Às vezes temos uma boa pontuação numa bateria e sentimos a pressão de fazer ainda melhor na próxima. Mas as pontuações altas também nos dão mais confiança”.

Um dos surfistas preferidos do público, Jeremy Flores (FRA), 23 anos, actual n.º 11 no ranking mundial da ASP, conquistou a vitória na sua bateria.

“Cheguei a Portugal ontem e não tive muito tempo para praticar. A onda de Ribeira d'Ilhas é muito diferente consoante as marés, tem muitas secções”.

Gabriela Medina (BRA), 17 anos, vencedor do evento Prime no Brasil, actual n.º 27 no ranking mundial da ASP, avançou para a segunda ronda com um total de 15.10 pontos, em 20.

“Sinto-me bem e confiante mas tento não pensar muito na qualificação”.

Pat Gudauskas (San Clemente, EUA), 25 anos, arrecadou 8.50 pontos, em 10, numa das maiores classificações de onda do dia. No entanto, viria a terminar a bateria em segundo lugar, atrás de Tiago Camarao (BRA), o vencedor.

“Adoro a onda de Ribeira d'Ilhas. O meu objectivo é surfar o maior número possível de baterias e divertir-me ao máximo”.

Austin Ware (EUA), 30 anos, vencedor da primeira bateria, confiou na sua experiência e na selecção de ondas para derrotar Dimitri Ouvre (BRB), 19 anos, e C.J. Hobgood (EUA), o antigo campeão do mundo ASP, que terminou em quarto lugar.

“A vantagem de fazer isto há 11 anos é que consigo interpretar as ondas. Fico sempre nervoso na primeira bateria mas depois acaba por correr tudo bem”.

Ouvre, um dos wildcards do Quiksilver Pro Portugal arrecadou 6.90 numa onda, o que lhe valeu o segundo lugar. Após ter surfado 36 ondas, Ouvre passou para a segunda ronda.

“Realizei o sonho de surfar na mesma bateria com o C.J. Hobgood. Agradeço à Quiksilver por me ter distinguido com o wildcard porque é realmente importante para melhorar a minha técnica e a minha pontuação para o próximo ano”.

Outro dos wildcards deste evento, Vasco Ribeiro (PRT), também avançou para a segunda ronda, terminando atrás de Jonathan Gonzalez (CNY) numa bateria que viu, ainda, Shaun Joubert (ZAF) e Brett Simpson (EUA) alcançar o terceiro e quarto lugares, respectivamente.

Para Vasco Ribeiro, “o dia de hoje correu muito bem. As condições eram as melhores, consegui divertir-me muito e fazer um bom surf ao mesmo tempo. Dei o meu melhor e a recompensa é ir em frente na segunda ronda”.

Ribeiro, actual campeão de juniores europeus, e Dimitri Ouvre, em 3º lugar no ranking de juniores europeus, vão aproveitar ao máximo esta oportunidade para continuarem em competição no Quiksilver Pro Portugal.

Amanhã, na última bateria da Ronda 1, é a vez de Tiago Pires surfar em casa perante um público expectante.

Galerias | Mais Galerias