Jordy Smith Faz História em Jeffreys Bay

WSL

O Sul Africano fez história alcançando o primeiro total perfeito de 20 pontos em Jeffreys Bay e a competição foi até o Round 3 e as duas primeiras baterias do Round 4 antes de ser cancelada quando um tubarão foi avistado a cerca de 100 metros da área de c

Smith, o vencedor do evento por duas vezes (2010 e 2011) e o atual número 3 no ranking mundial, postou o seu total de bateria PERFEITO 20 em sua bateria do round 3 contra o novato Leonardo Fioravanti da Itália. Esta é a 10ª vez que a façanha foi alcançada em mais de 40 anos de surf profissional, mas foi a primeira vez que alguém ganhou um Perfeito 20 em J-Bay e a primeira bateria perfeita de Smith.

Apesar de uma forte abertura do Fioravanti, o herói da cidade encontrou as melhores ondas da bateria para pegar as duas ondas perfeitas. Na primeira Smith fez duas rasgadas enormes e um tubo profundo por 10 pontos seguiu rapidamente por uma exibição de seu incrível poder de surf e mais dois barris por outro Perfect 10 para selar sua vitória e seu lugar nos livros de história.

"É absolutamente fenomenal", disse Smith. "Só por ser aqui em J-Bay, onde as ondas estão bombando e ter essa oportunidade é incrível. COnseguir vinte pontos na frente de todos os meus amigos e familiares e todos esses fãs locais, também é uma coisa muito incrível. É o dia de Mandela hoje, e acho que Madiba estava cuidando de mim e me enviou as bombas hoje.

"Minhas duas primeiras ações no evento foram muito lentas e ser abençoado com isso foi absolutamente incrível. Você vai lá e dá absolutamente tudo o que você tem. Eu não quero tirar nada de Leo (Fioravanti), ele é um surfista absolutamente incrível, especialmente no tubo, então eu só tive que fazer o meu melhor surf. Esta bateria, eu tive a sorte de pegar as bombas. Eu nunca em meus sonhos mais loucos achava que eu conseguiria um 20 perfeito e chegar aqui na J-Bay torna isso especial.


Gabriel Medina no 4° round do J-Bay Open 2017 - foto: WSL/Cestari

O paulista Gabriel Medina lutou contra Owen Wright e o iniciante de 2017, o francês Joan Duru na primeira bateria do Round 4 em uma batalha entre "goofies". Wright foi o primeiro surfista a entrar na excelente gama, mas Duru, tentando entrar nas quartas de final pela segunda temporada, roubou a vantagem. Depois de um início lento, Medina encontrou dois tubos e uma série de rasgadas incríveis para um 9.07 e a liderança. Duru continuou a perseguir o 8.91 necessário, mas uma ótima onda nos minutos finais e o brasileiro ganhou a bateria com um excelente 9,67. 

"Eu tenho surfado recentemente para experimentar as minhas pranchas", disse Medina. "Está um pouco complicado lá fora, mas quando você acha as boas, é muito bom. Eu sabia que seria uma forte bateria contra Owen (Wright) e Joan (Duru), então estou muito feliz. Eu tentei ser paciente e estava tentando escolher as boas, o que estava difícil. Toda onda é realmente boa, então é difícil. É o melhor sentimento quando você termina sua última manobra e você sabe que foi uma boa onda. "

O novato Duru causou uma grande confusão no Round 3 quando ele colocou um dano sério na campanha do título de Adriano de Souza e eliminou o brasileiro em uma revanche de sua final de série de qualificação 2012 na Jeffreys Bay. Ambos os surfistas tiveram muitas oportunidades, mas foi Duru quem encontrou duas pontuações sólidas de sete pontos que o campeão de 2015 não conseguiu igualar e foi enviado para casa no décimo terceiro lugar. "Eu estava bastante nervoso porque perdi para Adriano (Minieirinho), como isso, há cinco anos aqui ", disse Duru. "Eu tive sorte desta vez e as ondas estão bombando para um dia louco."

Os juízes e os pilotos de jet-ski viram um tubarão a cerca de 100 metros atrás do pico, de modo que a bateria foi suspensa", disse o Comissário da WSL, Kieren Perrow. "Nós tomamos a decisão de que não vamos reiniciar a bateria novamente hoje e nós voltaremos amanhã, quando ainda haverá grandes ondas em oferta." 

Corona Open J-Bay Round 3:

Heat 1: Joan Duru (FRA) 15.50 def. Adriano de Souza (BRA) 14.40

Heat 2: Gabriel Medina (BRA) 15.83 def. Bede Durbidge (AUS) 12.57

Heat 3: Owen Wright (AUS) 16.83 def. Ezekiel Lau (HAW) 9.67

Heat 4: Frederico Morais (PRT) 13.07 def. Connor O’Leary (AUS) 12.16

Heat 5: Mick Fanning (AUS) 14.24 def. Caio Ibelli (BRA) 12.67

Heat  6: John John Florence (HAW) 18.27 def. Jadson Andre (BRA) 9.94

Heat  7: Jordy Smith (ZAF) 20.00 def. Leonardo Fioravanti (ITA) 16.17

Heat  8: Filipe Toledo (BRA) vs. Kelly Slater (USA) INJ

Heat  9: Julian Wilson (AUS) 18.27 def. Jeremy Flores (FRA) 15.30

Heat 10: Conner Coffin (USA) 18.67 def. Joel Parkinson (AUS) 15.90

Heat 11: Michel Bourez (PYF) 16.73 def. Italo Ferreira (BRA) 16.07

Heat 12: Matt Wilkinson (AUS) 16.54 def. Jack Freestone (AUS) 13.47

Corona Open J-Bay Round 4:

Heat 1: Gabriel Medina (BRA) 18.74, Joan Duru (FRA) 16.07, Owen Wright (AUS) 13.10

Heat 2: Frederico Morais (PRT) 19.07, John John Florence (HAW) 17.17, Mick Fanning (AUS) 14.90

Corona Open J-Bay Round 4 - continuação:

Heat 3: Jordy Smith (ZAF), Filipe Toledo (BRA), Julian Wilson (AUS)

Heat 4: Matt Wilkinson (AUS), Conner Coffin (USA), Michel Bourez (PYF)