#viagens 

Início de temporada alucinante em Puerto Escondido!

André Carvalho

No último mês de maio tive a oportunidade de realizar um antigo sonho, pegar ondas na praia de Zicatela em Puerto Escondido, México.

Consegui o visto com facilidade, on line mesmo, através do site do consulado Mexicano no Brasil, poucos dias antes do embarque.

No avião entre São Paulo e Cidade do México li, em uma das revistas de bordo, uma frase de Susan Casey, do livro Ondas, que dizia algo parecido com: O belo para tornar-se sublime, necessita um pouco de terror. Em menos de uma semana pude entender e contemplar o verdadeiro significado destas palavras.

Durante os 26 dias que estive por lá, duas ondulações encostaram na costa mexicana para delírio de muitos. Brasileiros, norte americanos, locais e pessoas dos mais diversos lugares desfrutaram um ótimo início de temporada! O primeiro grande swell do ano apareceu no dia 18 de maio e permaneceu bombando por uma semana aproximadamente. Coco Nogales, Oscar Moncada, Shane Dorian, Greg Long, Nic Lamb, Ian Walsh, os bodyboarders, Chui, Sean Morin e Brandon Foster foram alguns dos destaques. Ficou fácil compreender os motivos que levam a onda da praia de Zicatela, em Puerto Escondido, a ser chamada de Mexican Pipe. ALTAS ONDAS!!! Grandes, pesadas e tubulares!!!

Quando o mar diminuiu, a diversão foi garantida pela onda de Punta Colorada. Frequentada apenas por bodyboarders, a melhor definição que escutei, vinda de um atleta local, é que o lugar é um skate park para bodyboard. Preciso dizer mais?

No dia 30 de maio, o mar amanheceu em transformação e à tarde a ondulação que havia chegado era maior do que a anterior. Além de muitos dos atletas citados acima, Maya Gabeira, Ken “Skindog” Collins e muitos outros big riders desafiaram as morras. De fato, o tow in foi o que reinou durante dois dias. Novamente as ondas quebraram por mais de uma semana. Um verdadeiro espetáculo da natureza!!!

A cultura mexicana, pré-hispânica, dos índios locais mesmo, tem referencias de mais de 5 mil anos. Seu conhecimento sobre os astros, plantios e colheitas, arquitetura, sistemas de irrigação, engenharia, artesanato e outras áreas de conhecimento ainda hoje levantam dúvidas e curiosidades à respeito da sua magnitude!

Segundo o artista local Edgar Alvarez (Cron), no dia 15 de maio, em algumas localidades do país, é comemorado o dia de Quetzal Coatl. Existem várias lendas e contos referentes à esta figura mítica das culturas mesoamericanas (Azteca, Maia, Tolteca, entre outras). Reproduzo uma das histórias que escutei do pintor citado acima. Diz ele que quetzal (ave) coatl (serpente) é um dos Deuses reverenciados pelos povos locais, ele representa a união entre o céu e a terra (quando a água que desce das nuvens toca o solo), marca o início da temporada de chuva, orienta a época certa para semear, preparar a terra e colher. Coincidentemente, ou não, esta é a época das grandes ondulações no território de Quetzal Coatl!

Breve guia para aproveitar Zicatela, baseado em experiências pessoais:

- Altas temperaturas (pra cima dos 30 gruas diariamente!), água quente, árvores frutíferas, a comida boa e temperada, cerveja barata e as muitas cores da cultura local caracterizam o clima tropical do lugar.

- As pessoas (mexicanos) são bastante acessíveis e de boa fé, estão acostumados com a presença de turistas do mundo inteiro, porém o respeito ao lugar e a quem nele vive é imprescindível.

- A moeda local é o peso mexicano, a troca de dólares pode ser feita em bancos (melhores taxas) ou casas de câmbio, encontradas pelo lugar. Encontrei cotações variando entre 1 dólar = 10,50 pesos (aeroporto) e 1 = 11,15 (banco). Antes de sair do Brasil comprei dólares com a cotação de R$ 1,70 (reais)

- Os custos para estadia ficam entre R$ 15,00 e R$ 200,00 (reais), dependendo do grau de conforto que a pessoa busca. Minha dica é a pousada do brasileiro Vandielli (pode-se entrar em contato com ele pelo facebook Vandielle Esmael Dias). Local e pessoas muito bacanas! Vale a pena!!!

- Pra quem quer economizar na alimentação, uma opção é fazer compras no supermercado local Super Che e cozinhar em casa. Mas, come-se uma refeição muito boa entre 50 e 200 pesos (5 e 20 dólares, aproximadamente), de acordo com o tamanho da fome!

- Uma long neck (cerveja) gelada custa entre 10 e 20 pesos.

Aproveitando as ondas:

- O crowd, nos dias menores, é intenso! Vá para água “temprano” (cedo)!

- Pranchas de bodyboard: Vale a pena prestar atenção nos materiais que compõe sua prancha, a onda é bastante pesada e a água muito quente! Flexibilidade para uma boa cavada é uma boa pedida.

- Existe inúmeras opções além de Zicatela, ondas de nível internacional, para todos os gostos e níveis técnicos, corra atrás, quem procura acha!

- Equipamentos: por ser um surfspot de renome internacional, Zicatela conta com surfshops e bodyboardshops em abundância, caso precises de um leash, prancha, pé-de-pato ou coisas do gênero. Uma dica é a Seth Surfshop.

- Fotos e filmagens: existem fotógrafos e cinegrafistas clicando as ondas de todos de maneira intensiva o tempo inteiro. Basta uma volta nas surfshops locais no período da tarde, para encontrar os cliques da manhã. Porém, se tens a obrigação de produzir material para patrocinadores ou meios de comunicação, fica arriscado depender apenas do pessoal na areia. Nos dias grandes a atenção é dividida com caras de renome internacional e nos dias menores com o crowd. Edwin Morales e Angel Salinas são minhas indicações nesta area.

Galerias | Mais Galerias