#wqs #competições #surf 
Itacaré - Bahia - Brasil

Halley Batista vence o Mahalo Surf Eco Festival na Bahia

João Carvalho

Uma decisão nordestina do pernambucano com o potiguar Alan Jhones fechou a etapa do ASP World 4-Star apresentada pela Skol na Praia da Tiririca, em Itacaré

Sábado de Sol, calor e praia lotada para assistir a final nordestina do Skol apresenta Mahalo Surf Eco Festival em Itacaré, no litoral sul da Bahia. Um grande público encheu as areias e as pedras que formam uma arquibancada natural na Praia da Tiririca, no último dia da etapa inédita do Circuito Mundial da ASP em Itacaré. O pernambucano Halley Batista, 27 anos, acertou os aéreos para faturar o prêmio máximo de 15.000 dólares e os 1.000 pontos para o ASP World Ranking, válidos também para o Sul-americano da ASP South America. O potiguar Alan Jhones, 24 anos, fez grandes apresentações durante toda a semana e ganhou 7.500 dólares e 750 pontos pelo vice-campeonato em Itacaré.

“Deus mais uma vez me abençoou com outra vitória em eventos da Mahalo. Eu venci uma etapa do Circuito Brasileiro em Pernambuco meses atrás com boas ondas lá na Praia do Cupe (Ipojuca) também e hoje (sábado) aqui, a Tiririca provou que não pode ficar de fora do circuito. É uma onda que tem potencial, o lugar tem uma ´vibe´ muito boa, o público marcou presença lotando a praia e só tenho que agradecer a Deus por mais um troféu de campeão da Mahalo. Não estou nem acreditando que consegui isso de novo”, falou Halley Batista no pódio, depois de ser carregado pela torcida do mar até a arena do Mahalo Surf Eco Festival na Praia da Tiririca.

“Foi muito difícil a final, porque estava complicado de achar boas ondas pra fazer as manobras grandes”, disse Halley. “Aí decidi vir mais pro meio da praia e entrou uma onda mais emparedada, aí resgatei as últimas energias que tinha e acertei aquele aéreo girando ali que foi decisivo pra vitória. Foi muito bom o campeonato terminar com uma final nordestina, contra o Alan (Jhones) que é um mestre nos aéreos. Agora já parto pra Marguerita (Venezuela) mais confiante pra participar de um evento lá do Circuito Latino-americano que começa já nessa segunda-feira”.

Esta é a segunda vitória do pernambucano em etapas do Circuito Mundial da ASP. A outra, Halley conquistou no Japão no ano passado. Os dois finalistas se posicionaram em frente às pedras para pegar as direitas da Tiririca. A condição do mar estava bem parecida com as de Baía Formosa, cidade de Alan Jhones no Rio Grande do Norte. Foi nas direitas que ele despachou o campeão sul-americano do ano passado, o catarinense Jean da Silva, 28 anos, na primeira semifinal. Já Halley Batista barrou o defensor do título do Mahalo Surf Eco Festival, o capixaba Krystian Kymerson, 20 anos, na briga pela outra vaga na grande final em Itacaré.

DECISÃO DO TÍTULO – Alan Jhones abriu a decisão do título com uma manobra forte jogando água pra cima, mas errou o aéreo na finalização. Na seguinte, Halley Batista também voou alto, porém sem conseguir a aterrisagem. Alan Jhones vem na onda de trás manobrando na parede de outra direita e larga na frente, mas logo Halley pega uma boa onda e acerta o aéreo na finalização quase em cima das pedras para ganhar nota 5,5 e assumir a ponta.

“Mesmo não vencendo, fiz um excelente campeonato, passando várias baterias difíceis nessa semana toda, tirando notas altas, mas na final agora o mar piorou um pouco. Eu já sabia que quem achasse a onda boa e fizesse uma manobra diferente ia ser o campeão”, disse Alan Jhones. “O Halley (Batista) conseguiu isso, acertou os aéreos e venceu, mas ele merece porque corre o circuito mundial há vários anos e fazer essa final foi show pra mim. Eu estava numa fase meio difícil, sem bons resultados e o vice-campeonato em um WQS foi show também”.Alan responde com uma série de quatro manobras em uma onda, sem voar ainda, mas fez isso na seguinte para retomar a liderança da bateria. Halley rema mais para o meio da praia e acha uma direita com parede para mandar uma batida forte e uma rabetada na junção e o vira-vira continua a cada onda surfada pelos finalistas. Depois, ambos começaram a arriscar os aéreos. Os primeiros não acertaram, até Halley usar a arma mortal dele, o aéreo 360, para ganhar nota 8,43 e confirmar a vitória por 14,26 a 9,07 pontos.

SEMIFINALISTAS – O Mahalo Surf Eco Festival apresentado pela Skol foi iniciado na terça-feira com 113 surfistas de dez países, mas só os últimos estrangeiros foram barrados na sexta-feira. O sábado decisivo começou pelas quartas de final, com o potiguar Alan Jhones tirando o último baiano da disputa do título, o surfista de Itacaré, Alandreson Martins. Já a primeira vitória do campeão Halley Batista foi no duelo pernambucano com Gabriel Farias. Nas semifinais, os dois confirmaram a decisão nordestina com as vitórias de Alan Jhones sobre o catarinense Jean da Silva e de Halley Batista sobre o capixaba Krystian Kymerson.

“Infelizmente não achei as ondas na semifinal e caí nas manobras que poderiam fazer a diferença, mas estou feliz com o terceiro lugar também”, falou Krystian Kymerson, que venceu a última edição do Surf Eco Festival realizada em Salvador no ano passado e tentava um inédito bicampeonato na história do evento em Itacaré. “O Halley (Batista) é um bom surfista, sabe competir bem, mereceu ir pra final e só tenho que agradecer a esse público que lotou a praia hoje e a todos que torceram por mim”.

“A condição do mar foi ficando cada vez mais difícil por causa do vento, as ondas ficaram bem mexidas, mas até que achei umas boas, só que acabei errando as manobras e o Alan (Jhones) está surfando muito bem, então mereceu vencer mesmo”, destacou Jean da Silva, que já parte para Portugal, para participar de uma etapa do ASP World Prime em Cascais. “Estou feliz porque fazer uma semifinal num WQS com tantos surfistas bons como aqui, já é um bom resultado. Mostrei que estou com um bom ´rip´ de competição e vamos pra Portugal agora tentar surfar bem lá também”.O catarinense Jean da Silva foi o destaque da sexta-feira na Praia da Tiririca e confirmou o favoritismo de campeão sul-americano contra o cearense Artur Silva no primeiro duelo do sábado em Itacaré. Mas, Alan Jhones surfou de forma incrível na semifinal e Jean dividiu o terceiro lugar no Mahalo Surf Eco Festival com Krystian Kymerson, cada um recebendo 4.250 dólares de prêmio e 563 pontos para os rankings mundial e sul-americano.

O Mahalo Surf Eco Festival foi realizado pela Dendê Produções com apresentação da Skol e patrocínio da Mahalo, Petrobras, Bahiatursa e Prefeitura Municipal de Itacaré, além do apoio da Backdoor, Instituto de Turismo de Itacaré, Federação Baiana de Surf e Associação de Surf de Itacaré. O evento foi homologado pela ASP South America como uma etapa do ASP World 4-Star com premiação de 95 mil dólares valendo 1.000 pontos para o ASP World Ranking e foi transmitido ao vivo pela internet no www.surfecofestival.com.br

FINAL DO SKOL APRESENTA MAHALO SURF ECO FESTIVAL:

Campeão: Halley Batista (BRA-PE) com 14,26 pontos – US$ 15.000 e 1.000 pontos

Vice-campeão: Alan Jhones (BRA-RN) com 9,07 pontos – US$ 7.500 e 750 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar – US$ 4.250 e 563 pontos:

1.a: Alan Jhones (BRA-RN) 15.10 x 14.74 Jean da Silva (BRA-SC)

2.a: Halley Batista (BRA-PE) 12.90 x 9.00 Krystian Kymerson (BRA-ES)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar – US$ 2.250 e 422 pontos:

1.a: Jean da Silva (BRA-SC) 11.84 x 9.10 Artur Silva (BRA-CE)

2.a: Alan Jhones (BRA-RN) 14.37 x 6.13 Alandreson Martins (BRA-BA)

3.a: Halley Batista (BRA-PE) 10.20 x 8.73 Gabriel Farias (BRA-PE)

4.a: Krystian Kymerson (BRA-ES) 14.60 x 13.26 Victor Bernardo (BRA-SP)

RANKING SUL-AMERICANO DO ASP SOUTH AMERICA SURF SERIES – Final das 5 etapas de 2013:

1.o: Gabriel Medina (BRA-SP) – 4.225 pontos

2.o: Raoni Monteiro (BRA-RJ) – 4.225

3.o: Simão Romão (BRA-RJ) – 3.320

4.o: Jadson André (BRA-RN) – 3.320

5.o: Bernardo Pigmeu (BRA-PE) – 2.400

6.o: Gabriel Villarán (PER) – 1.930

7.o: David do Carmo (BRA-SP) – 1.685

8.o: Halley Batista (BRA-PE) – 1.513

9.o: Thiago Guimarães (BRA-SP) – 1.074

10: Santiago Muniz (ARG) – 1.062

11: Hizunomê Bettero (BRA-SP) – 993

12: Alan Jhones (BRA-RN) – 987

13: Jean da Silva (BRA-SC) – 943

14: Jihad Khodr (BRA-PR) – 928

15: Ricardo dos Santos (BRA-SC) – 897

16: Alvaro Malpartida (PER) – 883

17: Manuel Selman (CHL) – 874

18: Heitor Alves (BRA-CE) – 843

19: Jano Belo (BRA-PB) – 815

20: Flavio Nakagima (BRA-SP) – 796

Galerias | Mais Galerias