#surf #big surf #ondas grandes 

Greg Long sofre acidente em Cortes Banks

Pedro Esteves

“…admito que excedi os meus limites, e por mais que treine haverão sempre elementos de risco e perigo que estarão fora do meu controle…”

O surfista de San Clemente (Califórnia), Greg Long, na sexta feira passada a tarde, sofreu uma grave vaca em Cortes Bank. Foi tão grave que teve que ser imediatamente transportado, de helicóptero, para o hospital mais próximo.

Num comunicado à surfermag, Greg explica tudo o que se passou, a importância de estar preparado para este tipo de situações e agradece a equipe que o salvou.

“Obrigado a toda a comunidade de amigos, família e todos que me apoiaram, pela preocupação, amor, apoio e orações.

Já me encontro em casa, depois de ter passado 24h num hospital em San Diego para observações e medidas de precaução, devido à experiência de um quase afogamento, e do impacto de quatro ondas de série (gigantes) de que fui vitima. Comecei na segunda onda da série e fui forçado a recuar. Depois de ter suportado uma violenta sustentação da respiração, mal conseguia chegar à superfície, e quando estava prestes a chegar, quebrou em cima a terceira onda. Naquele momento, já não tinha mais oxigênio, e praticamente tinha perdido a consciência à medida que ia sendo empurrado violentamente para o fundo do oceano. Tentei nadar para a superfície, sempre que a onda me permitia. Quando realmente senti que a força do oceano estava passando, trepei pelo meu Leash, na esperança de chegar à superfície antes de desmaiar. Alcancei a rabeta da minha prancha, quando esta ainda estava submersa, até que, devido à falta de oxigênio, apaguei completamente.

Três operadores de salvamento (DK Walsh, Jon Walla e Franl Quiarte) estavam me seguindo desde o início do meu wipeout, o que facilitou a minha localização. Fui rapidamente localizado boiando ao lado da minha prancha. DK Walsh, saiu do jet ski, e virou a minha cabeça para cima. Jon Walla, entretanto chegou no seu jet ski, e juntos colocaram-me a salvo. Comecei a recuperar a consciência à medida que nos aproximávamos do barco de apoio, mas ao mesmo tempo vomitava água e sangue. Já no barco, fui devidamente assistido e estabilizado pelos paramédicos, que também faziam parte da equipe de salvamento. Chegou um helicóptero da Coast Guard, que me transportou de imediato para o hospital de San Diego.

Ter treinado para segurar a minha respiração neste tipo de condições violentas, permitiu-me nunca entrar em pânico ou perder a confiança em como iria sobreviver a este acidente. No entanto, admito que excedi os meus limites, e por mais que treine haverão sempre elementos de risco e perigo que estarão fora do meu controle, quando surfo ondas deste tamanho. Por causa destes elementos de risco, sempre insisti em trabalhar ao lado de pessoas, que como eu partilham o mesmo tipo de treino. Humildemente, expresso a minha imensa gratidão a equipe de salvamento e colegas de surf, cujo treino e rápida resposta, contribuíram para salvar minha vida”, diz Greg Long.