#prime 

Gabriel Medina é vice-campeão da Vans World Cup no Havaí

João Carvalho

Faltou meio pontinho para o brasileiro tirar o título do australiano Adam Melling, que confirmou sua vaga no WCT 2013 com a vitória em Sunset Beach na terça-feira

O Brasil marcou presença nas finais das duas provas da Tríplice Coroa Havaiana. O catarinense Alejo Muniz ficou em quarto lugar na primeira delas em Haleiwa e foi até as semifinais em Sunset Beach. Perdeu na bateria vencida pelo paulista Gabriel Medina, que por meio pontinho não conquistou o título da Vans World Cup of Surfing. Com a nota 9,33 da sua última onda, o australiano Adam Melling garantiu a vitória e a sua permanência na elite do WCT com os 6.500 pontos do último ASP Prime do ano no Havaí. O líder da Tríplice Coroa, Sebastien Zietz, ficou em terceiro lugar e outro australiano, Adrian Buchan, completou o pódio na terça-feira na ilha de Oahu.

A bateria decisiva foi uma das melhores do campeonato. Zietz largou na frente com a nota 7,67 da sua primeira apresentação e liderou até as últimas ondas surfadas pelos outros competidores nos minutos finais. Quando restavam 10 minutos, Medina entrou na briga do título, saindo do quarto para o segundo lugar com o 7,5 recebido pelas duas manobras fortes de backside que executou em uma boa direita em Sunset Beach. Mas, toda a emoção ficou para a série que entrou nos últimos minutos e que decidiram o campeonato.

Adrian Buchan precisava de 7,58 pontos para a vitória e pegou a primeira, mandou três rasgadas jogando água pra cima, vibrou com a onda, mas recebeu nota 7,13. Adam Melling veio na seguinte manobrando forte em uma direita da série para conseguir 6,88, arriscou tudo e foi premiado com uma nota 9,33, a maior da final, saltando do último para o primeiro lugar. Mas, Gabriel Medina ainda surfou um lindo tubo de backside, saiu limpo e ainda mandou um cutback seguido por uma batida.

Para conquistar um terceiro título do Brasil em Sunset Beach e repetir o feito de Fábio Gouveia em 1991 e de Raoni Monteiro em 2010, ele teria que tirar 8,67 pontos dos juízes. Mas, a nota saiu 8,17 e por meio ponto a vitória ficou para o australiano Adam Melling, que precisava exatamente deste resultado para garantir sua vaga no WCT. O placar foi encerrado em 16,16 pontos para o campeão, com o brasileiro ficando em segundo lugar com 15,67 e Sebastien Zietz terminou em terceiro com 13,70.

O havaiano lidera com folgas a corrida pelo título da Vans Triple Crown of Surfing, que vale um bônus de 100 mil dólares, além de uma moto Harley Davidson e um relógio Nixon cravejado de diamantes, prêmios oferecidos em comemoração pelo trigésimo aniversário das três provas que fecham a temporada no Havaí. Zietz já faturou 40 mil dólares pela vitória em Haleiwa e mais 12 mil dólares pelo terceiro lugar em Sunset Beach.

O Brasil começou muito bem a terça-feira decisiva da Vans World Cup, com 100% de classificação nas oitavas de final que abriram o último dia. Começou com o paulista Jessé Mendes despachando as feras Kelly Slater e Damien Hobgood na bateria vencida por Adrian Buchan. Depois, o catarinense Ricardo dos Santos barrou o defensor do título da Tríplice Coroa Havaiana, John John Florence, para passar atrás de outro australiano, Perth Standlick.

Já o catarinense Alejo Muniz manteve a invencibilidade na World Cup na bateria que eliminou o temido havaiano Sunny Garcia. E Gabriel Medina conquistou a última vaga para as quartas de final, ficando atrás do campeão Adam Melling no primeiro encontro dos dois na terça-feira em Sunset Beach. Os brasileiros continuaram fazendo grandes apresentações nas ondas de 6-8 pés e Jessé Mendes ganhou a primeira disputa por classificação para as semifinais, tirando mais dois tops do WCT, o francês Jeremy Flores e o australiano Kieren Perrow.

Gabriel Medina venceu a terceira quarta de final e na última Adam Melling impediu uma dobradinha catarinense de Alejo Muniz com Ricardo dos Santos. Alejo ficou com a última vaga nas semifinais e Ricardinho terminou em 13.o lugar na Vans World Cup of Surfing, mas já está confirmado para reforçar o Brasil no Billabong Pipe Masters, que finaliza o ASP World Tour 2012 nos dias 8 a 20 de dezembro em Banzai Pipeline.

Nas semifinais, Jessé foi superado por Sebastien Zietz e Adrian Buchan e encerrou a sua ótima participação em Sunset Beach dividindo o quinto lugar com o também jovem australiano Perth Standlick, um dos destaques da Tríplice Coroa Havaiana neste ano. Na outra disputa por duas vagas na grande final, Gabriel Medina derrotou Adam Melling, mas o australiano passou em segundo lugar com Alejo Muniz ficando em último em uma das baterias mais fracas de ondas da terça-feira no Havaí.

Além do campeão Adam Melling, o também australiano Kieren Perrow e o americano Brett Simpson, ultrapassaram os 16.000 pontos no ranking unificado e confirmaram as suas permanências entre os top-34 do WCT 2013 pela lista dos dez indicados pelo ASP World Ranking. Do Brasil, os garantidos para o ano que vem são os paulistas Adriano de Souza, Gabriel Medina, Miguel Pupo e Filipe Toledo como uma das novidades da elite, além do catarinense Alejo Muniz.

O cearense Heitor Alves, o carioca Raoni Monteiro e o potiguar Jadson André, têm chances matemáticas de ingressar no grupo dos top-22 do WCT que permanecem na divisão principal do Circuito Mundial no último desafio do ano. Heitor e Raoni precisam no mínimo de um nono lugar para isso, enquanto para Jadson só interessa a vitória no Pipe Masters. Raoni deve receber um dos dois wildcards (convites) que a ASP reserva para os atletas que se contundiram durante a temporada, mas Heitor e Jadson têm que conquistar suas vagas dentro d´água.

Já o catarinense Willian Cardoso, que saiu do G-10 do ranking unificado em Sunset Beach, ainda tem uma última esperança de reforçar o Brasil no ano que vem. Ele vive a expectativa de poder disputar classificação com um convite para competir no Billabong Pipe Masters. Caso contrário, terá de esperar para que dois surfistas da elite entrem nos top-22 e abram duas vagas na lista dos dez indicados pelo ASP World Ranking.

Isto porque Willian, como em 2011, terminou como segundo "alternate" (substituto) para a próxima temporada. A torcida maior será para Brett Simpson, o também americano Kolohe Andino e para o australiano Kieren Perrow, que venceu o Pipe Masters no ano passado. Entre os que ficaram de fora do G-10, o primeiro "alternate" no momento é o americano Patrick Gudauskas, que saiu da zona de classificação com a vitória de Adam Melling em Sunset. Quatro brasileiros ficaram logo abaixo, com Willian Cardoso em 33.o no ranking, Raoni Monteiro em 34.o, Jean da Silva em 35.o e Heitor Alves em 36.o lugar.

FINAL DO ASP PRIME VANS WORLD CUP OF SURFING EM SUNSET BEACH:

Campeão: Adam Melling (AUS) com 16,16 pontos (9.33+6.83) - US$ 40.000 e 6.500 pontos

Vice-campeão: Gabriel Medina (BRA) com 15,67 (8.17+7.50) - US$ 20.000 e 5.200 pontos

Terceiro lugar: Sebastien Zietz (HAV) com 13,70 (7.67+6.03) - US$ 12.000 e 4.450 pontos

Quarto lugar: Adrian Buchan (AUS) com 13,26 (7.13+6.13) - US$ 10.000 e 4.000 pontos