#poluição #clima 

Estudo: clima do mundo ficará mais 'selvagem'

Associated Press

O mundo - especialmente na costa Oeste dos Estados Unidos, a região mediterrânea e o Brasil - vão possivelmente sofrer secas mais severas, chuvas intensas e mais ondas de calor durante este século por causa do aquecimento global, um novo estudo prevê.

Numa apresentação de um relatório internacional importante de mudança de clima, que sai o ano que vem, um estudo do Centro Nacional para Pesquisas Atmosféricas diz que nove dos melhores modelos de computador do mundo predizem que o clima será extremo.

"Será um clima mais selvagem, especialmente para regiões específicas," disse Claudia Tebaldi autora do estudo, uma cientista do centro acadêmico.

Tebaldi apontou a costa Oeste dos EUA, as nações mediterrâneas e o Brasil como "áreas de tensão" que receberão extremos em seu pior grau, de acordo com os modelos de computador.

E alguns lugares, tal como o Noroeste do Pacífico, são preditos receber mistura estranha de secas prolongadas pontuadas por chuvas muito pesadas.

Como o mundo aquece, haverá mais possibilidade de chuve no Oceano pacífico tropical, e isso mudará o fluxo de ar para certas áreas, muito parecida com as oscilações que o El Nino produz agora, disse Gerald Meehl, co-autor de estudo, um programador de modelos de computador no centro de pesquisa. Essas mudanças afetarão os EUA. O oeste da Austrália e Brasil, mesmo estando no litoral Leste da América de sul.

"Acontecimentos extremos são os tipos de coisas que têm os maiores impactos, não só em seres humanos, mas em mamíferos e as ecossistemas," Meehl disse. O estudo, a ser publicado na edição de dezembro da revista peer-reviewed journal Climatic Change "dá-nos evidência mais forte e maior de que estas mudanças de extremos serão mais prováveis."

Os pesquisadores tomaram 10 índices internacionalmente reconhecidos que medem extremos de clima - cinco ligados com a temperatura e cinco com precipitação - e rodaram modelos de computador para o mundo até o ano de 2099. O que Tebaldi chamou os resultados mais assustadores são com as ondas de calor e noites quentes. Tudo sobre ondas de calor - sua intensidade, comprimento e ocorrência - se agrava.

"As mudanças são muito significativas," Tebaldi disse. "É suficiente dizer que nós estamos indo para um futuro mau."

"É uma perturbação do equilíbrio que ira ainda durar muitos séculos," Tebaldi disse. Mas anotou que uma estação mais prolongada de crescimento em general é boa.

"Esta noção do esverdeamento do planeta... geralmente é um benefício positivo," Christy disse.

Christy, que não participou no estudo mas reconhece que o aquecimento global é real e artificial, disse que um aumento em temperaturas baixas noturnas faz muito mais sentido que as previsões de chuva e de seca do estudo.

Um das mudanças maiores preditas na precipitação está na intensidade de chuva e neve. Esse meio, Tebaldi disse, "quando chove, chove mais" ainda que não chova tão freqüentemente.

Galerias | Mais Galerias