#tubarões 
Flórida - Estados Unidos

Da Tragédia a Algo Positivo

SurfTotal

Sobreviventes de ataques de tubarões unem-se para ajudar a salvar espécies em vias de extinção

Tudo começou em 2004, quando a jornalista e ambientalista Debbie Salamone (USA) foi atacada por um tubarão, ao largo da costa da Flórida nos Estados Unidos. Após o ataque, ficou com o tornozelo do pé direito em muito mau estado e teve mesmo de ser submetida a uma cirurgia.

Durante os meses de recuperação e sendo o tema de escrita de Debbie o meio ambiente, ela interrogava-se a si mesma o porquê da natureza se ter virado contra ela. Após um período de reflexão, percebeu que na verdade tudo não passou de um teste ao seu amor pela natureza e oceanos. A partir daqui, ficou com a noção de que a natureza não estava contra ela e que na realidade todos os tubarões fazem parte de um maravilhoso ecossistema, o qual ajudam também a salvar. “Foi aqui que decidi que tinha de salvar o mais perigoso predador dos oceanos”, diz Debbie no facebook.

Foi nesta altura que abandonou a sua carreira como jornalista e decidiu tirar um mestrado em ciências políticas e ambientais. Mais tarde, juntou-se a uma organização (não-governamental) The Pew Charite Trusts, que ajuda a salvar tubarões.

Ao perceber que estava numa posição privilegiada decidiu que a melhor maneira de ajudar os tubarões era encontrar outras vítimas de ataques de tubarão, e unidos ajudar a referida organização, ao mesmo tempo dando voz a estes perigosos animais. Com as suas excelentes capacidades de investigação jornalística, e usando o seu facebook conseguiu reunir e recrutar 20 sobreviventes de ataques de tubarão, desde os Estados Unidos, Europa, Austrália e África do Sul.

Quando os abordou pela primeira vez, todos eles reagiram com entusiasmo e acordaram, além de apoiar esta causa, em juntar-se numa viagem a Nova York, numa visita às Nações Unidas para alertar sobre a pesca excessiva de tubarões em determinados países. Assim como também falar sobre planos de conservação destes animais, criando mesmo santuários onde a pesca comercial de tubarões fosse banida.

“Todas as semanas divulgamos histórias sobre tubarões. As pessoas vêm um grupo como o nosso e pensam que vale a pensa salvar tubarões, talvez elas também devam começar a fazer”, diz Debbie no facebook.

Galerias | Mais Galerias