Pontal do Paraná - Paraná - Brasil

Começou a caça aos tubarões antropófagos

A Voz da Rússia

No Recife eles caçam, mas soltam de novo, sob o pretexto de fazerem uma pesquisa que não tem fim nem resultados públicos! Foi na Rússia que lançaram caça aos tubarões antropófagos, na região de Primorie, litoral extremo Leste do país.

A 17 de agosto, na baía de Teliakovski no sul no distrito de Khasan, um predador abocanhou Denis Udovenko, de 25 anos, nos braços.

No dia seguinte, Valeri Sidorovitch, de 16 anos, foi gravemente ferido perto da ilha de Jeltukhin. Depois disso, foi decidido fechar as praias de Primorie, e estabelecer patrulha de 24 horas na zona de natação.

No entanto, o cardume de tubarões continua perto da costa, e as autoridades locais resolveram pegar os mais “curiosos”, isto é, aqueles que são agressivos e nadam perto da costa.

Três navios seiner e um barco de pesca saíram à caça dos tubarões. Marinheiros e cientistas tentarão encontrar e capturar os predadores que feriram pessoas na semana passada. Não têm dúvida de que havia dois tubarões.

O caráter das lesões e uma descrição da aparência do predador que tinha privado Denis Udovenko das mãos, definitivamente indicam que era um grande tubarão branco - o maior entre todos os existentes. Mas Valeri Sidorovitch foi mordido por tubarão-mako azul-cinza, disse o pesquisador associado do Instituto de Biologia Marinha da Academia das Ciências da Rússia, Vladimir Dolganov.

Dois pedaços de dente foram encontrados na ferida, e ajudaram a identificar a espécie. Determinamos definitivamente que são dentes de mako. Têm uma estrutura específica. A distância entre os topos dos dentes, o chamado “ancinho”, é entre 2,5 a 3 centímetros, e entre os laterais é de 1,5 centímetros. O que permite afirmar com alto grau de probabilidade que era um tubarão-mako de 3 metros de comprimento. O rapaz estava de traje de mergulho. É difícil dizer porque o animal mordeu ele, que não o tinha provocado.

O tubarão-mako, ou tubarão anequim, é um grande peixe da família Lamnidae. O seu comprimento pode chegar a quatro metros. É uma das espécies de tubarão mais agressivas, são muito perigosos para os humanos. É visto muitas vezes ao longo da costa do Extremo Oriente, mas geralmente não vai até águas rasas.

O grande tubarão branco, pelo contrário, é um visitante raro em Primorie. Normalmente prefere climas mais quentes. Mas, recentemente, os cientistas têm registrado um aumento significativo na temperatura da água nos mares do Extremo Oriente. Isso atrai as criaturas das latitudes sul, incluindo as tropicais, às águas de Primorie e do mar de Sakhalin.

Um escritor de Extremo Oriente, Iuri Charapov, está convicto de que tubarões apareceram na região de Primorie há muito tempo. Só que ninguém tinha falado disso. No livro, “Cabo de Gamov”, publicado há seis anos, Charapov tinha previsto que tubarões iriam atacar os habitantes de Primorie. Então, as pessoas riram dele. Mas neste verão chegaram a acreditar. Os últimos 40 exemplares do livro “Cabo de Gamow” venderam-se como bolos quentes.

Agora Charapov está pensando em editar novamente o livro.

As estatísticas mundiais mostram que acontece cerca de uma centena de ataques de tubarão contra seres humanos a cada ano. Nem todos os casos são letais, mas as lesões são geralmente muito graves. É preciso tomar precauções em contatos com os animais selvagens. E especialmente não tentar perseguir tubarões. Trata-se principalmente daqueles que têm sede de aventura e decidiram caçar predadores imitando profissionais. Administração Marítima e a polícia emitiram um aviso aos aventureiros, lembrando que tal “pesca” pode ter um fim muito triste.

Galerias | Mais Galerias