#brasileiro #longboard #surf 
Camaçari - Bahia - Brasil

Cearense supera limitações físicas e é destaque no brasileiro de pranchão

Yordan Bosco

Em um dia de ondas boas e muitas disputas, o destaque foi cearense Geraldo Lemos. A limitação de nascença no braço direito não o impediu de estar entre os melhores do país, de fazer o maior score de hoje (6) e de derrotar Picuruta Salazar

As disputas de hoje (6) do Mahalo Bahia Festival surf 2012 foram destinadas à quarta etapa do Circuito Brasileiro de Longboard Profissional. Ao todo, foram 24 bateria em ondas de boa qualidade, com apresentações dos melhores surfistas do país no pranchão. Quem roubou a cena foi o cearense Geraldo Lemos, quarto colocado no ranking deste ano. ‘Local’ da famosa comunidade do Titanzinho, em Fortaleza, ele fez as maiores notas e pontuações do evento e derrotou na segunda fase o decacampeão brasileiro Picuruta Salazar.

Hoje o vento diminuiu um pouco e as ondas melhoraram a formação e o tamanho. Os melhores longboarders do Brasil encheram os olhos da galera que foi prestigiar o evento, na praia do ‘Hotel Antigo’, em Itacimirim. A quarta etapa do Circuito Brasileirod e Longboard fez parte do Mahalo Bahia Festival Surf 2012, que segue até o próximo domingo (8). Além da terceira fase do profissional, amanhã acontecem as categorias amadoras do longboard e as provas do stand up (pranchas com remo).

Superação – Em uma das baterias mais esperadas do dia, o Geraldo Lemos não deu chances ao decacampeão brasileiro e uma das figuras mais notórias do surf nacional, Picuruta Salazar, e fez o escore de 14,34 x 13,36 pontos sobre o santista.

O cearense, que desde pequeno aprendeu a superar uma deficiência de nascença no braço direito para surfar, ignorou as adversidades mais uma vez e ainda fez o maior escore do dia (16,27 pontos), na primeira fase. No confronto contra o baiano Ewandro Balalai, a pernambucana Atalanta Batista e o conterrâneo Marcelo Bibita, ele fez duas ondas com notas acima dos 8 pontos.

Lemos surfa de forma impressionante e une manobras modernas, de pranchinha, com as clássicas andadas no bico.Ele é um grande exemplo de superação, pois os problemas que enfrentou não o impediram de iniciar no esporte aos 9 anos de idade e hoje estar entre os melhores do Brasil.

“A deficiência é de nascença e realmente atrapalha minha remada. É uma superação, pois uso uma das pernas para ajudar. Mas mesmo assim estou lutando entre os melhores”, conta Lemos. Ele explica que além da limitação física teve que driblar a censura dos pais que não queria que ele iniciasse no esporte.

Favoritos vivos - Picuruta Salazar, que chegou como terceiro colocado no ranking, foi um dos poucos favoritos que deram adeus à prova. O atual líder do circuito e campeão mundial de 2007, Phil Razjman, passou adiante, assim como o vice-líder e campeão brasileiro de 2011, Danilo Rodrigo, o ‘Mulinha’.

Eles venceram tranquilamente os duelos contra o sergipano Robinson Fraga e o paulista Paulo Giachetti, respectivamente. Os brasileiros melhores colocados no circuito mundial do ano passado, Rodrigo Spainer (RJ) e Amaro Mattos (SP), também se impuseram diante dos adversários e o passaram adiante.

Destaque também para o campeão da prova de Itacimirim em 2011, o carioca Marcelo Freitas. Ele derrotou na segunda fase o paulista Carlos Pereira. Entre os baianos, Carlos Bahia (radicado no litoral paulista) e Rogério Vasconcelos passaram à terceira fase e entram na água amanhã, contra Jeferson Silva e Amaro Mattos. Na segunda fase, Bahia havia vencido o confronto contra o pernambucano Nascimento ROCAM, pelo placar de 14,30 x 16,47 pontos. Já Vasconcelos venceu o duelo local contra Tássio Rocha, por 11,90 x 6,90.

O Mahalo Bahia Surf Festiva tem patrocínio da Mahalo, do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria do Turismo e da Bahia Turismo, e da Prefeitura Municipal de Camaçari. Conta com os apoios da Asa Classic Wear, Edye Radical CO., Bivolt, Teccel, Pousada da Espera, Transamérica FM, Woohoo, ESPN e Wave Beach. O evento é uma realização da Associação Brasileira de Longboard (ABL) e da Associação Nordestina de Surf (ANS) e conta tem a homologação da Confederação Brasileira de Surf (CBS) e da Federação Baiana de Surf (FBSurf).

Galerias | Mais Galerias