#competições #ondas grandes #big surf #surf 

Carlos Burle é o Brasil no Eddie Aikau

Marcelo Sá Barreto - JConline

Pela terceira vez seguida o pernambucano vai ser o representante da nação do evento mais glamouroso da ASP

Pela terceira temporada seguida, o pernambucano Carlos Burle vai representar o Brasil no Quiksilver in Memory of Eddie Aikau. O evento de ondas grandes, disputado em Waimea Bay, no Havaí, é considerado o mais glamouroso do tour e reúne celebridades do mundo do surfe, que vão de Kelly Slater ao menino-prodígio havaiano John John Florence, de 20 anos. Burle faz parte de um seleto grupo de 28 notáveis – mais 28 reservas que entram só em caso de desistência –, que se destacam pelo mundo afora descendo ondas em condições extremas. Na América do Sul, apenas o pernambucano e o peruano Ramon Navarro integram o time de titulares do Eddie Ailkau.

No Brasil, a convocação trouxe algum descontentamento. Nas redes sociais, simpatizantes do surfe mostraram desgosto pelo ausência do baiano Danilo Couto no card principal. Na temporada 2010/2011, o surfista radicado em Maui, no Havaí, foi o destaque do ano segundo o Billabong Award, considerado o Oscar das ondas gigantes.

Campeão mundial de surfe em condições extremas, Carlos Burle é considerado um dos papas da modalidade. Este ano, que pode ser o de sua aposentadoria das competições, o pernambucano venceu a primeira etapa do Circuito Mundial de ondas grandes, no Peru, do qual foi o vencedor em 2012/2011.

CERIMONIAL

Eddie Aikau, ex-salva-vidas havaiano e amante das grandes ondas, morreu em serviço. Era um dos integrantes de uma travessia festiva quando o Hokulea, barco em que estava a bordo, começou a afundar. Com sua prancha, mas em alto-mar, tentou chegar à praia para pedir ajuda e nunca mais foi encontrado.

O cerimonial do Eddie Aikau é dos mais rígidos. O período de espera pelas melhores condições para se realizar o campeonato vai de 1º de dezembro até o 28 de fevereiro. Isso porque o evento só pode ser feito se Waimea apresentar ondas com mais de sete metros de altura – ou 21 pés.

Um dos pontos altos da festa é a reunião de todos os big riders, como são conhecidos os caçadores de ondas gigantes, no fundo de Waimea, onde formam um círculo e celebram a memória de Eddie com orações e jogando flores no mar.

reportagem do JC online