#ecologia 
Tibau do Sul - Rio Grande do Norte - Brasil

As tartarugas marinhas e o projeto TAMAR Tibau do Sul

Tatianne Andrade

Promovendo o meio ambiente, as comunidades litorâneas e o conhecimento das tartarugas marinhas no Brasil.

Dia mundial do meio ambiente!

Eis a frase que chama atenção de todos os ambientalistas no mundo, que se voltam para as atividades ambientais de mobilização e reflexão, de como nós (homens), estamos agindo diante de uma realidade ambiental.

Diversos projetos de pesquisas científicas, bem como de educação ambiental, se esforçam por uma conservação e preservação da fauna e flora, buscando também a harmonização entre o estilo de vida do homem e o estilo natureza, ou seja, estilo sustentável. Exatamente, esta é a grande palavra-chave do século XXI: Sustentabilidade!

No Brasil, um grande exemplo de projeto bem sucedido de sustentabilidade, é o programa de conservação de tartarugas marinhas, o Projeto TAMAR, que tem o reconhecimento do seu trabalho mundialmente. Possui 23 bases de pesquisas espalhadas em 9 estados do Brasil. O Rio Grande do Norte possui a mais recente base, localizada no município de Tibau do Sul, na praia da Pipa, agora possui também uma sede administrativa na capital do Estado, Natal, em parceria com o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), área militar.

As atividades de monitoramento em Tibau do Sul começaram há onze anos. Atualmente 39 km na área do Rio Grande do Norte são protegidas. A principal espécie que ocorre na região é a tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), com cerca de 98% dos ninhos identificados. As atividades de monitoramento, no auge da temporada reprodutiva, que ocorre de dezembro a abril, são executadas no período noturno, conhecida também como "tartarugadas", na expectativa de flagrar a fêmea desovar e realizar biometria (medidas da tartaruga), coleta de material genético, marcação ou remarcação com as anilhas metálicas e a marcação do ninho com uma estaca,. Após a marcação do ninho, por volta de 58 dias os filhotes começam a nascer e as atividades se voltam para as aberturas de ninhos, realizando a analise da viabilidade dos ovos e o sucesso de nascimento.

Além dos monitoramentos nas praias, são executados programas em educação ambiental no santuário ecológico da Pipa com a participação de escolas e universidades. Também são realizadas aberturas públicas de ninhos para liberação dos filhotes.

O alicerce do sucesso do Projeto TAMAR está na inclusão social e geração de empregos, envolvendo as comunidades litorâneas e gerando uma alternativa de renda que leva a não necessidade de utilizar as tartarugas como fonte de alimentos ou matéria prima e ainda promove o crescimento da comunidade e do conhecimento científico.

O TAMAR busca manter as bases atualmente existentes. No Rio Grande do Norte, a disponibilidade de recursos financeiros é um fator decisivo para a execução de novos trabalhos, sendo relevante também a parceria de instituições que estejam interessadas em aprofundar o conhecimento e a conservação das tartarugas marinhas.

Veja o vídeo e conheça um pouco sobre as tartarugas que convivemos no mar.

http://www.youtube.com/watch?v=SlEix6dZYI0

Galerias | Mais Galerias