#surf #big surf #ondas grandes 
Hawaii - Estados Unidos

Ano novo, vida nova, mas o mesmo foco: Pegar a bomba!

Felipe Cesarano

Abandonar Pipeline perfeito e a bagunça do Réveillon para surfar Jaws?! Com certeza, não parece eu! O pior é que foi isso mesmo que fiz. Não só eu, mas a maior galera, inclusive locais de peso de Pipe, como JOB, John John Florence, Kalani Chapman...

A previsão era de rolar três dias em Jaws incríveis, porém é difícil prever a natureza. O primeiro dia foi horrível, marola e chuva o dia todo. O “circo” armado e nada rolando! E o pior de tudo era a notícia de que Pipe estava clássico e com alguns brasileiros fazendo a cabeca, como Fun, Ricardinho, Dennis, Lapinho, Danilo, entre outros. Doeu o coração, mas fazer o quê? Para mim Jaws é a prioridade e não dá para abraçar o mundo, né?!

Dos três dias de onda, apenas um (último dia do ano) valeu a pena mesmo. Tinha umas séries de 20 pés, pouco vento, altas ondas, porém um crowd surreal, provavelmente umas 40 a 50 pessoas. Loucura total! E pior é que tinha de tudo, desde os melhores do mundo até a galera no meu estilo (seja o que Deus quiser!), mas já com algum know how. Sem falar de uns loucos desavisados e alguns despreparados que estavam empolgados com a modinha e os coletes milagrosos que, ao serem acionados, inflam e te levam para superfície rapidamente. Mas é aí que mora o perigo. Muita gente confiando na roupa e sem preparo ou experiência. Uma vez que ela não abre, FUDEU!

Greg Long, um dos big riders mais bem preparados e focados no mundo, quase passou dessa para uma melhor surfando em Cortes Bank no swell do Natal. Parece que a roupa não abriu e ele ficou três ondas embaixo d’água e foi encontrado apagado. Graças a Deus tinha uma equipe bem preparada de resgate com helicóptero para levá-lo direto ao hospital, onde foi muito bem atendido e deu tudo certo. Lá em Jaws teve um moleque que saiu chorando e em estado de choque! Ele continuou chorando por pelo menos mais duas horas. Provavelmente, esse aí não volta mais. Hahahaha!

Ano passado, no dia 4 de janeiro, surfei pela primeira vez um swell gigante. Não me senti à vontade e não peguei nenhuma onda, porém passei o ano todo me remoendo por dentro e só relaxei quando surfei em 22 de dezembro em Jaws, onde peguei umas ondas boas. Claro que estava bem menor, mas foi perfeito para quebrar o gelo e me sentir confiante.

Essa onda é incrível! Provavelmente é lá que a galera vai pegar as ondas da vida. Além de gigante, ela dá tubo, hahaha, surreal! Estamos aprendendo, conhecendo, testando os equipamentos, pegando confiança e acho que em pouco tempo estaremos surfando bem essa onda. Tem uma galera que já está anos luz na frente. E, como tudo na vida, temos que começar do começo, né? Hahaha! Ano novo, vida nova e todo aquele blábláblá, mas o foco é o mesmo de sempre: pegar a bomba! E a bomba a ser pega é aqui no Hawaii, para ser mais exato em Peahi, Maui, na onda chamada JAWS.

Feliz 2013 para toda a galera que lê a Surfar e que tem fé em Deus, pois nesses dias que surfei Jaws nunca conversei tanto com o nosso amigo lá de cima… Era um tal de “Por favor Senhor pra cá, ai Jesus pra lá, meu Senhor me salva, amém Senhor...” Provavelmente enchi o saco do todo Poderoso! Ainda bem que ele é perfeito, hahaha!

Galerias | Mais Galerias