#surf 
Saquarema - Rio de Janeiro - Brasil

Alexandre Ferraz aproveita tubos da Barrinha de Saquarema

Marcelo Sá Barreto

No Rio de Janeiro na época da etapa do Mundial, vencida por Filipe Toledo, pernambucano desfrutou bem o antes, o durante e o depois do campeonato as ondas que fizeram a cabeça dos gringos.

As reminiscências do surfe têm o poder de estender - pelo menos na mente - aquela sessão inesquecível. Num passado recente, dez entre dez amantes do esporte ainda vivem as lembranças da etapa do circuito mundial, finalizada em meados de maio, em Saquarema, no Rio de Janeiro. Uma recordação indispensável da temporada, com certeza. Por lá, as ondas deram o ar da graça, principalmente na Barrinha. E chamaram atenção de profissionais e dirigentes do Tour. Em terras cariocas, o brasileiro Felipe Toledo se apresentou de forma arrebatadora e levou o título. Ainda no Maracanã do surfe, como é conhecido pelo tamanho e "power", houve quem aproveitou um pouco da atmosfera e das condições perfeitas para a prática da modalidade. O pernambucano Alexandre Ferraz, de 33 anos, foi um deles. Aliás, tão logo encerrou a bateria vencedora de Filipinho, em meio à festa, o especialista em ondas gigantes “invadiu” o mar e aumentou a quilometragem nos tubos, sempre presentes nas baterias. Tudo registrado pelo filmaker Davi Telles, da nova geração de fotógrafos do Estado.

Galerias | Mais Galerias