Fortaleza - Ceará - Brasil

João Renato parte com tudo para o Ceará

Redação Surfguru

Atual campeão brasileiro e vice Sul-americano Master, vicentino João Renato Moura encara neste sábado a W2 Downwind Fortaleza 2016.

O vicentino João Renato Moura é um dos destaques da W2 Downwind Fortaleza, considerada uma das provas mais esperadas do ano e que acontece neste sábado (22/10), reunindo a nata dos remadores do Brasil. A competição compreende um percurso aproximado de 40 quilômetros, com largada no tradicional porto de Mucurípe, passando por todo o litoral de Fortaleza e Icaraí, Cumbuco, Lagoa do Cauipe, até entrar no porto de Pecém.

Competidor da modalidade OC1, João Renato Moura encarou um primeiro semestre atípico, em que teve de superar problemas pessoais que refletiram em pouco tempo para os treinos. “Depois de vencer a Aloha Spirit em março, tive que dar uma freada para reorganizar minha vida, pois minha mãe faleceu e assumi a responsabilidade de cuidar do meu pai, que infelizmente passou também por alguns problemas de saúde. Treinei pouco em relação às últimas temporadas, mas vim para o Ceará para brigar pelo título”, diz confiante.

De acordo com Moura, esta é uma prova que favorece seu desempenho. “A previsão está muito boa, com rajadas de ventos que podem chegar aos 40 km/h. Já fui algumas vezes ao Hawaii justamente para me aprimorar nestas condições. Estou bem confiante e quero ser uma das primeiras canoas a cruzar a linha de chegada. Fiz um percurso reduzido nessa região em 2012, de 28 quilômetros, mas já deu pra sentir que lá é padrão internacional. Não deixa nada a desejar em relação aos melhores picos mundiais, como o Hawaii.

 Considerado um novato na canoa, João Renato foi lançado ao topo do esporte após conquistar o título nacional e chegar ao vice-campeonato no Sul-americano realizado em novembro passado em Santos. “Realmente, a canoa havaiana chegou de mansinho, mas agora tomou conta da minha trajetória competitiva”, ressalta o competidor.

Trajetória – João Renato ganhou notoriedade ao figurar em pódio de competições nacionais e internacionais de longboard e stand up paddle. Há dois anos deu os primeiros passos na canoa havaiana. No ano passado, em sua estreia no circuito nacional acumulou duas vitórias e dois vices para garantir o título brasileiro. Em novembro, participou do Sul-Americano em Santos e ficou atrás apenas de seu mentor Everdan Riesco, conquistando a medalha de prata.

Esportista desde a infância, sua relação com o surf teve início em 1997. Dez anos depois, ficou curioso ao se deparar com um amigo remando em pé, conheceu o stand up e nunca mais parou de remar. Em 2011 iniciou no circuito brasileiro profissionalmente e acumulou temporadas internacionais na bagagem ao disputar as provas mais casca-grossas de travessias do mundo.

Domina as modalidades de sup, canoa havaiana e longboard, além de ter treinado e participado de eventos no triathlon. Este mix formou um atleta polivalente que utiliza todo aprendizado como base para encarar as mais variadas provas mundiais.

“O triathlon foi um ótimo professor, pois me deu perseverança para trabalhar da melhor forma possível em provas longas. Minha cabeça sabe o que o meu corpo aguenta. O exercício funcional ajuda superar a rotina de provas desgastantes”.

Completa seu perfil, a experiência acadêmica como Educador Físico altamente gabaritado em diversas áreas relacionadas à atividade física, ocupando inclusive atualmente o cargo de preparador físico da Confederação Brasileira de SUP.

Educador físico de formação, especializado em fisiologia do exercício pela Escola Paulista de Medicina, e desenvolveu desde 2000 diversos trabalhos voltados para o surf e tem praticado testes e treinamentos com os principais nomes do circuito brasileiro de sup. A experiência como treinador começou na equipe vicentina de surfe, quando ganhou títulos dos jogos regionais. Também foi responsável pela preparação física da equipe brasileira de surfe em um mundial realizado no Peru.

Por Nancy Geringer

Galerias | Mais Galerias