#surf #viagens 
Fernando de Noronha - Brasil

Surf em Noronha: um turismo de valor

CYNTHIA GERLING - PROJETO GOLFINHO ROTADOR

(Re)conhecendo o valor do surf como turismo sustentável em Noronha

Fernando de Noronha é conhecido como o Hawaii brasileiro, não só pelas suas ondas, mas também pela importância que o turismo de surf tem para a economia local.

Nos meses de novembro a março, grandes ondulações do quadrante norte chegam ao Mar de Dentro do Arquipélago, formando a temporada de surf e atraindo surfistas do Brasil todo a este arquipélago pernambucano. Veja só, no video a seguir:

A fim de entender a importância do turismo esportivo de surf em Fernando de Noronha, o Projeto Golfinho Rotador realizou uma pesquisa embasada em entrevista com surfistas visitantes, a fim de descobrir as vantagens e desvantagens para a sustentabilidade econômica e ambiental destas atividades para o Arquipélago.

Colocando as contas no papel

O custo médio da viagem de um surfista para Fernando de Noronha no final de 2019 foi de R$ 7.912,47. Deste valor, 32% são gastos com hospedagem, 20% com passagem, 17% com alimentação, 12% com aluguel de carro e 9% com a TPA (taxa cobrada pelo Estado de Pernambuco aos visitantes). Sendo o aluguel de automóveis considerado o gasto com melhor custo/benefício e a TPA com pior custo/ benefício.

Apesar dos custos diretos com o surf não apresentarem um percentual alto em relação ao custo total da viagem, o surf é responsável por 97% da motivação e 82,8% da satisfação do visitante com a viagem ao arquipélago de Fernando de Noronha.

Surf e sustentabilidade na Ilha

O surf, como uso sustentável dos recursos naturais, auxilia na manutenção de geração de renda para a comunidade local. Sendo assim, o estímulo a esta modalidade de turismo pode auxiliar na sustentabilidade social, econômica e ambiental do turismo em Fernando de Noronha. Entendendo que toda atividade só é sustentável economicamente se também for sustentável socioambientalmente.

Além da importância econômica do turismo de surf para Fernando de Noronha, estes turistas tendem a buscar contato com o ambiente natural preservado, que faz com que os surfistas sejam mais suscetíveis a demonstrarem preocupação com o meio ambiente, pois dos entrevistados, 85% acham que a conservação da natureza é importante para Noronha.

Praticantes de surf demonstraram possuir laços afetivos com o ambiente marinho e sua preservação, demonstrando que este tipo de turismo deve ser estimulado, com os devidos cuidados e controles, para atrair cada vez mais pessoas com perfil conservacionista para ilha e desta forma contribuir para um turismo social, econômico e ambientalmente sustentável

Para conhecer mais sobre o Projeto Golfinho Rotador, visite:

 

--------------------------------------------------

Sobre a autora: Cynthia Gerling é Coordenadora de Educomunicação e Sustentabilidade do Projeto Golfinho Rotador, Especialista em Normas da ABNT, Educadora, Consultora e Auditora na Área Ambiental, Pós-Graduada em Gestão e Tecnologias Ambientais, coautora e autora de livros e trabalhos científicos na área de Educação Ambiental e Sustentabilidade.

--------------------------------------------------

Sobre o Projeto Golfinho Rotador: O Projeto Golfinho Rotador nasceu em Fernando de Noronha em 1990 e desenvolve ações de pesquisa, educomunicação ambiental, envolvimento comunitário e sustentabilidade e conta com o patrocínio oficial da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Comentários

Galerias | Mais Galerias