#tubarões #política 
Nova Gales do Sul - Austrália

Drones Circularão nas Praias da Austrália para Monitorar os Tubarões

AFP

Drones circularão as praias mais populares no leste da Austrália e "estações de escuta" irão monitorar tubarões como parte de uma nova estratégia anunciada no domingo para manter banhistas seguros após uma onda de ataques sangrentos

O país tem uma das maiores incidências mundiais de ataques de tubarão, com 13 registrados em Nova Gales do Sul apenas este ano, deixando um morto e sete feridos, ameaçando a indústria de turismo de praia. A resposta do estado mais populoso do país, que descartou a possibilidade de abate de tubarões, revelou um plano de cinco anos para resolver a questão, incluindo sistemas de sonar de última geração e uma vigilância aérea mais intensa.

O ministro das indústrias primárias do estado, Niall Blair, disse que essa abordagem multi-facetada, seguiu os conselhos de especialistas que atenderam a uma recente conferência sobre tubarões em Sydney, e em consulta à comunidade.

"Nós estamos orgulhosos de ser a primeira jurisdição em qualquer lugar do mundo a adotar uma abordagem integrada para manter nossas as praias seguras", disse ele. O amplo plano de US $ 11,5 milhões pretende proteger banhistas e surfistas, enquanto minimiza o dano aos tubarões, vai ter a vigilância com drones para proporcionar a visão em tempo real, ao mesmo tempo aumentando a vigilância de helicóptero.

A marcação de tubarões será intensificada, sonares implantados em bóias irão detectar e 20 "estações de escuta" instaladas em praias populares, que utilizam a tecnologia 4G, permitirão que os animais marcados possam ser monitorados. As informações em tempo real estarão disponíveis ao público em um aplicativo móvel chamado de SharkSmart.

Um surfista japonês morreu em fevereiro depois que as suas pernas foram arrancadas por um tubarão e houveram 12 outros ataques graves ao longo dos mais de 2.000 quilômetros de costa de Nova Gales do Sul.

Houveram apenas três ataques no estado em 2014. Especialistas disseram que os ataques estão aumentando por causa que os esportes aquáticos se tornaram mais populares, e os peixes que são o alimento natural dos tubarões se moveram mais para perto da costa, mas as mortes continuam a ser raras.

Parte do financiamento também será usado para continuar pesquisando novas tecnologias, incluindo o uso de barreiras elétricos alimentadas por energia das ondas que emitem sinais de baixa freqüência pulsadas para dissuadir os tubarões.

O controle dos tubarões é uma questão controversa no estado da Austrália Ocidental, no ano passado uma política de abate utilizando anzóis e linhas de boia foi abolida depois de protestos da comunidade. Usando esta política, 72 iscas ligadas a flutuantes seriam postas em prática entre Novembro e Abril de cada ano até 2017, após uma onda de ataques, com os tubarões capturados sendo mortos se tivessem um tamanho ameaçador. Mais de 170 tubarões, principalmente os tubarões-tigre, foram capturados durante um teste de 13 semanas, com 50 deles sendo abatidos. Ambientalistas disseram que a política era falha, sem resultados claros para a segurança pública, mas um alto custo ambiental, e então foi abandonada.

Fonte: CTV News

Comentários

Galerias | Mais Galerias