Peniche - Leiria - Portugal por WSL

Moche Rip Curl Pro Portugal 2015

Pela terceira vez no ano, Filipe Toledo tocou o sino em uma etapa do Circuito Mundial. Campeão na Austrália e no Rio, o paulista de Ubatuba levou a etapa portuguesa nesta sexta-feira ao bater o compatriota Italo Ferreira na final por 17.83 a 17.13, com direito a onda nota 10. O resultado deixa Filipinho na vice-liderança do ranking, com 49.700 pontos, a apenas 200 do líderMick Fanning, já contando o descarte. Adriano de Souza, o Mineirinho, caiu para terceiro, enquanto Gabriel Medina, eliminado nas quartas em Portugal, assumiu a quarta colocação no ranking.

Esta foi a segunda decisão brasileira da história do Circuito. A outra foi em 1999, nos Estados Unidos, quando Neco Padaratz conquistou o título em cima de Fábio Gouveia. A última etapa da temporada acontece de 8 a 20 de dezembro, em Pipeline, no Havaí.

- Eu não tenho palavras, é um sentimento muito bom. Foi uma semana muito louca. Machuquei minhas costas, mas... não sei! É inacreditável! O título nem era meu objetivo, mas agora tudo é possível, tenho que olhar para frente. Título Mundial... Estou muito feliz - afirmou Filipinho.

A final começou movimentada. E como. Logo na primeira onda, Filipe Toledo pegou uma onda espetacular com aéreos, rabetada com reverse, escaladas e grande variação de manobras. Sem titubear, os juízes deram 10 para Filipinho. Desnorteado, Italo tentou a reação na sequência, mas suas duas ondas seguintes foram médias, um 4.33 e um modesto 1.13. Para piorar a situação do potiguar, Filipinho surfou para um 7.33, deixando o rival precisando uma combinação de 17.34 para virar.

Italo só foi começar a reagir nos 20 minutos finais da bateria. Primeiro ele conseguiu um belo aéreo e excelentes batidas, os quais lhe renderam um 7.20. Depois, o potiguar encontrou um aéreo quase perfeito e recebeu 9.93, voltando a ter boas chances de virar a final. Vendo a sua liderança ser ameaçada, Filipinho tratou de pegar um 7.83, afastando o perigo. Italo ainda levou um 6.83, mas já era tarde para buscar a virada. 

SITUAÇÕES PARA O TÍTULO MUNDIAL NO HAVAÍ:

Se Mick Fanning ficar entre 25º e 13º:

- Owen Wright e Julian Wilson precisam vencer a etapa

- Gabriel Medina precisa ser terceiro

- Mineirinho precisa ser nono

- Filipe Toledo precisa ser 13º

Se Mick Fanning ficar em nono:

- Gabriel Medina precisa vencer a etapa

- Mineirinho precisa ser quinto lugar

- Filipe Toledo precisa ser nono lugar

Se Mick Fanning ficar em quinto:

- Gabriel Medina precisa vencer a etapa

- Mineirinho precisa ser terceiro

- Filipe Toledo precisa ser quinto

Se Mick Fanning ficar em terceiro:

- Mineirinho precisa ser segundo

- Filipe Toledo precisa ser terceiro

Se Mick Fanning ficar em segundo:

- Mineirinho precisa vencer a etapa

- Filipe Toledo precisa vencer a etapa

Se Mick Fanning vencer a etapa:

- Esgotam-se as chances de título dos demais concorrentes

BATERIAS DAS QUARTAS DE FINAL

1. Filipe Toledo (BRA) 10.37 x 8,67 Joel Parkinson (AUS)

2. Frederico Morais (POR) 10.46 x 10.54 Brett Simpson (EUA)

3. Jeremy Flores (FRA) 8.17 x 13.34 Vasco Ribeiro (POR)

4. Italo Ferreira (BRA) 18.27 x 6.83 Gabriel Medina (BRA)

BATERIAS DA SEMIFINAL

1. Filipe Toledo (BRA) 10.37 x 8.67 Brett Simpson (EUA)

2. Vasco Ribeiro (POR) 9.10 x 13.37 Italo Ferreira (BRA)

BATERIA DA FINAL

1. Filipe Toledo (BRA) 17.83 x 17.13 Italo Ferreira (BRA)

ROUPAS E ACESSÓRIOS DE SURF E SKATE VOCÊ ENCONTRA NO SURFGURUSHOP.COM.BR

Comentários

Notícias | Mais Notícias