Newcastle - Nova Gales do Sul - Austrália por WSL

3º dia do QS 5000 Surfest Newcastle Pro 2020

Confira a transmissão Webcast e os destaques do 3º dia do QS 5000 Surfest Newcastle Pro 2020 em Merewether Beach. Alex Ribeiro defende o título no Surfest Newcastle da Austrália, paulista começou com vitória na quarta-feira. Líder do QS, Wiggolly Dantas, caiu na estreia.

Previsão Surfguru para Newcastle - AUS

O paulista Alex Ribeiro começou a defender o título do QS 5000 Surfest Newcastle com vitória na quarta-feira, mas a 35.a edição do evento na Austrália já teve baixas importantes para a América do Sul. O líder do WSL Qualifying Series, Wiggolly Dantas, não passou da sua estreia na segunda-feira, assim como o número 5 do ranking, o peruano Lucca Mesinas. Além de Alex Ribeiro, o também paulista Marcos Correa e o catarinense Alejo Muniz, já avançaram para a rodada dos 48 melhores e outros dezesseis sul-americanos ainda vão disputar classificação na segunda fase. Já no QS 5000 feminino, todas as surfistas da América do Sul foram eliminadas.

A última a cair foi a ex top do CT, Silvana Lima, na última bateria feminina da quarta-feira de boas ondas de 3-4 pés em Merewether Beach. Era a estreia da cearense na temporada 2020, mas ela só conseguiu surfar uma onda boa que valeu 5,13 e foi superada pela havaiana Gabriela Bryan e pela australiana Bronte Macaulay. A equatoriana Dominic Barona já havia perdido nesta mesma terceira fase, para a australiana Philippa Anderson e a francesa Pauline Ado. E mais duas tinham ficado na rodada anterior, a brasileira Anne dos Santos e a peruana atual campeã sul-americana da WSL Latin America, Daniella Rosas.

Transmissão Webcast do 2º dia

Daniella vinha de um grande resultado na etapa do QS 3000 encerrada no domingo na Central Coast, também na Austrália, onde ficou em quinto lugar só perdendo nas quartas de final. O capixaba Rafael Teixeira foi melhor ainda neste mesmo evento, terminando em terceiro lugar nas semifinais, resultado que o levou para a 12.a colocação no ranking. Isso foi no domingo e Rafael acabou escalado na bateria que abriu o Surfest Newcastle na segunda-feira, se tornando a primeira baixa do Brasil no primeiro evento importante da “perna australiana”. 

O primeiro dia foi de mar clássico em Merewether Beach, com direitas tubulares e as ondas de 4-6 pés abrindo longas paredes para fazer grandes manobras. Três sul-americanos disputaram a segunda bateria do campeonato e o chileno Manuel Selman venceu, com Marcos Correa ganhando a briga pela segunda vaga do também paulista Thiago Camarão. Wiggolly Dantas estreou na quarta bateria e só achou uma onda boa para surfar, sendo eliminado pelo australiano Harley Ross e o neozelandês Elliot Paerata-Reid.

O número 5 do ranking, Lucca Mesinas, caiu dez baterias depois. O peruano foi barrado pelo campeão mundial Pro Junior da World Surf League no ano passado, o catarinense Lucas Vicente, no confronto vencido pelo australiano Kai Tandler. Até o campeão do Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha, o marroquino Ramzi Boukhiam, terceiro do ranking, também perdeu no primeiro dia em Newcastle.

VITÓRIAS SUL-AMERICANAS – Da América do Sul, além do chileno Manuel Selman, também estrearam com vitórias no mar épico da segunda-feira em Merewether Beach, o uruguaio Marco Giorgi e os brasileiros Tomas Hermes, o atual campeão sul-americano João Chianca e Marco Fernandez, que foi um dos destaques do primeiro dia. O baiano achou bons tubos e manobrou forte para ganhar uma nota 8,43 e totalizar 16,33 pontos. Esse placar só ficou abaixo dos 17,40 conseguidos pelo português Vasco Ribeiro com notas 8,83 e 8,57.

Na segunda-feira, os surfistas da primeira fase arrancaram dos juízes quinze notas no critério excelente, acima de 8. A maior foi o 9,80 recebido pelo jovem australiano Maddy Job, na bateria que o catarinense campeão mundial Pro Junior de 2018, Mateus Herdy, foi eliminado. Na terça-feira só teve competição feminina e a quarta-feira começou com as meninas também, com o terceiro dia terminando com as seis primeiras baterias da segunda fase masculina, que marca a estreia dos principais cabeças de chave do Surfest Newcastle.

CABEÇAS DE CHAVE – Essa rodada começou com o australiano Julian Wilson destruindo as ondas de Merewether Beach. Ele ganhou notas 7,33 e 7,83 logo nas primeiras que surfou e conseguiu um 8,10 depois, para vencer por 15,93 pontos. O paulista Marcos Correa não foi bem no início, mas garantiu a classificação nas duas últimas ondas que pegou e valeram 6,43 e 5,70. Com elas, superou o americano Cole Houshmand por 12,13 a 10,80 pontos e outro australiano, Jamie Thomson, terminou em último lugar.

Dois sul-americanos entraram na segunda bateria, mas o brasileiro Luel Felipe e o chileno Manuel Selman foram barrados pelo francês Joan Duru e pelo sul-africano Shane Sykes. Na disputa seguinte, o catarinense Alejo Muniz estreou bem, surfando duas boas ondas seguidas para receber notas 7,73 e 7,40, que lhe garantiram a vitória por 15,13 pontos. O sul-africano Slade Prestwich passou em segundo com 12,90, eliminando o havaiano Barron Mamiya e o neozelandês Elliot Paerata-Reid.

DEFENSOR DO TÍTULO – Na quarta bateria, o francês Timothee Bisso fez os recordes do dia, 17,26 pontos com notas 8,93 e 8,33, antes da estreia de dois cabeças de chave do Brasil que já festejaram vitórias no tradicional Surfest Newcastle. O defensor do título, Alex Ribeiro, campeão na final verde-amarela com Jadson André em 2019, confirmou o favoritismo liderando de ponta a ponta, desde a nota 6,50 da sua primeira onda. Ele está voltando a elite do CT este ano e competiu junto com o catarinense Willian Cardoso, que perdeu sua vaga na “seleção brasileira” no ano passado. 

Enquanto Alex surfou outra onda boa que valeu nota 7,00 para vencer por 13,50 pontos, Willian acabou perdendo o segundo lugar quando o norte-americano Eithan Osborne conseguiu a maior nota da bateria, 7,37. O catarinense ficou precisando de 5,70 pontos para se classificar e buscou uma onda que proporcionasse isso incessantemente nos minutos finais, mas ela não veio e Willian foi eliminado por 12,44 a 11,54 pontos. 

Três brasileiros já passaram para a terceira fase e mais dezesseis sul-americanos ainda vão disputar classificação na rodada de estreia dos cabeças de chave do Surfest Newcastle. Um deles é o campeão mundial Adriano de Souza, que sofreu uma grave contusão no ano passado e vai disputar sua primeira competição na temporada. Ele está na 12.a bateria, junto com o cearense Michael Rodrigues, o havaiano Keanu Asing e o francês Charly Quivront. Na 11.a, três sul-americanos vão brigar por duas vagas com o californiano John Mel, o brasileiro Weslley Dantas vice-campeão do Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha, o peruano Alonso Correa número 7 do ranking e o uruguaio Marco Giorgi. 

VITÓRIA COLOMBIANA – O Surfest Newcastle começou na segunda-feira e no domingo foram encerradas duas etapas do WSL Qualifying Series. Na Austrália, o capixaba Rafael Teixeira parou nas semifinais e a peruana Daniella Rosas nas quartas de final. Os campeões do QS 3000 Vissla Central Coast Pro foram o australiano Matt Banting e a sul-africana Sarah Baum, que conquistou sua segunda vitória decidindo os títulos das três provas femininas na Austrália.

Já no QS 1000 SLO CAL Open em Morro Bay, na Califórnia, Izzi Gomes fez história com a primeira vitória colombiana no Circuito Mundial da World Surf League. Na grande final, ela derrotou a norte-americana Sawyer Lindblad e o paulista David do Carmo também ficou muito perto do título masculino. Ele tinha vencido uma semifinal brasileira com o jovem catarinense Uriel Sposaro, mas cometeu uma interferência na final e o americano Taro Watanabe festejou sua primeira vitória, repetindo o feito inédito de Izzi Gomes para a Colômbia.

O QS 5000 Surfest Newcastle está sendo transmitido ao vivo da Austrália pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplilcativo grátis da World Surf League.

-----------------------------------------------------------

BATERIAS DOS SUL-AMERICANOS NO SURFEST NEWCASTLE:

SEGUNDA FASE – 3.o=49.o lugar (US$ 400 e 300 pts) e 4.o=73.o lugar (US$ 300 e 250 pts):

----------realizada até a 6.a bateria na quarta-feira

1.a: 1-Julian Wilson (AUS), 2-Marcos Correa (BRA), 3-Cole Houshmand (EUA), 4-Jamie Thomson (AUS)

2.a: 1-Joan Duru (FRA), 2-Shane Sykes (AFR), 3-Luel Felipe (BRA), 4-Manuel Selman (CHL)

3.a: 1-Alejo Muniz (BRA), 2-Slade Prestwich (AFR), 3-Barron Mamiya (HAV), 4-Elliot Paerata-Reid (NZL)

5.a: 1-Alex Ribeiro (BRA), 2-Eithan Osborne (EUA), 3-Willian Cardoso (BRA), 4-Rinta Oooto (JPN)

----------7.a bateria ficou para abrir a quinta-feira

8.a: Jake Marshall (EUA), Nomme Mignot (FRA), Victor Bernardo (BRA), Maddy Job (AUS)

9.a: Samuel Pupo (BRA), Cody Young (EUA), Vasco Ribeiro (PRT), Hiroto Arai (JPN)

11: Weslley Dantas (BRA), Alonso Correa (PER), Marco Giorgi (URU), John Mel (EUA)

12: Adriano de Souza (BRA), Michael Rodrigues (BRA), Keanu Asing (HAV), Charly Quivront (FRA)

13: Jadson André (BRA), Sebastian Zietz (HAV), Patrick Gudauskas (EUA), Lucas Vicente (BRA)

14: Maxime Huscenot (FRA), Ian Gouveia (BRA), Kyuss King (AUS), Kai Tandler (AUS)

16: Stu Kennedy (AUS), Krystian Kymerson (BRA), Mihimana Braye (TAH), Marc Lacomare (FRA)

17: Ethan Ewing (AUS), Soli Bailey (AUS), Tomas Hermes (BRA), Lucas Silveira (BRA)

18: Jessé Mendes (BRA), Jordan Lawler (AUS), Oney Anwar (IDN), Sheldon Simkus (AUS)

20: Morgan Cibilic (AUS), Reef Heazlewood (AUS), Jett Schilling (EUA), Marco Fernandez (BRA)

24: Ryan Callinan (AUS), Joel Vaughan (AUS), Tristan Guilbaud (FRA), João Chianca (BRA)

PRIMEIRA FASE – 3.o=97.o lugar (100 pontos) e 4.o=121.o lugar (32 pts):

----------resultados da segunda-feira:

1.a: 1-Cole Houshmand (EUA), 2-Shane Sykes (AFR), 3-Andy Criere (ESP), 4-Rafael Teixeira (BRA)

2.a: 1-Manuel Selman (CHL), 2-Marcos Correa (BRA), 3-Thiago Camarão (BRA), 4-Keijiro Nishi (JPN)

4.a: 1-Harley Ross (AUS), 2-Elliot Paerata-Reid (NZL), 3-Wiggolly Dantas (BRA), 4-Kade Matson (EUA)

7.a: 1-Kei Kobayashi (EUA), 2-Victor Bernardo (BRA), 3-Kairi Noro (JPN), 4-Eduardo Motta (BRA)

8.a: 1-Maddy Job (AUS), 2-Billy Stairmand (NZL), 3-Mateus Herdy (BRA), 4-Thomas Debierre (FRA)

11: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Keanu Asing (HAV), 3-Arashi Kato (JPN), 4-Mikey McDonagh (AUS)

13: 1-Patrick Gudauskas (EUA), 2-Kyuss King (AUS), 3-Matheus Navarro (BRA), 4-Dakoda Walters (AUS)

14: 1-Kai Tandler (AUS), 2-Lucas Vicente (BRA), 3-Lucca Mesinas (PER), 4-Darcy Crump (AUS)

16: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Matt Wilkinson (AUS), 3-Ramzi Boukhiam (MAR), 4-Wesley Santos (BRA)

17: 1-Tomas Hermes (BRA), 2-Oney Anwar (IDN), 3-Finn McGill (HAV), 4-Kaiki Yamanaka (JPN)

18: 1-Sheldon Simkus (AUS), 2-Lucas Silveira (BRA), 3-Leon Glatzer (ALE), 4-Tyler Gunter (EUA)

20: 1-Marco Fernandez (BRA), 2-Luke Gordon (EUA), 3-Sandon Whittaker (AUS), 4-Lucas Wrice (AUS)

24: 1-João Chianca (BRA), 2-Jackson Baker (AUS), 3-Ruben Vitoria (ESP), 4-Ty Watson (AUS)

RESULTADOS DAS SUL-AMERICANAS NO DOYLE PARTNERS PRO:

TERCEIRA FASE – 3.a=25.o lugar (US$ 1.000 e 375 pts) e 4.a=37.o lugar (US$ 750 e 325 pts):

4.a: 1-Philippa Anderson (AUS), 2-Pauline Ado (FRA), 3-Alessa Quizon (HAV), 4-Dominic Barona (EQU)

12: 1-Gabriela Bryan (HAV), 2-Bronte Macaulay (AUS), 3-Silvana Lima (BRA), 4-Summer Macedo (HAV)

SEGUNDA FASE – 3.a=49.o lugar (US$ 400 e 300 pts) e 4.a=61.o lugar (US$ 300 e 275 pts):

3.a: 1-India Robinson (AUS), 2-Dominic Barona (EQU), 3-Nadia Erostarbe (ESP), 4-Ornella Pellizzari (ARG)

11: 1-Rachel Presti (ALE), 2-Summer Macedo (HAV), 3-Daniella Rosas (PER), 4-Peony Knight (ING)

12: 1-Gabriela Bryan (HAV), 2-Shino Matsuda (JPN), 3-Ella Williams (NZL), 4-Anne dos Santos (BRA)

PRIMEIRA FASE – 3.a=73.o lugar (250 pontos) e 4.a=85.o lugar (175 pts):

3.a: 1-Dominic Barona (EQU), 2-Emily Nishimoto (JPN), 3-Alana Blanchard (HAV), 4-Saffi Vette (NZL)

4.a: 1-Sarah Baum (AFR), 2-Ornella Pellizzari (ARG), 3-Carly Shanahan (AUS), 4-Melanie Giunta (PER)

10: 1-Zoe Steyn (AFR), 2-Nao Omura (JPN), 3-Josefina Ané (ARG), 4-Sasha Baker (AUS)

12: 1-Anne dos Santos (BRA), 2-Daniella Rosas (PER), 3-Bethany Hamilton (HAV), 4-Ariane Ochoa (ESP)

SOBRE A WSL - A World Surf League (WSL), criada em 1976, é a principal plataforma do surf e dos surfistas no mundo inteiro. A WSL está dedicada a mudar o mundo através do poder inspirador do surf, criando eventos, experiências e narrativas autênticas para inspirar a comunidade global a viver um lifestyle com dedicação, originalidade e entusiasmo. A World Surf League é uma organização global e sua sede principal é em Santa Monica, Estados Unidos, com escritórios regionais para a América do Norte, América Latina, Europa, África, Ásia, Australasia e Hawaii. A WSL tem uma profunda apreciação pela rica herança do surf, promovendo progressão, inovação e performance nos níveis mais altos do esporte. A WSL é composta por Circuitos e Eventos, celebrando os melhores surfistas do mundo em todas as modalidades, realizando anualmente mais de 180 campeonatos globais para coroar os campeões mundiais em todas as divisões; pela WSL WaveCO, onde a inovação encontra experiências inéditas; e pela WSL Studios, que oferece as melhores narrativas através das competições, lifestyle e conservação.

Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com 

Comentários

Notícias | Mais Notícias