Vila dos Remedios - Fernando de Noronha - Brasil por Caio Faria

Destaques do 1º dia do Oi Hang Loose Pro Contest 2019

Produção de Caio Faria mostra os Highlights do primeiro dia do Oi Hang Loose Pro Contest, Etapa do QS 6000, na Praia da Cacimba do Padre. em Fernando de Noronha. Terça-feira, 19 de fevereiro de 2019.

Previsão de águas rasas para a Praia da Cacimba do Padre, Fernando de Noronha - PE.

Confira resultados das baterias e mais informações no site do evento.

O Oi Hang Loose Pro Contest abriu o primeiro QS 6000 da temporada na terça-feira, com a Cacimba do Padre já bombando altas ondas no primeiro dia de Sol e muito calor em Fernando de Noronha. O paraibano Samuel Igo comandou o show, surfando o primeiro tubaço nota 10 neste retorno do evento mais tradicional do surfe brasileiro para a ilha após 7 anos. Ele já havia brilhado em outro tubo que valeu nota 9 para totalizar 19 pontos de 20 possíveis no quarto confronto do dia. O bicampeão mundial Gabriel Medina estreia nesta quarta-feira e as baterias podem começar mais cedo, com a primeira chamada marcada para as 7h00 no arquipélago pernambucano, onde o fuso horário é de 1h00 a mais do restante do Brasil.

“Que momento especial que nem consigo acreditar, só agradecer a Deus mesmo pelo privilégio de voltar a essa ilha”, vibrou Samuel Igo, que há muitos anos mora no Rio de Janeiro. “Eu tenho uma conexão muito boa com esse lugar, muita gratidão e estou feliz demais em conseguir fazer esses dois high-scores (notas altas), feliz por estar conectado na onda. A prancha boa ajudou bastante também, mas o campeonato está só começando”.

O paraibano falou mais sobre o tubo que arrancou a primeira nota 10 unânime dos cinco juízes no Oi Hang Loose Pro Contest: “Eu estava muito atrás da onda e, quando remei nela, nem acreditei que seria tão boa, porque vi que ela ia secar muito lá na frente e eu estava muito atrás. Só que eu já tinha remado, então fui com tudo e quando dropei, a prancha projetou muito pra frente, mas vi que dava tempo de sair. As placas foram caindo e fiquei focado olhando no finalzinho do tubo, falando pra mim mesmo que ia dar certo, que ia dar certo e consegui sair amarradão. Foi demais e esse lugar é realmente incrível”.

Nessa mesma bateria em que Samuel Igo conseguiu a primeira nota máxima, a força das ondas da Cacimba do Padre também partiu a primeira prancha ao meio. Era do norte-americano Eithan Osborne, que mesmo assim se classificou em segundo lugar para a próxima fase, superando o havaiano Cole Alves e o brasileiro Daniel Ostrowski. Eithan ganhou a primeira etapa da temporada em Israel, mas já perdeu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series para o australiano Jack Robinson, campeão do outro evento com o mesmo status QS 3000 em Pipeline, semanas atrás no Havaí.

DESTAQUE GRINGO – Entre os surfistas estrangeiros, o primeiro a se destacar no Oi Hang Loose Pro Contest foi o português Miguel Blanco. Duas baterias após os recordes de Samuel Igo, ele também completou um tubo quase perfeito que valeu a segunda maior nota da terça-feira, 9,07. Com ela, venceu fácil aos três brasileiros que enfrentou em sua estreia no QS 6000 de Fernando de Noronha, Lysandro Leandro, Wesley Leite e Luan Hanada.

“O mar está bem difícil agora com a maré muito seca, mas ainda existem alguns tubos perdidos”, disse Miguel Blanco. “Eu tentei ficar ativo dentro d´água e foi uma boa bateria pra mim. Peguei uma direitinha no início, depois uma esquerda melhor no final que rodou aquele tubão e estou muito contente, pois foi uma boa maneira de começar o ano. Eu vim aqui pra Noronha uns cinco anos atrás numa surf trip e peguei um mar de gala aqui, então quando vi que o evento estava confirmado no calendário, não pensei duas vezes e estou feliz por ter começado bem o campeonato”.

ESTREIA DE MEDINA – Nesta primeira rodada de 24 baterias, competem os surfistas que não estão bem ranqueados na World Surf League e as principais estrelas formam a lista dos 48 cabeças de chave que só entram na segunda fase. Os dois confrontos que abriram a terça-feira, definiram os primeiros adversários da maior atração desta edição do Oi Hang Loose Pro Contest, o bicampeão mundial Gabriel Medina.

Ele vai estrear na primeira bateria da segunda fase nesta quarta-feira, junto com um dos surfistas de Fernando de Noronha convidados pela Hang Loose, Patrick Tamberg. O primeiro a se classificar foi o costa-ricense Tomas King, que venceu a bateria estrangeira com o havaiano Benji Brand e o francês Adrien Toyon. Ela marcou oficialmente o retorno do evento que foi disputado por treze anos consecutivos na Cacimba do Padre, de 2000 a 2012.

“Um amigo já tinha me falado que eu iria para a bateria do Medina se ganhasse, então eu já sabia e fico feliz por isso”, disse Tomas King. “Vai ser legal enfrentar o campeão mundial e eu vou tentar fazer o meu melhor. Eu quero me classificar para o CT e os pontos aqui são importantes para isso. Não entraram muitas ondas na bateria, mas consegui surfar algumas e espero que na próxima tenha mais tubos. Estou ansioso já para amanhã (quarta-feira)”.

A outra vaga para completar a bateria de Gabriel Medina com Patrick Tamberg e Tomas King, foi definida no primeiro confronto 100% brasileiro do Oi Hang Loose Pro Contest. O carioca Pedro Neves pegou boas ondas para escapar de encarar o bicampeão mundial com a vitória. Os outros três surfistas ficaram brigando pelo segundo lugar e o jovem potiguar Mateus Sena, 16 anos apenas, levou a melhor sobre o paulista Vitor Mendes e o baiano Franklin Serpa.

“Está bem complicado o mar, a bateria teve poucas oportunidades de tubos, eu só tive uma, mas fui com a estratégia de somar pontos no início para me classificar e estou feliz que deu tudo certo”, disse Mateus Sena, que falou sobre competir com Medina. “Para ser bem sincero, eu vou realizar um sonho. Acho que para a maioria dos competidores aqui, é um sonho competir com o Gabriel (Medina). Eu já estou louco pra entrar na água e soltar o meu surfe para tentar até ganhar dele, nunca se sabe. Mas, é uma bateria que eu quero passar”.

JEAN DA SILVA – Na terça-feira, enquanto as baterias rolavam no mar, foi realizada uma homenagem para o surfista catarinense Jean da Silva, que faleceu dois anos atrás. Ele já foi campeão nos tubos da Cacimba do Padre em 2006 e vice-campeão na última final disputada em Fernando de Noronha em 2012, vencida pelo paulista Miguel Pupo. O diretor da Hang Loose, Alfio Lagnado, se juntou ao grupo de pessoas na praia que levantava uma prancha que ele deixou na ilha, contendo a inscrição: “Jean da Silva Forever”.

A Oi, que está estreando o patrocínio naming rights no Hang Loose Pro Contest este ano, também participa da homenagem oferecendo um troféu “Jean da Silva” para o surfista que fizer a melhor apresentação em todo o evento, que prossegue até domingo em Fernando de Noronha. Por enquanto, quem está com as mãos nesta taça é o recordista absoluto do campeonato no primeiro dia, Samuel Igo, com nota 10 e 19,00 pontos de 20 possíveis.

O Oi Hang Loose Pro Contest é uma realização da World Surf League (WSL) com patrocínio naming rights da Oi, através da Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo do Estado de Pernambuco e copatrocínio da 51 Ice. A etapa do QS 6000 oferece uma premiação total de 130.000 dólares, a vitória vale 20.000 dólares e toda a competição está sendo transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão. A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial. Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

----------------------------------------------------------------

Texto por João Carvalho – WSL South America Media Manager

(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

----------------------------------------------------------------

BATERIAS DO OI HANG LOOSE PRO CONTEST QS 6000:

PRIMEIRA FASE – 3.o=97.o lugar com 120 pontos e 4.o=121.o lugar com 75 pts:

1.a: 1-Tomas King (CRI), 2-Benji Brand (HAV), 3-Adrien Toyon (FRA)

2.a: 1-Pedro Neves (BRA), 2-Mateus Sena (BRA), 3-Vitor Mendes (BRA), 4-Franklin Serpa (BRA)

3.a: 1-Nolan Rapoza (EUA), 2-Fernando Junior (BRA), 3-Junior Lagosta (BRA), 4-Facundo Arreyes (ARG)

4.a: 1-Samuel Igo (BRA), 2-Eithan Osborne (EUA), 3-Cole Alves (HAV), 4-Daniel Ostrowski (BRA)

5.a: 1-Eduardo Motta (BRA), 2-Nicolas Vargas (CHL), 3-Jordan Lawler (AUS)

6.a: 1-Miguel Blanco (PRT), 2-Lysandro Leandro (BRA), 3-Wesley Leite (BRA), 4-Luan Hanada (BRA)

7.a: 2-Harley Ross (AUS), 2-Madson Costa (BRA), 3-Alex Lima (BRA), 4-Luan Carvalho (BRA)

8.a: 1-Tomas Tudela (PER), 2-Vitor Ferreira (BRA), w.o-Te Kehukehu Butler (NZL)

9.a: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Gabriel Farias (BRA), 3-Alan Donato (BRA), 4-Pedro Scooby (BRA)

10: 1-Hizunomê Bettero (BRA), 2-Marcos Correa (BRA), 3-Renan Hanada (BRA), 4-Pedro Dib (BRA)

11: 1-Renan Peres (BRA), 2-Charly Quivront (FRA), 3-Matheus Navarro (BRA), 4-João Jucoski (BRA)

12: 1-Luis Perloiro (PRT), 2-Tristan Guilbaud (FRA), 3-Buday Santos (BRA), 4-Adrian Garcia (PER)

13: 1-Bernardo Pigmeu (BRA), 2-Luke Dillon (ING), 3-John Mel (EUA), 4-Cuca Souza (BRA)

14: 1-Heitor Alves (BRA), 2-Wesley Santos (BRA), 3-Ryan Kainalo (BRA), 4-Daniel Adisaka (BRA)

15: 1-Douglas Silva (BRA), 2-Ian Gentil (HAV), 3-Mason Ho (HAV), 4-Paulo Moura (BRA)

16: 1-Robson Santos (BRA), 2-Thiago Guimarães (BRA), 3-Ruben Vitoria (ESP), 4-José Miranda Barbosa (BRA)

17: 1-Joshua Burke (BRB), 2-Theo Fresia (BRA), 3-Netinho Silva (BRA), 4-Kim Matheus (BRA)

18: Jordy Collins (EUA), Yuri Gonçalves (BRA), Gustavo Bertotto (BRA), Brayner Silva (BRA)

----------baterias que vão abrir a quarta-feira às 7h00:

19: Marco Giorgi (URU), João Chianca (BRA), Jhonny Guerrero (PER), Nacho Sebastia (CNY)

20: Rafael Teixeira (BRA), Shelson Paishon (HAV), Lucas Vicente (BRA)

21: Joh Azuchi (JPN), Daiki Tanaka (JPN), Daniel Templar (BRA), Dunga Neto (BRA)

22: Luel Felipe (BRA), José Gundesen (ARG), Tamae Bettero (BRA), Marcelo Trekinho (BRA)

23: Tyler Gunter (EUA), Paul Cesar Distinguin (FRA), Gabriel Adisaka (BRA), André Gonçalves (BRA)

24: Michael Dunphy (EUA), Jhonny Corzo (MEX), Kaiki Yamanaka (JPN)

SEGUNDA FASE – entrada dos 48 cabeças de chave – 1.o e 2.o avançam:

-------3.o=49.o lugar (US$ 550 e 400 pts) e 4.o=73.o lugar (US$ 450 e 370 pts)

1.a: Gabriel Medina (BRA), Patrick Tamberg (BRA), Tomas King (CRI), Mateus Sena (BRA)

2.a: Alonso Correa (PER), Nat Young (EUA), Benji Brand (HAV), Pedro Neves (BRA)

3.a: Mateus Herdy (BRA), Imaikalani Devault (HAV), Nolan Rapoza (EUA), Eithan Osborne (EUA)

4.a: Reef Heazlewood (AUS), Ian Gouveia (BRA), Fernando Junior (BRA), Samuel Igo (BRA)

5.a: Jessé Mendes (BRA), Tomas Hermes (BRA), Eduardo Motta (BRA), Lysandro Leandro (BRA)

6.a: Carlos Munoz (CRI), Kiron Jabour (HAV), Nicolas Vargas (CHL), Miguel Blanco (PRT)

7.a: Jack Robinson (AUS), Lucca Mesinas (PER), Madson Costa (BRA), Vitor Ferreira (BRA)

8.a: Jadson André (BRA), Flavio Nakagima (BRA), Harley Ross (AUS), Tomas Tudela (PER)

9.a: Jorgann Couzinet (FRA), Jeronimo Vargas (BRA), Marc Lacomare (FRA), Marcos Correa (BRA)

10: Miguel Pupo (BRA), Ramzi Boukhiam (MAR), Gabriel Farias (BRA), Hizunomê Bettero (BRA)

11: Maxime Huscenot (FRA), Cam Richards (EUA), Renan Peres (BRA), Tristan Guilbaud (FRA)

12: Adin Masencamp (AFR), Wiggolly Dantas (BRA), Charly Quivront (FRA), Luis Perloiro (PRT)

13: Yago Dora (BRA), Samuel Pupo (BRA), Bernardo Pigmeu (BRA), Wesley Santos (BRA)

14: Alex Ribeiro (BRA), Joshua Moniz (HAV), Luke Dillon (ING), Heitor Alves (BRA)

15: Alejo Muniz (BRA), Krystian Kymerson (BRA), Douglas Silva (BRA), Thiago Guimarães (BRA)

16: Frederico Morais (PRT), Noe Mar McGonagle (CRI), Ian Gentil (HAV), Robson Santos (BRA)

17: Deivid Silva (BRA), Ian Crane (EUA),

18: Bino Lopes (BRA), Hiroto Ohhara (JPN),

19: Jake Marshall (EUA), Reo Inaba (JPN),

20: Peterson Crisanto (BRA), Victor Bernardo (BRA),

21: Evan Geiselman (EUA), Miguel Tudela (PER),

22: Vasco Ribeiro (PRT), Aritz Aranburu (ESP),

23: Thiago Camarão (BRA), Charles Martin (FRA),

24: Italo Ferreira (BRA), Caia Souza (BRA),

Comentários

Notícias | Mais Notícias