#surf 
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil

Pontão do Leblon, altas ondas e esgoto

Stone House

Direitas tubulares agraciaram a Zona Sul do Rio de Janeiro expondo os surfistas à dificil escolha entre as ondas e o risco a saúde.

O dia 02/09/2020 foi especial no Pontão do Leblon. Os mapas apontavam a chegada de uma ondulação consistente do quadrante sul, e como as ondulações do quadrante leste-sudeste foram uma constante durante o mês de agosto, a bancada do pico se alinhou, gerando grande expectativa para os amantes dos drops "elevador".

Ao chegar no pico as 6:30 da manhã, nos deparamos com condições desafiadoras, ondas quebravam consistentes e balançadas, baforadas recorrentes mostravam que havia oportunidades para belos tubos… cenário quase perfeito para a queda, se não fosse uma questão: Cedae abriu o caminho da água marrom e fedorenta , o canal depositava diretamente no pico dejetos humanos.

Filmagem e edição por Felipe Julian (@felipejulianphotography), para conferir mais trabalhos acesse https://felipejulian.com.br/

Com a maré seca, aquele nojo in natura tornou as guilhotinas do inside ainda piores, completamente constituídas de esgoto. Embora amedronte à primeira vista, tal realidade não é impedimento para os surfistas do Rio de Janeiro, já acostumados a condições precárias de balneabilidade… tubo paga. 

O que vimos durante a manhã foi um show de surfe, ondas que lembravam os points de Salina Cruz no México faziam a cabeça de quem estava na água. Destaque para os locais Tiago Garuti e Lucas Marins, que mostraram como se faz dropando de trás do pico e percorrendo tubos ocos e pesados. Vale mencionar Ricardo Bocão, que no auge de seus 66 anos fez drops incríveis e impressionou a todos com sua disposição. O time Stone House representou também, destaque para Arthur Cumplido e Caio Reis, que botaram para baixo e andaram em belos canudos, Daniel De Bellis, Pedro Maciel e Nuno Greenman também pegaram suas ondas.

O surfe rolou solto até 12:00, depois, a maré encheu demais e o vento leste entrou, surfe no Rio de Janeiro é assim, tem que estar no momento certo na hora certa, mesmo com esgoto. Fica a reflexão também sobre até quando os amantes das praias vão ter que lidar com condições insalubres como a desse dia. 

É lamentável o descaso das autoridades com essa questão, como comunidade do surfe, estamos conectados diariamente a tal realidade, e vemos a necessidade de se criar cada vez mais espaços de debate e interlocução da sociedade civil em conjunto ao poder público, para que sejam tomadas medidas urgentes e efetivas. 

O destrato humano para com o meio ambiente, nosso lar, é consequência da ignorância humana sobre si e sobre o todo. Por isso, incentivamos para além do esporte a mobilização de toda comunidade do surfe, para que possamos nos articular não somente para os swells, como também para preservar e restaurar o máximo possível de nosso mar.

Para saber mais do universo Stone House acesse www.surfstonehouse.com e siga @surfstonehouse no instagram.

 

Comentários

Galerias | Mais Galerias