#comunidade #surf 

Que prancha de surf usar? Tem swell chegando!

Luís Coruja - Prancha Nova

Não importa se você é um surfista iniciante, intermediário ou avançado, aprender a escolher a prancha certa para suas habilidades e para as condições de surf é importante para o seu sucesso e prazer em surfar.

Que prancha de surf usar quando está chegando um swell? A resposta é simples, uma prancha do tipo step-up irá resolver seu problema. Mas o que é uma step-up? Pois bem, acompanhe o texto que logo você entenderá, e ao final traremos alguns modelos de prancha que se encaixam perfeitamente neste contexto.

Quase todo surfista que se preze já passou por esse dilema de não saber que prancha usar alguma vez na vida. Sabemos que o inverno é a estação do ano em que as maiores e mais poderosas ondulações atingem a costa brasileira. Em 2020 não está sendo diferente. Aliás, em termos de ondas, não temos do que reclamar deste ano. Sem dúvida um dos mais marcantes das últimas décadas, é um swell melhor que o outro fazendo a alegria dos surfistas de sul a norte do Brasil.

A Importância Da Prancha Certa

Não importa se você é um surfista iniciante, intermediário ou mesmo avançado, aprender a escolher a prancha certa para suas habilidades e para as condições de surf é de suma importância para o seu sucesso e prazer em surfar. De fato, os surfistas avançados e profissionais geralmente terão uma boa ideia sobre que prancha de surf usar em certos tipos de ondas. ​Contudo, esse conhecimento leva tempo e nem todo mundo sabe qual prancha usar em diferentes tipos de mar.

Algo importantíssimo que não podemos deixar de falar: não existe nenhuma prancha que seja completamente perfeita para uma pessoa em todos os tipos de ondas. Portanto, o ideal é ter um quiver com pranchas de várias formas, estilos e tamanhos se você quiser se divertir em todas as condições. Dessa forma, você descobrirá que independentemente do nível de surf em que você esteja, vai querer começar a construir seu quiver dos sonhos. Principalmente depois de ter tentado surfar as grandes ondulações do inverno com a prancha errada e passado aquele perrengue inesquecível.

Pois é nestas ocasiões que muitos de nós percebemos que precisamos de novas pranchas. Infelizmente, para a maioria de nós, essa constatação vem na dor. A dor de mal conseguir entrar nas ondas porque a prancha é pequena demais, a dor de tomar aquela vaca voando do lip da hora do drop atrasado, a dor de enterrar de borda na cavada antes daquele que poderia ser o tubo da vida. Então, como já dizia um velho ditado: "Um homem inteligente aprende com os próprios erros, já um homem sábio aprende com os erros dos outros". Dessa forma, melhor ser o homem sábio e se prevenir. Ter um quiver de pranchas é o melhor que um surfista pode fazer para aproveitar todas as condições de mar e principalmente, evoluir no esporte.

Tipos De Prancha De Surf

O tipo de prancha que você escolhe para tipo de mar faz toda a diferença nas suas sessões de surf. Afinal, surfar não é apenas ficar em pé na prancha e sim, aproveitar seu tempo na água da melhor forma possível. Portanto, a forma em como trazer mais diversão ao surf é essencial, e escolher a prancha certa, aquela que corresponda às condições do mar e também à sua capacidade é essencial.

Geralmente passamos o verão inteiro surfando com pranchas maroleiras, tentando criar velocidade em ondas na altura da cintura. De repente, chega o outono e as primeiras ondulações com mais tamanho quebram pelas praias. Nessa hora nossa tendência é usar aquela mesma prancha do verão, pois ela está "no pé". Pode ser que ela realmente dê conta do recado nas ondas de até 3 ou 4 pés, você muda as quilhas, muda um pouco a forma de surfar e acaba até se divertindo com ela, mesmo que não seja a prancha ideal. No entanto, em breve swells maiores irão aparecer e definitivamente você precisará de outra prancha, não vai ter jeito. Sem dúvida, o jogo muda completamente nessa hora e este é o momento de falarmos sobre pranchas que controlam a velocidade.

Pranchas de Surf Para Ondas Boas

De fato há uma grande mudança no que você precisa que sua prancha faça nos diferentes tamanhos e tipos de mar. Certamente, a maior diferença é a velocidade adicional que sua prancha é capaz de criar (ou não), bem como a forma como lida com altas velocidades e drops atrasados. As pranchas para ondas pequenas devem ajudar o surfista a gerar a maior velocidade possível, o que significa rocker baixo, mais largura de meio e rabetas também mais largas. Tudo isso acrescenta velocidade a uma onda que não possui muita.

Quando você muda a chave para um surf em ondas boas, acima dos 4 ou 5 pés, não precisa gerar tanta velocidade. Pelo contrário, precisa que a prancha seja mais neutra e controle a velocidade em vez de criá-la. Sendo assim, neste caso estamos falando de pranchas com mais rocker geral, bordas mais caídas e com outline e rabeta mais estreitos. Todos esses ajustes permitem que a prancha responda melhor na água em velocidades mais altas, oferecendo controle, direção e drive ao surfista.

Para ajudá-lo a entender ainda melhor todos esses detalhes e principalmente a escolher que prancha usar nos dias em que as ondas estão bombando, preparamos este guia com alguns modelos de pranchas com conceitos super atuais que irão garantir a diversão e a performance que você procura.

Al Merrick Happy

Esta prancha é uma das mais recentes da linha da Al Merrick, foi lançada em meados de 2019. A Happy foi pensada para uma grande amplitude de condições, amigável ao surfista do dia-a-dia e com o DNA responsável por elevar o nome Al Merrick como o maior fabricante de pranchas no mundo: a performance.

Este modelo foi idealizado pensando em manter as curvas rápidas das pranchas performance como a “The Fever”, mas sem perder velocidade e drive em rasgadas maiores quando o mar sobe. A velocidade e o drive também se mostraram excepcionais para performance em tubos. Inclusive, em 2019, a Happy apareceu de forma impressionante nos pés dos atletas da Channel Islands durante as etapas do WCT em Jeffrey's Bay, Bells Beach, Pipeline e Teahupoo.

Em suma, a Happy tem afinidade com ondas boas. Portanto, se você está buscando uma prancha que não te deixará na mão em uma surf trip ou nos dias grandes no quintal de casa, esta é a escolha certa para você.

Pyzel The Ghost

que prancha usar?

Definitivamente este modelo não é para qualquer tipo de mar. A Ghost foi desenvolvida para ser surfada em ondas boas e fortes, acima de um metro. Entretanto, seu melhor desempenho fica reservado para condições ainda mais épicas, em ondas acima de um metro e meio.

A Ghost é na verdade uma prancha muito versátil, aguenta ondas de até 12 pés sem perder a manobrabilidade e a segurança nas partes mais críticas. Esse modelo é marcado por duas principais sensações: velocidade e drive. A primeira característica que se nota na The Ghost é que o outline não é o convencional.

Se você está precisando de uma prancha para as grandes ondas do inverno brasileiro ou pretende fazer uma surf trip internacional no futuro, sem dúvida deve considerar ter uma Pyzel The Ghost em seu quiver. Ela poderá ser uma grande aliada na sua performance em ondas de consequência.

DHD Sweet Spot 3.0

que prancha usar?

A DHD Sweet Spot 3.0 é uma melhoria da sua antecessora 2.0. Conta com volume extra na região do peito para uma remada acima da média. Apresenta também bordas refinadas para segurança na hora de cravá-las na água, seja nas cavadas, rasgadas ou tubos. Ela conta com um fundo single para double concave com os rockers mais acelerados na rabeta e bico, assim tendo responsividade e verticalidade.

Sua rabeta foi estreitada em comparação com a Sweet Spot 2.0 à pedido do australiano da elite mundial Owen Wright. Owen e outros atletas da marca têm utilizado a Sweet Spot 3.0 em diversas condições de mar pesados no tour, como por exemplo em Margaret River, Teahupoo e Pipeline. Além destas características, sua construção foi pensada em durabilidade. Conta com laminação reforçada e ranhuras no bloco na região da rabeta, fazendo com que a resina se acumule ali, deixando a prancha ainda mais resistente. Ela pode ser usada tanto como triquilha quanto quadriquilha.

Lost Sabotaj

que prancha usar?

Esta prancha é o resultado do desenvolvimento contínuo de um projeto entre o surfista profissional australiano Taj Burrow e Matt Biolos, shaper da Lost. Taj fez parte da elite do surf mundial por muitos anos, sendo até hoje um dos surfistas mais radicais e espetaculares de se assistir.

Ela é uma prancha amigável e fluída que pode ser usada tanto por surfistas intermediários quanto por profissionais experientes. Suas curvas suaves e volume mais alto oferecem muita segurança e estabilidade ao surfista. Complementada com uma entrada fácil nas ondas e bom desempenho em ondas rápidas e pesadas, a Sabotaj é definitivamente um modelo para completar o quiver de quem pretende enfrentar poderosos swells de inverno em praias como Saquarema, Praia Brava de Itajaí ou está planejando uma surf trip para ondas perfeitas.

Chilli Fader Step Up

Este modelo foi projetado em parceria com os surfistas Mitch Coleborn e Tiago Pires, após uma temporada de altas ondas no Havaí. Eles deram seus feedbacks sobre um modelo mais antigo da Chilli chamado Heavy Water.

A Fader Step Up é um modelo super confiável para qualquer situação em que você precise que a prancha aguente firme a pressão. Ela tem um rocker contínuo do bico à rabeta, sendo uma entrada média sob o peito para remar com mais facilidade e uma rabeta round pin super segura. O fundo é um ligeiro single concave, já que você não precisa de tanta velocidade nas pranchas maiores, então um fundo mais plano realmente complementa a possibilidade de manobrar com facilidade. O ideal neste modelo é encomendá-la com 5 encaixes de quilhas para o uso de tri ou quadriquilhas.

Conclusões

O tipo de prancha de surf necessária dependerá do tipo de ondas em que você irá surfar. Por exemplo, se você estiver procurando uma prancha para surfar exclusivamente um reef break tubular, geralmente poderá escolher um modelo um pouco mais curto e talvez um pouquinho mais espesso, como é o caso da Lost Sabotaj por exemplo. Caso seja um pico de ondas volumosas e mais cheias, pranchas maiores e com mais volume são as mais recomendadas.

Fato é que como as maiores tem muito poder e geram velocidade à prancha, é importante e necessário mantê-la se movimentando de forma fluida e segura. Definitivamente, surfar ondas grandes diz mais respeito à sua capacidade de controlar a prancha e manter-se na linha e velocidade certas, fazendo um surf sólido e seguro.

 

Comentários

Galerias | Mais Galerias