#picos #bodyboarding 
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil

Diamante em São Conrado no fim do outono

Alexandre Cruz

A manhã do dia 18/06 vai ficar marcado na história do Bodyboarding, com grandes ondas surfadas em um mar super intenso e desafiador.

Alexandre Cruz: @actreinosurf

Depois de 3 meses sem pegar onda por conta do isolamento social (Covid19), fomos presenteados com um Swell grande e com um período bem alto de 15 segundos e a direção de Sul/Sudeste, uma previsão fora dos padrões brasileiros.

Já estava ansioso acompanhando a previsão no Surfguru, então acordei às 5:00 horas da manhã, me arrumei e fui direto para Praia de São Conrado, praia que eu treino diariamente. Chegando lá, vi que tinham ondas em torno de 2 metros, com séries maiores, uma maré bem seca, deixando as ondas ainda mais quadradas do que de costume. Uma condição, na verdade, bem perigosa, pois o risco de você bater no fundo é muito grande. Na areia, comecei a alongar e vi que estava realmente grande que era o dia de pegar uma onda animal, um tubão, um caminhãoFui para água na companhia dos meus amigos e companheiros de mar grande:  Eric Poseidon, Pablo Ricardo, Thiago Vilela e Victor Dubois.

Eu sabia que seria uma onda espetacular se eu pegasse a onda certa. Tive que tomar muito caldo e muita onda na cabeça para encontrar a onda do swell, o verdadeiro Diamante.

Até que então, o que eu tanto esperava apareceu no horizonte. Quando vi a onda, sabia que seria perfeita, pois ela encaixou perfeitamente na bancada, mas com um porém, tinha uma dupla fazendo Tow-in um pouco mais para fora e nesse momento o piloto e amigo Wagner Beta voltava para o fundo de jet, ele estava exatamente na linha da onda, no mesmo momento eu pensei: "não acredito que agora que veio A ONDA, a marola do jet vai me atrapalhar". Por ele ser experiente, percebeu que isso iria acontecer e parou de acelerar. Depois desse primeiro momento, comecei a remar, o brother Victor Dubois gritou para eu ir e ali eu tinha certeza que a onda seria absurda. Dito e feito, dei uma cavada no limite da onda e quando eu coloquei no trilho do tubo, já começou a rodar e era muito largo e longo, onde eu trilhei uma linha e só foquei nela. Eu passei a primeira sessão em uma velocidade enorme e nesse momento veio a primeira baforada, onde não consegui enxergar mais nada, continuei na mesma linha, depois só vi uma saída bem na frente, em que eu mirei e saí na outra baforada. Só enxerguei quando saí do tubo, em uma velocidade muito grande e com uma sensação indescritível, literalmente em êxtase, pois sabia que tinha acabado de pegar uma onda igual à de Pipeline, sem sombras de duvidas.

Saí da água e fui direto para o calçadão falar com os fotógrafos Anderson Guerreiro e Rafael Gomes, que estavam vibrando com a imagem e com a onda que eu tinha acabado de surfar. Para minha alegria, os dois pegaram todos os momentos da onda, do início ao fim, um fez o vídeo e o outro foto.

Quero agradecer ao Salvemos São Conrado por cuidar e sempre buscar melhorias para a nossa praia, e aos meus amigos Anderson Guerreiro, Rafael Gomes, Éric Poseidon, Thiago Vilela e Victor Dubois.

Thiago Vilela: @tvilela80

Chegamos bem cedo no dia, ainda tava meio escuro e não dava muito bem para saber o tamanho do mar. Peguei minha prancha e parti em direção ao mar. Quando coloquei meu pé de pato e me aproximei da água, veio a primeira série, com pelo menos umas 5 ondas. Dava para perceber que estava grande, mas como o swell tinha um período alto, se você não esperasse a serie, ia pensar que tinha 1 metro de onda.

Victor Dubois: @victordubois01

Quinta-feira passada, 18/Jun., São Conrado amanheceu enorme. Tinham cinco duplas fazendo tow in e só seis caras remando, entre eles Alexandre Cruz, Deivid Barbosa e Victor Dubois. Estava bem difícil achar as boas, pois além do tamanho do mar, os jets estavam dominando o line. Até que por volta das 9h da manhã, rolou um moment em que a correnteza parou, vi subir uma onda da série com ótimo potencial e o Alexandre Cruz super bem posicionado pra pegá-la. Gritei com todas as forças para ele ir. Foi a melhor onda do ano em São Conrado! Parabéns ao Alexandre Cruz e à galera que registrou as imagens.

Eric Poseidon: @ericposeidon

Dia 16 de junho, acompanhando a previsão pelo Surfguru, de um Swell bem sólido e muitas chances de rolar um mar grande e clássico. A previsão já me deixava sem dormir direito, até por conta dessa situação de proibição de atividades no mar. Pra me deixar mais ansioso ainda, nessa semana foi liberado a prática de surf. Tentei me manter fisica e mentalmente pra pegar esse Swell.

Fomos dar o check um dia antes, já tinham altas ondas, mas a ondulação não era a encaixada na direção que quebra em São Conrado. No dia seguinte, ela virou um pouco mais e o mar ganhou mais tamanho, aí já vinham as poderosas bombas e diamantes, com poucas pessoas na água.

Eu, Alexandre cruz (“Booquinha”), Thiago Vilela e Pablo Ricardo, da nova geração. Foi um dia muito fora do normal, o mar estava bem difícil, consegui pegar umas animais, mas a do dia foi do Boca, animal e com grande estilo, parabéns irmão. E que venham o próximos!

Comentários

Galerias | Mais Galerias