#meio ambiente #comunidade #educação 
Brasil

Dia Mundial dos Oceanos 2020

WWF / Carol Barcelos

Hoje celebramos o Dia Mundial dos Oceanos e o Dia do Oceanógrafo no Brasil!

Hoje celebramos o Dia dos Oceanos no mundo. O tema desse ano é "Inovação para um Oceano sustentável", chamando a atenção para a criação de novas tecnologias, métodos, ideias e projetos em prol de uma relação mais sustentável com o ambiente marinho. No Brasil, a data ainda ganha um significado maior: hoje também comemoramos o dia do Oceanógrafo, profissional que estuda o oceano em suas multi-disciplinaridades.

A ideia é ter um dia para a conscientização e mobilização das pessoas em prol da conservação dos oceanos. Esse imenso corpo de água está diretamente ligado ao funcionamento dos ciclos biogeoquímicos e climático do planeta. Talvez você não sinta sua presença no dia-a-dia, mas a água da chuva, água potável, tempo, clima, parte da nossa comida e até o oxigênio que respiramos é fornecido e regulado ativamente pelo oceano.

Diversas atividades, em todo o mundo, estão acontecendo neste exato momento, e de forma insustentável.  Isso nos chama a atenção para o fato de que estamos perdendo o prazo para mudar a forma como nos relacionamos com os oceanos: de um ambiente onde nós pegamos o que queremos e despejamos o que não queremos, para o de cuidado especial com um recurso compartilhado e de valor inestimável. Os benefícios dos oceanos para a nossa vida são evidentes. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estima que a pesca e a aquicultura juntas asseguram a subsistência de 10 a 12% da população mundial, e que quase 200 milhões de pessoas dependem dos recifes de corais para protegê-los de tempestades e ondas.

Ocupando, 71% da superfície da terra, sendo que mais da metade deste enorme território tem mais de 3.000 metros de profundidade, os oceanos abrigam espécies ainda desconhecidas pela Ciência. Além disso, os oceanos absorvem gás carbônico e ajudam a minimizar o aquecimento global.

O volume de vazamento de plástico nos oceanos é estimado em mais de 8 milhões de toneladas de lixo plástico ao ano. No começo de maio, o cientista Victor Vescovo encontrou saco plástico, embalagens doces e resíduos plásticos durante um mergulho a 10.927 metros de profundidade, na Fossa das Marianas, durante o mergulho mais profundo já realizado na história da humanidade. Com essa revelação, não resta parte alguma dos mares e oceanos que não tenha sido impactada por atividades humanas.

Segundo o estudo “Reviving the Oceans Economy: The Case for Action”, publicado pela Rede WWF em 2016, o valor dos oceanos é estimado em US$ 25 trilhões. Por outro lado, segundo um outro estudo público no Boletim da Poluição Marinha (maio/2019), o prejuízo causado pela poluição plástica ultrapassa os US$ 2,5 trilhões.

Temos um oceano de possibilidades e oportunidades que não temos aproveitado devidamente. Ainda estamos presos na relação: pegamos o que queremos e deixamos o que desprezamos. Essa conta não fecha.

Oceanografia e Ciências do Mar

O oceanógrafo estuda os oceanos e suas relações com outros componentes do sistema Terra, como atmosfera, criosfera e biosfera. A abordagem da oceanografia é multi-disciplinar, o que significa que este profissional é capacitado para enter o oceano de forma integral, levando em conta os processos químicos, físicos, geológicos e biológicos que um fenômeno ou ação desencadeia. Uma parte importante da oceanografia também envolve as atividades humanas e suas relações com o mar, abordando disciplinas como história, ciências sociais e economia. Existem cursos de graduação e pós-graduação em oceanografia ou oceanologia em diversos estados do Brasil e a profissão foi reconhecida oficialmente em Junho de 2008.

Cientistas do mar representam um grupo de profissionais mais abrangentes, que atua em pesquisas oceanográficas e marinhas. Além do cientista oceanógrafo, meteorologistas, geógrafos, engenheiros, veterinários, biólogos, químicos, geólogos, físicos, entre outros, contribuem massivamente com a construção do conhecimento sobre os oceanos. A ciência do mar é tão abrangente e imensa quanto seu objeto de estudo, o oceano, e é cada vez mais beneficiada pela interdisciplinaridade.

Solução

Em setembro, durante a assembleia geral das Nações Unidas, o WWF vai apresentar um grande abaixo assinado pedindo o fim da poluição plástica. Você pode participar acessando plastico.wwf.org.br, já estamos com mais de 400.000 assinaturas em todo o mundo.

Foi lançado recentemente o Guia de Consumo Responsável de Pescado Brasil pela WWF, com diversas informações sobre quais as espécies de peixe são as mais indicadas para consumo no Brasil.

A mudança começa com simples atos diários, como a escolha de um pescado e dizer não para um canudo plástico.

O momento é de unirmos forças para reverter esta curva de degradação é agora. Se perdemos esta oportunidade os prejuízos econômicos e sociais serão irreversíveis.

Temos que cuidar de quem cuida da gente. Conseguimos ver um pouquinho durante essa pandemia o quão difícil é ficar longe do mar, imagina não tê-lo mais? Vimos que ele vive sem nós, mas nós não vivemos sem ele. Nossa saúde física e mental depende muito disso, então o mínimo que podemos fazer para retribuir é cuidar dele assim como ele cuida da gente :)

Comentários

Galerias | Mais Galerias