#competição #comunidade #cultura #surf 
Hawaii - Estados Unidos por Marina Biljak

Alguns hobbies de Kelly Slater e Gabriel Medina

O surf é um esporte de muita adrenalina e de fortes emoções. Em razão disso e com o objetivo de relaxar, muitos surfistas buscam nas horas vagas algumas atividades que contam com um clima de competição mas que não geram tanta adrenalina e tensão.

Kelly Slater e Gabriel Medina, dois ícones do surfe mundial e de gerações distintas, são ecléticos nas escolhas de suas atividades nos momentos de lazer. Enquanto que Slater é fã de golfe e tem uma preferência por esportes mais tranquilos para praticar longe das pranchas de surfe, Medina prefere modalidades que requerem um pouco mais de ação, como o poker e o futebol.

Kelly Slater

Campeão do mundo em 11 ocasiões, Kelly Slater é uma das principais lendas do surfe mundial e dispensa muitas apresentações. Quando longe do mar, Slater gosta de se arriscar golfe — esporte que o surfista pratica desde os 23 anos de idade.

Slater é visto com alguma frequência em torneios de golfe de celebridades no Estados Unidos e também incentiva seus colegas de surfe a iniciarem na modalidade. Um dos motivos que fizeram o surfista se encantar pelo golfe foi uma dinâmica bem diferente a do surfe.

“No golfe, nada está se movendo, enquanto no surfe, tudo está se movendo. É uma dinâmica completamente diferente”, disse ele, em declarações para site norte americano Golf Digest. O surfista chega a jogar até 150 rodadas por ano e, por ter amizade com alguns golfistas profissionais, ele consegue pegar dicas preciosas para elevar seu nível de jogo. Além disso, o norte-americano procura ler livros e artigos para assimilar novas técnicas de golfe.

Slater também é fã do jiu-jitsu brasileiro e já foi visto em algumas oportunidades treinando com grandes nomes das artes marciais mistas, como o brasileiro Vitor Belfort e o norte- americano BJ Penn. 

A história do surfista nas artes marciais começou na juventude, quando ele conheceu o norte- americano Don Dragon Wilson, campeão mundial de kickboxing. Em 1982, quando veio ao Brasil pela primeira vez, Slater fez questão de conhecer a família Gracie, que é reconhecida mundialmente por ter dado origem ao “Brazilian Jiu Jitsu”.

Slater conheceu Rickson Gracie, uma das maiores lendas do jiu-jitsu. Como Rickson gostava de surfar na Califórnia e ajudou a levar o jiu-jitsu brasileiro para os Estados Unidos, Slater teve um contato mais próximo com arte marcial. Além disso, sempre quando vem ao Brasil ele faz questão de mencionar a família Gracie como referência para ele nas artes marciais.

Gabriel Medina 

Bicampeão mundial e um dos maiores nomes da história do surfe nacional, o brasileiro Gabriel Medina tem ao menos três hobbies conhecidos: poker, esportes eletrônicos e futebol.

Medina tem uma amizade muito grande com o jogador de futebol Neymar, atacante do Paris Saint-Germain (França). Neymar foi um dos grandes incentivadores para que o surfista começasse a praticar poker.

Em muitas oportunidades, ambos já foram vistos jogando partidas de poker juntos. Um dos lugares preferidos é na própria casa, no seu luxuoso condomínio Atlantic Paradise, em Itapema. Em junho deste ano, Neymar convidou Medina e mais alguns amigos para uma partida de poker no local.

Por ter um espírito competitivo de natureza, Medina gosta de estudar poker e procura tomar aulas com grandes nomes do esporte das cartas brasileiro, além de jogar algumas partidas recreativas com alguns deles.

Em 2014, ano de seu primeiro título mundial, Medina celebrou a conquista em uma mesa de poker com amigos. Dentre os convidados estava Caio Pessagno, um dos melhores jogadores de poker online do mundo.

Apesar de estar jogando poker há cinco anos com alguma frequência, Medina nunca se arriscou em um torneio oficial — como fazem outros esportistas que gostam da modalidade. Neymar, por exemplo, já participou de algumas etapas do Campeonato Brasileiro de Poker.

Outro hobby de Medina são os esportes eletrônicos e seu jogo preferido é CS:GO. Novamente por influência de Neymar, Medina conheceu o CS:GO em um réveillon que participou na casa do jogador brasileiro. Foi nessa ocasião que ele teve a oportunidade de conhecer alguns membros do time da SK Gaming, uma organização alemã de esportes eletrônicos.

Em 2017, o surfista brasileiro foi convidado para comentar partidas de CS:GO na Game XP, importante evento de games realizado em parceria entre a Comic Con Experience e o Rock in Rio.

A paixão é tanta que Medina participa de um grupo de CS:GO com outros atletas brasileiros. Nenê (jogador de futebol) e André Akkari (jogador de poker) são alguns dos nomes que jogam com ele. No entanto, como viaja para muitas praias isoladas, nem sempre o surfista consegue encontrar uma conexão estável para jogar online.

Além de todas essas outras atividades, vale destacar que Medina gosta muito de futebol e já declarou em várias em entrevistas que se não fosse surfista ele iria optar pela carreira de jogador de futebol.

Na primeira semana de novembro, o bicampeão mundial de surfe foi convidado pelo presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Rogério Caboclo, para visitar a sede da maior entidade do futebol brasileiro. “A camisa da Seleção Brasileira é um símbolo de vitória reconhecido do mundo inteiro. Legal demais ter essa oportunidade de conhecer a sede, ser recebido pelo presidente e fazer a visita ao museu. É muita história construída por craques reverenciados por todos”, disse Medina ao site da CBF.

Foco no tricampeonato mundial

Em dezembro, Medina tentará o tricampeonato mundial em Pipeline, no Havaí. Ele vai para última etapa do ano ocupando a 2ª posição, com 1.065 pontos de desvantagem para o seu compatriota ítalo Ferreira — que venceu a última etapa disputada em Portugal e assumiu a liderança do campeonato mundial.

Comentários

Galerias | Mais Galerias