#competição #comunidade #surf 
Ubatuba - São Paulo - Brasil por Fábio Maradei

Sophia Gonçalves é destaque no Brasileiro em Ubatuba

Vencedora em 2 categorias em maio, Sophia Gonçalves é destaque da nova geração no Circuito Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba

Previsão Surfguru de águas rasas para a Praia de Itamambuca - SP

Um dos grandes destaques na etapa realizada em maio, a paulista Sophia Gonçalves volta a competir em Ubatuba animada e confiante, tentando repetir as vitórias nas categorias sub14 e sub16 no Circuito Brasileiro de Surf Feminino. A competição na Praia de Itamambuca começa na sexta-feira (13) e é resultado de convênio firmado entre a União, por intermédio da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania, e a Prefeitura.

A atleta de apenas 13 anos vem despontando como uma das grandes promessas entre as meninas da nova geração e confirmou a aposta com as duas vitórias no mesmo evento. “A minha expectativa é muito grande, porque estou na briga pelos títulos do evento. Estou bem animada e venho treinando bastante para conseguir essas duas categorias novamente”, comenta.

Para a disputa deste final de semana, a atleta diz que se sente à vontade surfando em Itamambuca. “Eu amo essa praia, por parecer um pouco com a onda lá de casa”, revela Sophia, que atualmente mora em Maresias, por integrar o Instituto Gabriel Medina.

No mar, Sophia se inspira no surf de outro talento da nova geração, a norte-americana Carol Marks, atualmente no Championship Tour (CT) e é fã dos irmãos Gabriel e Sophia Medina, sua amiga e companheira de treinos, e também da havaiana Coco Ho. “Meu sonho é seguir carreira, ser surfista profissional. Estou evoluindo e acho que melhorei muito minhas batidas”, afirma.

“Eu vejo um campeonato só para meninas muito importante, pois a categoria precisa ser fortalecida e reconhecida, pois tem grandes talentos”, ressalta Sophia, que aprendeu a surfar aos dez anos e, ao contrário da maioria das competidoras, não tem pais que surfam.

“Sou de São Paulo, mudei para Peruíbe em 2014, mas não tinha contato com o surf. Quando completei nove anos, em 2015, um amigo dos meus pais me deu uma prancha e no outro dia me levou para aprender a surfar. Meu pai me levava para a praia e ficava em pé na prancha sem parafina”, lembra. “Até sabermos que tinha uma escolinha de surf que era gratuita e no mês seguinte já fui vice-campeã no Municipal de Peruíbe”, complementa.

Depois, ela soube do campeonato criado por Gabriel Medina para a formação da equipe de seu instituto em Maresias. “Na época, não sabíamos nada sobre surf. Na última etapa consegui um quarto lugar, com gosto de primeiro e garanti a vaga e assim minha família se mudou para Maresias em 2016. Foi tudo muito rápido”, recorda. “Meus pais renunciaram a tudo para hoje eu poder viver o sonho de ser surfista e treinar no Instituto”, completa.

INSCRIÇÕES - Além da sub16 e sub14, o Circuito Brasileiro de Surf Feminino tem as categorias sub12 e sub10 entre as amadoras. Nas disputas profissionais, estarão em ação a pro-adulto e a pro-júnior, ambas valendo pelo ranking da Associação Brasileira de Surf Profissional (Abrasp) e com premiação total de R$ 20 mil. Para completar a festa, as disputas da longboard, os pranchões. As atletas que ainda não garantiram vaga têm até esta quarta-feira para se inscrever. Informações pelo WhatsApp (21) 99140-9715, com Pedro Falcão.

Idealizado pelo surfista Wiggolly Dantas, o Circuito Brasileiro de Surf Feminino em Ubatuba é resultado de convênio firmado entre a União, por intermédio da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania, e a Prefeitura Municipal de Ubatuba. Patrocínios da Wizard by Pearson, Dantas, Radical Times e Ubasurf Motors, com apoios da Mormaii, Padaria Itamambuca, Quiosque Tia Albertina, Gigi Watery, Gangster e Pono Beachwear. Colaboração: Pousada Canto do Dado, Digital Brasil, Silva Indaiá Supermercado, EaD Unitau, Banana Wax, ONG Esmeralda, Fisioterapia Sérgio Neri, Gaijin Massoterapeuta, Firma, Sportomics e Lazybbag. Divulgação: Waves e FMA Notícias. Supervisão técnica da Associação Brasileira de Surf Profissional (Abrasp), Federação Paulista de Surf e Associação Ubatuba de Surf (AUS).

Comentários

Galerias | Mais Galerias