#meio ambiente 
São Sebastião - São Paulo - Brasil por Alexandre Destro

O grito "silencioso" de um pedido de socorro da Tartaruga Marinha

Galera do surf e comunidade, ambientalistas e protetores do planeta

Apelo de uma Tartaruga-Marinha

A humanidade teve uma longa história durante anos de nossa existência, agora imagina a história de uma tartaruga-cabeçuda e sua existencia até hoje. Desde o surgimento da roda a tecnologia atual, o homem evoluiu bastante. E elas vem sofrendo com a ação do homem. Mas até que ponto essa evolução do homem moderno e atual?


Será que esquecemos de evoluir no problema no caso do lixo? O que falta? A reciclagem decaiu esses tempos, com uma porcentagem significativa, exibida em um dos telejornais brasileiros. O problema não vem só acontecendo no Brasil, fato é, no mundo todo existe esse problema, o lixo sem reciclagem. 


Mas existem muitos guardiões, anjos e protetores ambientais e muita gente fazendo sozinha. Por que não fazer todos juntos? Vamos pensar juntos na vida milenar de uma tartagura, baleia, arraias, peixes, recifes que hoje se alimentam de plásticos.

Futuras gerações podem até não ver mais, alguns animais, peixes e aves. Precisamos de algo mais enérgico e sério. Já estamos comendo o sal e cozinha com resíduos plásticos. E agora? É justo isso para o homem? Imagina para os animais que completam a nossa paisagem natural, que nossos olhos se agradam em ver.


Galera! Recolha o micro-plástico de qualquer lugar que esteja, conscientemente, mas o lance é não jogar esse plástico no meio-ambiente, ele vai interferir no eco-sistema local, como: Oceanos, Mar, Rios, Cachoeiras, Lagos e Lagoas. Recolha o que puder, pense nas futuras gerações humanas e animal.


Segue abaixo um laudo de uma tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), encontrada no litoral norte de São Paulo, em estado de decomposição. Levada pelos profissionais do Instituto Argonauta de São Paulo. E conheça mais desse animal milenar com a fonte usada do Projeto TAMAR.

Laudo Tecnico do Instituto Argonauta: 

Em junho do dia 21 de 2019, após acionamento de um morador da Praia de Guaecá, uma tartaruga da espécie Caretta caretta mais conhecida como tartaruga cabeçuda foi encontrada morta na Praia de Guaecá em São Sebastião e retirada pela Equipe do Instituto Argonauta.


O animal foi encaminhado ao Centro de Estabilização do Instituto - base  São Sebastião, onde passou por necropsia.


Devido ao estágio avançado de decomposição, situação de autólise, não foi possível determinar a causa da morte do animal.


A morte de uma tartaruga pode se dar por diversas causas, tanto naturais como por interação com o homem – causas antrópicas, sendo as mais recorrentes, a poluição e a interação com a pesca.


De acordo com o Diretor do Aquário de Ubatuba e Presidente do Instituto Argonauta, o oceanólogo Hugo Gallo, o Instituto Argonauta já retirou 5480 animais mortos das praias do litoral norte nos últimos três anos.


Segundo o Presidente, dos passíveis de necropsia 17 % apresentaram interação com lixo, 12,24% interação com a pesca e 2,53% choque com embarcações.


As demais interações se agrupam entre agressão, vandalismo e caça.

TARTARUGA

Em algum momento da criação do mundo, as tartarugas marinhas receberam a seguinte missão: "Espalhem-se pelos oceanos, não escondam as suas belezas; alimentem a quem for necessário; mas não deixem de existir". Assim foi feito - e o homem não tem o direito de contrariar essa lei cósmica.


Depois de mais de 100 milhões de anos de sobrevivência e evolução, as tartarugas marinhas continuam desempenhando importante papel ecológico nos ambientes onde ocorrem - das áreas costeiras a grandes profundidades oceânicas (as chamadas regiões abissais). São fonte de alimento para predadores marinhos e terrestres, inclusive o homem, e importantes consumidores de organismos marinhos, servindo como substrato para outras espécies.


Como animais migratórios, as tartarugas se deslocam desde os trópicos até as regiões subpolares, transferindo energia entre ambientes marinhos e terrestres. São consideradas verdadeiros engenheiros do ecossistema, devido a sua influência e ação sobre os recifes de coral, bancos de grama marinha e substratos arenosos do fundo oceânico.

Comentários

Galerias | Mais Galerias