#previsão #competição #surf 
Mar del Plata - Buenos Aires - Argentina por João Carvalho

Início do Rip Curl Pro Argentina é adiado

Um total de 81 surfistas de oito países vai participar do QS 1500 masculino e do QS 1000 feminino da sétima edição da etapa argentina que vai até o Domingo de Páscoa em Mar del Plata.

Previsão Surfguru mostra boas condições para os dias 19, 20 e 21 em Mar Del Plata - ARG

Com a previsão de ondas melhores para os próximos dias, o início do Rip Curl Pro Argentina foi adiado na terça-feira em Mar del Plata. No total, 81 surfistas de oito países vão participar da sétima edição da única etapa do Circuito Mundial na Argentina. São 58 representantes de cinco nações divididos nas dezesseis baterias da primeira fase do QS 1500 masculino e 23 meninas de sete países nos oito confrontos da rodada inicial do QS 1000 feminino. A primeira chamada da quarta-feira será as 9h00 na Playa Grande para as duas categorias.

A decisão pelo adiamento foi anunciada na segunda reunião da comissão técnica do Rip Curl Pro Argentina para analisar as condições do mar, realizada às 12h00 da terça-feira em frente ao Biologia Surf Club, onde está instalada a arena do evento na Playa Grande de Mar del Plata. Esta é a terceira etapa do WSL Qualifying Series organizada pela WSL South America esse ano, para os homens disputarem pontos no ranking mundial e no regional que define o campeão sul-americano da temporada. Já para as mulheres, será a primeira de 2019 no continente.

“A direção de prova decidiu adiar o evento hoje (terça-feira) na segunda chamada do dia, por conta que as ondas não melhoraram nem na maré cheia e ainda teve o agravante que o vento norte/nordeste aumentou, prejudicando ainda mais a formação das ondas”, explicou o Tour Manager da WSL South America, Roberto Perdigão. “Teremos uma nova chamada amanhã às 9h00 da manhã para ver como vai estar o mar e a possibilidade de iniciar a competição, porém estamos vendo que a previsão está melhor mais para a quinta-feira, indicando boas ondas também para a sexta-feira, sábado e domingo”.

Um dos representantes dos surfistas que participou das reuniões da comissão técnica na terça-feira foi o paulista Thiago Camarão, que já venceu o Rip Curl Pro Argentina em 2017, no mesmo ano que conquistou o título sul-americano da WSL South America. Ele está escalado na primeira bateria com mais dois brasileiros, Alax Soares e Gabriel André. O Brasil ganhou todas as seis edições da etapa argentina e é maioria entre os 58 participantes deste ano, com 33 surfistas, contra dezessete argentinos, quatro chilenos, três peruanos e um costa-ricense.

Entre as mulheres, a equatoriana Dominic Barona está invicta em Mar del Plata, vencendo as duas únicas vezes que teve competição feminina no Rip Curl Pro Argentina, em 2017 e 2018. Já é quase uma tradição os ganhadores desta etapa se sagrarem campeões sul-americanos no final do ano. Foi assim com Alex Ribeiro em 2014, Robson Santos em 2015, Thiago Camarão em 2017 e Wesley Santos em 2018. Também no ano passado, Dominic Barona conseguiu seu segundo título sul-americano na temporada iniciada com o bicampeonato em Mar del Plata.

Mimi Barona também está escalada na primeira bateria do Rip Curl Pro Argentina, com a argentina Catalina Mercere e a brasileira Julia Duarte. O Brasil também é maioria entre as 23 inscritas no evento que abre a disputa pelo título sul-americano de 2019 em Mar del Plata, com nove surfistas. A Argentina vem a seguir com seis competidoras e a lista dos sete países representados na categoria feminina prossegue com duas peruanas, duas chilenas, duas norte-americanas, uma mexicana e uma equatoriana, a defensora do título, Dominic Barona.

O Rip Curl Pro Argentina será transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão. A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial. Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

----------------------------------------------------------------

João Carvalho – WSL South America Media Manager

(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

----------------------------------------------------------------

RIP CURL PRO ARGENTINA – baterias sujeitas à alterações até o início do evento:

PRIMEIRA FASE DO QS 1500 – 3.o=33.o lugar (180 pts) e 4.o=49.o lugar (165 pts):

1.a: Thiago Camarão (BRA), Alax Soares (BRA), Gabriel André (BRA)

2.a: Leonardo Barcelos (BRA), Martin Passeri (ARG), Sergio P. Souza (BRA), Jeronimo Ane (ARG)

3.a: Gustavo Bertotto (BRA), Ryan Kainalo (BRA), Arthur Cerqueira (BRA)

4.a: Nicolas Vargas (CHL), Gustavo Dvorquez (CHL), Gaspar Larragneguy (ARG), Yago Vaz (BRA)

5.a: Tomas Tudela (PER), Brayner Silva (BRA), Caio Costa (BRA)

6.a: Matheus Navarro (BRA), Pedro Dib (BRA), Eric Monteiro (BRA)

7.a: Leandro Usuna (ARG), Kaue Germano (BRA), Felipe Oliveira (BRA), Nicolas Hermida (ARG)

8.a: Igor Moraes (BRA), Aldo Chirinos (CRI), Marcelo Rodriguez (ARG), Victor Costa (BRA)

9.a: Lucca Mesinas (PER), Daniel Adisaka (BRA), Brian Perez (ARG)

10: Jhonny Guerrero (PER), Luan Wood (BRA), Icaro Rodrigues (BRA), Santiago Alegria Mena (ARG)

11: Facundo Arreyes (ARG), Juan Ruggiero (ARG), Cristobal Montecinos (CHL), Julian Serres (ARG)

12: Lucas Vicente (BRA), Mateus Sena (BRA), Pedro Bianchini (BRA), Ignacio Ruggiero (ARG)

13: Samuel Pupo (BRA), João Jucoski (BRA), Luciano Brulher (BRA)

14: Roberto Araki (CHL), Alex Lima (BRA), Radziunas Franco (ARG), Giuliano Arreyes (ARG)

15: Wesley Leite (BRA), Yuri Schoenau (BRA), Uriel Sposaro (BRA), Deyvson Santos (BRA)

16: Pedro Nogueira (BRA), Andres Mondo Prados (ARG), Nazareno Pereyra (ARG), Francisco Rodriguez Oteriño (ARG)

PRIMEIRA FASE DO QS 1000 FEMININO – 3.a=17.o lugar com 200 pontos:

1.a: Dominic Barona (EQU), Catalina Mercere (ARG), Julia Duarte (BRA)

2.a: Karol Ribeiro (BRA), Daniela Rosas (PER)

3.a: Lucia Indurain (ARG), Lucia Cosoleto (ARG), Bruna Carderelli (BRA)

4.a: Monik Santos (BRA), Kaleigh Gilchrist (EUA), Maya Larripa (MEX)

5.a: Josefina Ané (ARG), Brooke Daigneault (EUA), Ornella Pellizzari (ARG)

6.a: Jessica Anderson (CHL), Yanca Costa (BRA), Sol Galindo (ARG)

7.a: Lorena Fica (CHL), Camila Cassia (BRA), Potyra Dominguez (BRA)

8.a: Taina Hinckel (BRA), Mar del Solar (PER), Maju Freitas (BRA)

CAMPEÕES DO RIP CURL PRO ARGENTINA:

2018: Wesley Santos (BRA-SP) e Dominic Barona (EQU)

2017: Thiago Camarão (BRA-SP) e Dominic Barona (EQU)

2016: Flavio Nakagima (BRA-SP)

2015: Robson Santos (BRA-SP)

2014: Alex Ribeiro (BRA-SP)

2013: Jihad Khodr (BRA-PR)

Comentários

Galerias | Mais Galerias