São Sebastião - São Paulo - Brasil por Fábio Maradei

Sophia Medina vai em busca do título no Wiggolly Dantas Brasileiro de Surf Feminino

O sobrenome é de campeão mundial e a vontade de chegar lá é igual. Irmã caçula de Gabriel Medina, a jovem revelação do surf brasileiro, Sophia Medina é mais uma atração no Wiggolly Dantas apresenta Wizard Brasileiro de Surf Feminino, que começa nesta sexta-feira (22), em Ubatuba. Vice-campeã sub12 no ano passado, a surfista de Maresias vai em busca do inédito título.

A competição na Praia de Itamambuca reunirá mais de 100 atletas de vários estados, divididas em sete categorias. A disputa principal será a profissional, válida pelo título nacional Abrasp, com R$ 15 mil de premiação. Também estará em ação a longboard (pranchões), com R$ 5 mil, mas as atenções também estarão voltadas para as categorias de base, na sub10, sub12, sub14, sub16 e sub18, incentivando e fortalecendo a formação dos novos valores.

“As expectativas são boas. Esse campeonato é muito importante, porque não temos muitas competições femininas no Brasil. Queria dizer que é muito legal a família Dantas fazer esse evento”, destaca Sophia, que já atua como uma espécie de ‘embaixadora’ do surf feminino, enaltecendo a iniciativa de Wiggolly em ajudar a fortalecer a categoria. “A minha geração tem muito potencial e pouco investimento em campeonatos e atletas. Esse apoio do Guigui é muito legal”, fala a atleta patrocinada por Rip Curl, Vult, Instituto Gabriel Medina, Nivana, Big Security, Pro Ilha e Cabianca.

Na competição, ela disputará a sub12 e a sub14, com a orientação do pai, Charles Saldanha, igual como fazia com Gabriel no início de carreira. “Vai ser muito importante porque ele sempre me orienta, treina, corrige o que precisa, junto com os técnicos do IGM”, referindo-se ao Instituto Gabriel Medina, onde treina diariamente. “Os treinos e tudo que tem lá estão me ajudando a evoluir cada vez mais”, ressalta. 

Ela chegará direto da Califórnia/EUA e antes esteve nas Maldivas, acompanhado o irmão. “A viagem foi ótima, deu para treinar. A onda em Trestles é parecida com Itamambuca e surfei todos os dias para chegar no campeonato preparada”, afirma a atleta, que além do irmão, é fã da tricampeã mundial Carissa Moore, Coco Ho, ambas do Havaí, a norte-americana Sage Erickson e a brasileira Silvana Lima.

EMOÇÃO – Para Charles, acompanhar Sophia nas competições tem a mesma emoção de quando iniciou com Gabriel Medina. “É igual quando o Gabriel ia disputar um campeonato importante. Aquela mistura entre o pai e técnico, tentando sempre manter o foco, a tranquilidade, mas nunca deixando as emoções de lado. Tenho orgulho de estar com minha filha num campeonato importante”, comenta o técnico do primeiro brasileiro campeão mundial de surf.

A mãe, Simone Medina, também estará junto e não esconde a ansiedade de ver o mesmo filme passando novamente. “É um prazer ver a Sophia seguir os passos do irmão. Também é tenso como acontecia com o Gabriel. Ficamos na expectativa do final da bateria, torcendo e vibrando até o toque da buzina (sinalizando o final da disputa). Não tem diferença. A sensação é a mesma. É bom ver os filhos fazendo o que amam com alegria”, completa.

PELA INTERNET – As disputas começam sexta-feira, 8 horas e as finais estão marcadas para domingo. Nomes conhecidos estão confirmados, como a catarinense Jacqueline Silva, que tem em sua trajetória o vice-campeonato mundial do WCT e neste evento de Ubatuba foi campeã em 2015 e vice em 2016, entre as profissionais. Todas as baterias serão transmitidas ao vivo pela internet, nos siteswww.fpsurf.com.br e www.aus.org.br.

Comentários

Notícias | Mais Notícias