Florianópolis - Santa Catarina - Brasil por João Lopes

Floripa Surf Pro 2019

Mais uma vez a Joaca mostrou porque é considerada um dos picos sagrados do surf competição brasileiro. A retomada do circuito profissional de surf em Santa Catarina começou neste último final de semana, dias 23 e 24 de março, comemorando os 346 anos da fundação de Florianópolis (SC).

Foram dois dias com ondas clássicas para os cerca de 90 surfistas de todo país inscritos para o Floripa Surf Pro 2019.  A competição ofereceu 20 mil reais em premiação e 1.500 pontos para os rankings profissionais da Fecasurf e Abrasp. O campeão da prova levou pra casa a quantia de R$5.250,00 (cinco mil duzentos e cinquenta reais).

SÁBADO

Não poderia começar da melhor forma o retorno do Circuito Fecasurf Profissional em Santa Catarina. Séries constantes e perfeitas quebraram sem parar, chegando a 2 metros na praia da Joaquina, que manteve a tradição de proporcionar grandes momentos para o surf brasileiro.

Com essas condições clássicas até o início da tarde, o primeiro dia do Floripa Surf Pro 2019 finalizou as 16 baterias do primeiro round, e mais 10 confrontos do segundo, deixando para o domingo de manhã as seis baterias restantes para fechar esta fase.

O destaque deste primeiro dia na Joaquina foi Ramiro Rubim, local da praia do Campeche, que cravou a maior nota da competição até o momento (8.33). Ele entrou na segunda bateria do dia, e aproveitou bem as excelentes condições para triturar uma esquerda de backside. Quem também mostrou grandes performances neste sábado foi o atleta de Garopaba(SC) Pedro Mendes, que fez o maior somatório das 26 baterias disputas no dia.

O atual campeão catarinense profissional Uriel Sposaro, de 17 anos, começou bem a defesa de seu título. Ele estreou direto na segunda fase como cabeça de chave e conseguiu a classificação para o terceiro round, que acontece neste domingo.

”Estou feliz por tudo ter dado certo, apesar das difíceis condições do mar na hora da minha bateria, diferente de hoje cedo, com aquelas ondas incríveis. Amanhã vamos com tudo novamente”, disse Uriel.

Terminado o primeiro dia de disputas, começaram as atrações no palco montado na praia da Joaquina, em comemoração ao aniversário de 346 anos de Florianópolis. Apresentações da cultura ilhéu e Dj´s comandaram a segunda parte da festa, do projeto “O surf Invade Floripa na semana de seu aniversário”.

A competição volta neste domingo, a partir das 8 horas da manhã, com a conclusão do segundo round, e segue até sua conclusão no período da tarde, quando será conhecido o campeão do Floripa Surf Pro 2019.

Apesar do swell ter diminuído em relação ao sábado, a qualidade das ondas se mantiveram excelentes para o domingo decisivo na praia da Joaquina, que reviveu os grandes eventos de surf realizados na cidade num passado recente.

Créditos para o presidente da Associação de Surf da Joaquina (ASJ) Cristiano Melo, e Reiginaldo Ferreira, presidente da Fecasurf (Federação Catarinense de Surf), que juntos com a Prefeitura de Florianópolis e a Fundesporte, proporcionaram essa retomada do surf profissional catarinense, num circuito programado para três etapas até o final do ano. 

Semifinais

Após as disputas eletrizantes em ondas clássicas durante o fim de semana, o público que lotou a Joaca nesse domingo de sol acompanhou os oito melhores surfistas da etapa se enfrentando nas semifinais. No primeiro confronto, o imbitubense João Paulo de Abreu e Luan Wood, da praia do Matadeiro, em Floripa, superaram o capixaba Lyssandro Leandro (4º) e o paraibano José Francisco “Fininho”(3º).

Wood carimbou sua classificação praticamente na regressiva, quando remou com fé atrás de 3.60 pontos, e marcou 3.90, garantindo sua vaga para a final. Na disputa seguinte, Márcio Farney usou seu tradicional “Power surf” nas ondas que quebravam mais pra beira naquele momento do dia, para vencer com propriedade a segunda semi, seguido do paranaense Jihad Kodr em segundo.

Essa bateria teve ainda Pedro Nogueira em terceiro, com o bicampeão catarinense profissional 2004/2006 Diego Rosa na quarta posição. “Feliz em poder competir e chegar numa semifinal de um campeonato forte como esse. Isso me dá muita  motivação para seguir treinando”, declarou o bicampeão.

Bateria entre campeões catarinenses pro na Joaca

Antes da grande final do Floripa Surf Pro 2019, a ASJ promoveu uma bateria de exibição com atletas que já foram campeões catarinenses profissionais da Fecasurf no passado.

Guga Arruda (95/99), Raphael Becker (2003), Diego Rosa (2004/2006) e Marco Polo (2007/2008) se reencontraram numa disputa amistosa, que reuniu sete títulos estaduais na água, onde todos saíram vencedores. Dos quatro campeões, o único que não disputou o evento principal foi Guga Arruda.

Final

Os quatro melhores surfistas do evento se encontraram para o confronto decisivo de um evento que entrou pra história do surf catarinense e brasileiro, com dois dias de ondas clássicas na praia da Joaquina. João Paulo de Abreu, Márcio Farney, Johad Kodr e Luan Wood teriam 25 minutos para definir que saíria com os R$5.250,00 reais oferecidos ao campeão do Floripa Surf Pro 2019.

A disputa foi equilibrada até a metade da bateria, quando os catarinenses Luan Wood e João Paulo de Abreu se distanciaram de Farney e Jihad. Com uma troca de notas boas, Luan Wood dominou as ondas da Joaca, que nesse momento estavam com excelente formação próxima a beira.

O talentoso imbitubense João Paulo de Abreu estava em segundo, precisando de um score excelente, e partiu pro tudo ou nada. Abreu acelerou numa direita bem armada e arriscou um aéreo alto com rotação completa em busca da nota salvadora, mas ficou por trás da onda.

Melhor para Luan Wood e seu estilo polido, mesclado com o moderno, que mostrou performances sólidas para vencer a primeira etapa do circuito profisional catarinense de 2019. “Estava precisando do dinheiro, pois essa semana começa uma etapa do Circuito QS no Peru. Tinha me inscrito, mas não havia garantido presença ainda. Vamos ver como vai ser a sequencia dos fatos”, declarou o campeão.

Fechando o pódio, o paranaense Jihad Kodr saiu da Joaquina com uma excelente terceira posição, seguido de Márcio Faney em quarto. A entrega da premiação aconteceu no palco armado no estacionamento da Joaquina, de frente para a praia, para os shows que viriam na sequencia.

Com a presença do prefeito de Florianópolis Gean Loureiro, que se impressionou com a praia lotada, a cerimônia de premiação corou os quatro melhores surfistas da etapa, sob o aplauso do público presente, em mais um evento de surf pra ficar na história da cidade.

O Floripa Surf Pro 2019 foi apresentado pela Prefeitura Municipal de Florianópolis. Patrocínio: Fundação Municipal de Esportes, Restaurante Pedra Careca, Goola do Açai e A Toa na Joa. Apoio: Silverbay, Restaurante Maurílio, Joaquina Beach Hotel, Layback Coffee, Aktion Paz e Cris Hotel. Realização: Fecasurf (Federação Catarinense de Surf). Supervisão técnica: ASJ (Associação de Surf da Joaquina) e ABRASP (Associação Brasileira de Surf Profissional). Divulgação: Waves, Jovem Pan e Surfguru.

Resultado Final

1º Luan Wood
2º João Paulo de Abreu
3º Jihad Kodr
4º Márcio Farney

Prime.Press07 Assessoria & Comunicação

Jornalista: João Lopes    Fotos: Basilio Ruy   Clipagem: Murilo Rocha

Comentários

Notícias | Mais Notícias