Oahu Costa Norte - Hawaii - Estados Unidos por Raquel Heckert

Raquel Heckert solta nas bombas havaianas

"Minhas ondas preferidas são Pipeline, Waimea, Ehukai e V-land. Waimea, é a onda dos meus sonhos havaianos, onda que admiro e que almejo há anos. Quando surfei pelo primeiro dia, eu não parava de sorrir, foi emocionante. Agradeço muito ao meu pai e ao meu avô por terem pago a prancha no Brasil para que possa estar usando aqui no Havaí, mesmo não estando em condições financeiras para isso.
Pipeline é uma onda que é preciso ter foco e paciência, é sensacional estar lá dentro. Surfei um Pipeline grande, médio e pequeno, a cada "wipeout" que tomo, cada onda que acerto, aprendo mais um pouco. Infelizmente muitas pessoas se feriram nesta temporada, como Owen Wright, Evan Geiselman, fotógrafos, entre outros surfistas. Mas é incrível e desafiador estar lá dentro, vale muito a pena sentir a adrenalina que só Pipeline e Backdoor faz você sentir.  
Off the wall, já peguei altas ondas, esses dias peguei um mar muito divertido que só tinha brasileiros na água, dominamos o pico. 
Makaha, conhecido como "God's country" (País de Deus). O lugar é um cenário de filme, cheio de montanhas, com uma onda extensa que quebra no lado oeste da ilha. O pico pode rolar tanto pequeno, quanto grande perfeito. No primeiro big swell de 2016, levei a minha 10'6 e peguei seis ondas incríveis, aproveitei muito. Como é uma onda com muito volume d'água e longe da areia, nos dias grandes, é preciso ter uma gunzeira, em Novembro do ano passado fui em um swell com uma 6.8, borda fina e não valeu a pena, tive que ficar bem no inside.

Há mais ou dois meses e meio, tive um livramento de Deus sinistro nesse pico. Pisei em ouriço, e por isso fiquei vários dias surfando Pipeline cheia de espinhos no pé. Mas uma hora depois de eu sair da praia com ajuda dos salva-vidas, houve um ataque de tubarão no mesmo lugar em que eu estava surfando. Graças a Deus, foram os espinhos e não uma mordida. 

V-land, onda que surfei bastante no mês em que eu estava morando em Velzland. Onda perfeita manobrável, com tubo no inside. Muitas crianças surfam lá, é um lugar muito tranquilo e agradável ao meu ver, nos dias clássicos que você pode acabar encontrando um crowd mais forte de surfistas profissionais, mas assim mesmo consegue surfar.
Ehukai é um pico que eu adoro, fundo de areia, animal, rola uma direita muito boa, e tubos também. Geralmente me posiciono em frente ao posto do salva-vidas. Nos dias conhecidos como "flat" rola altas marolas. Não sei porque consideram dias sem ondas, dias "sem ondas" como vejo quebrando em Ehukai  é que eu gostaria de surfar todos os dias. Haha
Este ano de 2016  começou com ótimos "swells", me aventurei em Sunset pesado, lindo e perfeito, tinha de 10 a 12 pés. Só tinha casca na água, inclusive Carlos Burle, Nicole Pacelli e Emi Erickson. Tomei seriados gigantes na cabeça, peguei apenas uma onda (Usei uma 7'2, mas estava muito fina e leve pro peso da onda), mas foi uma experiencia animal, mesmo tomando altas series de oeste na cabeça não larguei a prancha uma só vez, Hahaa para não arrebentar o "strep" e ter que sair nadando. No entanto no mesmo dia, final de tarde, fui surfar em Keiki e acabei quebrando minha 6.4 na primeira " bomba "que veio na minha cabeça. Keiki é pico onde a onda quebra perto da areia, onde o Clark Little frequenta para fazer suas belas imagens. O surfe lá me lembrou muito Itacoatiara (Niterói/Rio de Janeiro/Brasil). 
Log Cabins, fica ao lado de Rockpile. Um onda curta com uma bancada rasa para esquerda, surfei em um dia que estava bem grande, o treino foi forte.
Rocky Point rights and lefts,  peguei uns dias muito perfeitos, mar de "fazer a cabeça". O lado direito é mais raso, mas quebra altas ondas. "Rockys" é uma onda que não curti surfar grande, porque costuma ter uma correnteza além do comum. Houve um dia que eu já estava exausta de tanto remar, e acabei sendo puxada pelo lip de uma onda, quebrando assim uma quilha na minha coxa. Foi muito ruim remar por uns 20 minutos até conseguir chegar na areia. Hahaa
Cada dia aqui tenho uma experiência diferente, eu devia escrever um livro. É muita estória para contar, essa temporada está "on fire", um swell atrás do outro. Sempre que posso procuro explorar ondas novas, mas há picos que você não quer perder quando está quebrando. Esta ilha é encantadora, não importa o dia, se estiver a fim de pegar onda boa é só procurar que haverá um pico para saciar seu desejo.
Conheci uma cachoeira irada, fiz várias trilhas e conheci pessoas incríveis também. Ganhei muitos presentes, Deus tem aberto portas incríveis para mim aqui no Havaí. Este lugar tem me feito aprender muitas coisas, inclusive a confiar em Deus como nunca. Pois como não possuo patrocínio nem de me bancar esses seis meses aqui na Ilha, estou fazendo tudo pela fé e pelo esforço, ou seja, por amor ao surfe. As vezes sinto saudades da família e dos amigos, mas sei que eu tenho um caminho a percorrer. Eu não me vejo seguindo outra profissão, o surfe me completa, me faz alcançar as pessoas, não apenas com muito dinheiro que podemos ajudar ao próximo, mas também com palavras e atitudes. Espero que através da minha vida no surfe muitas pessoas se inspirem a nunca desisistirem de seus sonhos.
Não possuo patrocínio, mas tenho apoios que acreditam no meu meu potencial:
@fuwaxbrasil; @lotufo; @mmsurfboard; @academiaaquafish; @nangasports; @longarinastore; @açaífrutal; @jukastrup e @alicelobatojoias.
-Tive duas temporadas no México, duas no Peru, uma na Indonésia e estou tendo minha primeira temporada Hawaiana. Meu sonho é ter um patrocínio para que eu possa continuar quebrando meus limites no surfe, me dedicando aos tubos e as ondas grandes. Meu sonho é seguir as temporadas das melhores ondas pelo mundo, buscando minha evolução nos tubos, representando Niterói, o Rio de Janeiro e o Brasil da melhor forma possível."

ROUPAS E ACESSÓRIOS DE SURF E SKATE VOCÊ ENCONTRA NO SURFGURUSHOP.COM.BR

Comentários

Notícias | Mais Notícias