Jaguaruna - Santa Catarina - Brasil por Thiago Jacaré

Laje da Jagua volta a mostrar sua força

A equipe da Atowinj (Equipe de ondas grandes da Laje de Jaguaruna) vinha monitorando os gráficos do Surfguru durante toda semana, e sabia que a possibilidade do swell ser bom era certeira. Hoje podemos dizer com muita convicção que vivemos e respiramos em prol de dois picos de ondas grandes em Santa Catarina, a Praia de Jaguaruna e o Farol de Santa Marta. Esses dois sustentam as maiores ondulações que quebram pelo litoral brasileiro. Nesse último sábado, 07/11, não foi diferente, e a função, dessa vez, foi nas mutantes ondas da Laje da Jagua.
Temos um grupo nas redes sociais no qual analisamos juntos todos os swells que entram na costa brasileira. Através das análises vimos que esse swell não seria dos maiores, mas como o período era alto, chegando aos 14 segundos, a laje poderia mostrar suas garras. Agilizamos todas as funções, que não são poucas, e organizamos mais uma barca para off shore atrás das grandes ondas.
Na barca foram: Fabiano Tissot, João Baiuka, Jarvis Gaidzinski, Richard Fretta, M. Morona, Thiago Jacaré, o piloto do barco Marcos Vinicius e os cinegrafistas Lucas Barnis e Rafa Shot. 
Quando chegamos no pico de cara logo vimos que a onda seria a direita. Séries de aproximadamente 10 pés com algumas maiores quebraram na rasa bancada da Laje. O intuito inicial era surfar a onda na remada, mas como a ondas estava muito na pedra decidimos arriscar primeiro um tow in. João Baiuka logo foi pra água e de cara já veio numa boa onda da série. Baiuka é membro da Atowinj e um dos locais mais casca grossa do Farol de Santa Marta. Jarvis, que representa a família Gaidzinski do falecido Alexandre (Xande: um dos pioneiros do surf de ondas grandes no Farol e que veio a falecer ali mesmo na Laje da Jagua há alguns anos mergulhando), foi o segundo a ir pro tow e surfou boas ondas. 
Depois fui pra água. Dessa vez quem me rebocou foi Fabiano Tissot, como diria o big rider Luis Roberto Formiga “o garçom oficial da Laje”. Tissot tem o feeling do reboque no pico, mesmo ficando muito tempo sem rebocar, se dedicando muito pra remada, chegou e deu um show a parte. Pilotou tão bem, que logo na minha primeira onda me lançou num dos tubos mais irados que já surfei na Laje. Foi tudo tão rápido que os caras que estavam registrando nem conseguiram capturar direito a onda, mas a onda da Laje tem dessas coisas. Depois dessa, peguei mais umas cinco ondas e fiquei com a cabeça feita. Logo foi a vez do Tissot ir pro surf, então trocamos de posto e eu fui rebocá-lo. O cara estava fora da casinha hahaha. Vinha lá de trás e botava pra dentro dos tubos com muita insanidade, bem em cima das pedras que borbulhavam a todo vapor na rasa bancada. No final da session, ainda encaramos umas ondas na remada, pois o vento nordeste apertou e a maré virou deixando a onda melhor para esquerda.
“Nunca imaginava que veria ondas assim aqui mesmo no Brasil, essa onda merece respeito e é sem dúvida a pérola do big surf no país", relatou M. Morona em sua primeira trip no pico.

As imagens no pico através de vídeos foram feitas pelo local Lucas Barnis que trabalha com a equipe desde 2009 e as fotos foram captadas pelo mestre das lentes Rafa Shot, fotógrafo que vive registrando momentos incríveis das ondas pela região. Aloha e até a próxima!!!!

Thiago Jacaré

ROUPAS E ACESSÓRIOS DE SURF E SKATE VOCÊ ENCONTRA NO SURFGURUSHOP.COM.BR

Comentários

Notícias | Mais Notícias