#brasileiro #cbsurf #política #competições #profissional 
Brasil

Chapa Projeto Surfa Brasil segue firme na disputa pela CBSurf

Santos Press/ Lucas Leite

Após anulação pela Justiça do pleito realizado em dezembro, equipe encabeçada pelo bicampeão brasileiro, Jojó de Olivença, volta com fôlego renovado para uma nova eleição

Formado por um seleto grupo de surfistas e profissionais ligados ao surf nacional, o Projeto Surfa Brasil, liderado pelo baiano Jojó de Olivença segue firme na disputa pela Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), após a Justiça determinar a nulidade da última eleição realizada em dezembro de 2020.

Desde março do ano passado, o grupo trabalha com uma estratégia de remodelação da modalidade com ações pré-definidas para assumir a entidade, com foco na sua reestruturação e organização, otimização dos custos, padronização das futuras competições organizadas pela entidade, além do fomento e desenvolvimento das categorias de base visando a sua potencialização.

Em reunião realizada na última quinta-feira (01/04), que contou com a participação dos representantes das Federações dos estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e do Maranhão ficou definido os próximos passos para a campanha eleitoral.

“Foi um importante encontro, onde juntos avaliamos cenários, ouvimos os nossos aliados e definimos ações. Estou convicto que vamos sair vitoriosos na próxima eleição para iniciarmos um novo e vitorioso ciclo para o surf nacional”, disse o diretor jurídico da chapa, Alexandre ‘Beca’ Monguilhott.

Além de Jojó de Olivença e Brigitte Mayer, presidente e vice, respectivamente, a chapa conta com nomes importantes do surf do Brasil, como Karina Abras, Luiz Henrique Campos “Pinga”, Marcelo Andrade, Evandro Abreu, Fred Leite, Carlos ´Tuca´ Gianotti, Darian Ledesma, Nelson Ferreira, Juca Barros, Marcio Peruca, Armando Diniz, Fábio Quencas, Álvaro Bacana, Alemão de Maresias, Mano Ziul, Andréia Lopes, Hamilton do Maranhão, Jordão Bailo, Alfio Lagnado, entre outros.

No plano de gestão estão inclusos a formação e contratação de profissionais capacitados para o quadro interno da entidade, o estabelecimento de um plano de metas a curto, médio e longo prazo, projetos para reestruturação de todas as entidades ligadas à CBSurf e a criação de um cadastro nacional de surf para atletas, comissão técnica, dirigentes, treinadores, professores, assim como toda indústria do surf.

“Diante de todos os acontecimentos, apoiaremos o movimento das federações em buscarmos pelos meios legais, por meio de um chamamento em favor de uma assembleia, para realização de uma nova eleição, dentro das regras gerais do estatuto. Para isso, continuaremos renovando o nosso compromisso e ideais assumidos anteriormente, mantendo o foco na reorganização e gestão do surf brasileiro”, avalia Jojó de Olivença.

Comentários

Galerias | Mais Galerias