#poluição #ação ambiental #política 
Sumatra Ocidental - Indonésia

As Ilhas Mentawai Imporão "Taxa de Surfista"

Taylor Pitz - The Inertia

A regência das Mentawai e conselho legislativo anunciaram que introduzirão um imposto sobre o surf em 2016. "Nós só temos o nome, lixo, e os danos ambientais", disse o vice-regente das Ilhas Metawai Rijel Samaloisa.

"Não há nenhum regulamento que nos permita cobrar impostos." O regimento interno a ser elaborado também imporá um imposto sobre mergulhadores, navios de cruzeiro, e restaurantes e hospedagem em casas. Se aprovados, estes novos impostos irão ajudar a construção de instalações de apoio para uma série de picos de surf, tais como molhes, ancoradouros, centros de saúde, estradas, transporte e segurança. Espera-se que os novos impostos gerem mais de 35 bilhões de rúpias, [US $ 2,7 milhões] por ano.

Localizado no Oceano Índico ao largo da costa ocidental de Sumatra, na Indonésia, as Ilhas Mentawai são conhecidas por ser o lar de algumas das melhores ondas do planeta. Em um ano médio, a região vê mais de 5.000 turistas estrangeiros de surf, mas no ano passado, segundo o Jakarta Post, esse número chegou a mais de 7.000. Para os visitantes, o imposto deverá ser de US $76 para o acesso de 15 dias. Viagens de barco também serão cobrados US $ 380 para o acesso de 15 dias. A permissão para filmar um documentário ou filme de surf será de 1520 dolares.

Estes custos adicionais não deverão ter um impacto no número de surfistas que viajam para a Mentawais. A média do custo de viagens de surf para esta região normalmente é de US $ 2.500 a US $ 5.000 por pessoa, e aqueles que fazem a viagem já estão dispostos a gastar uma boa grana para surfar as melhores ondas do planeta. A este respeito, o imposto é nominal, e deve fazer pouco impacto no custo do surf no Mentawais. No entanto, há uma maior preocupação a respeito de onde estas receitas fiscais serão gastas.

Um imposto semelhante foi cobrado aos barco de charters em 2012. Este imposto de cerca de US $ 3 por surfista por dia era cobrado proprietários de barcos. Os proprietário do barco Shayne Whitfield charters tanto o Kaimana eo Kaimana II disseram à Stab Magazine que, ao contrário da crença popular, os proprietários do barco não tinham nenhum problema em compartilhar as receitas. "Nós pagamos com prazer", disse ele. "Nós não estamos aqui apenas para tirar, tirar, tirar. Mas o problema era que o dinheiro nunca fez o seu caminho para o povo." No caso do imposto do ano de 2012, a corrupção do governo interveio impedindo que os fundos alcançassem as pessoas locais e a infra-estrutura. Na verdade, ninguém sabe realmente onde a receita desse imposto de 2012 foi gasto. Tudo o que se sabe é que os chefes do escritório Regent e Turismo foram presos por corrupção e, em seguida, o imposto foi revogado.

Muitos temem que o novo imposto de surf vá seguir o mesmo exemplo. Para começar, o governo terá que alocar uma quantidade imensa de recursos apenas para impor o imposto de surf. Surfistas serão obrigados a usar pulseiras durante a duração da sua viagem, e barcos serão obrigados a exibir autorizações. Além disso, teme-se que as receitas tomadas voltem a ser desviadas da população local para os bolsos do Ministério do Turismo. Pelo lado positivo, o mais novo presidente da Indonésia, Joko Widodo, está trabalhando duro para tentar acabar com a corrupção, que tem sido um problema nas ilhas paradisíacas.

Fonte: The Inertia

ROUPAS E ACESSÓRIOS DE SURFE VOCÊ ENCONTRA NO SURFGURUSHOP.COM.BR

Comentários

Galerias | Mais Galerias