#previsão #tecnologia #meio ambiente 
Estados Unidos por Katy Scott - CNN

Drones Oceânicos Coletam Dados das Mudanças Climáticas

Uma frota de barcos não tripulados está viajando do Ártico até o equador, reunindo dados vitais sobre as mudanças climáticas.

Os barcos autônomos - chamados de "Saildrones" - se assemelham a pranchas vermelhas brilhantes. Cada um está equipado com uma vela de fibra de carbono de 20 pés de altura e 16 sensores que avaliam variáveis ambientais, incluindo dióxido de carbono, acidez, correntes e temperatura da água.

Os drones, que viajam a baixa velocidade, de 5 a 8 quilômetros por hora, estão fazendo o trabalho normalmente reservado para os navios tripulados, mas por uma pequena fração do custo.

A Saildrone, com sede na Califórnia, arrecadou US $ 14 milhões em fundos de investidores de impacto em setembro passado, diz que seus drones podem ser operados por apenas 5% do custo de uma embarcação tripulada.

"Além da sua demanda comercial significativa em indústrias que vão desde a pesca até o governo, os Saildrones estão ajudando a medir diretamente e assim combater os efeitos das mudanças climáticas", disse Chamath Palihapitiya, fundador e CEO da empresa Social Capital, que investiu no Saildrone.

Não é a única empresa produtora de drones oceânicos. A Liquid Robotics, de propriedade da Boeing, faz pranchas chamadas de "Wave Gliders", que são impulsionados por ondas e energia solar, em vez de vento. Estes barcos menores já registaram mais de 1,4 milhão de milhas náuticas.

A Saildrones, por sua vez, registrou modestas 100.000 milhas náuticas desde que a empresa foi fundada em 2012. Este ano, a empresa entregou 20 veículos para os clientes, incluindo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA).

Em julho, a NOAA enviou dois Saildrones em uma missão de seis meses para o equador para estudar o fenômeno meteorológico conhecido como El Niño. Mais dois Saildrones foram para o Oceano Ártico para controlar o derretimento do gelo e contar peixes, focas e baleias.

Os Saildrones também trabalham com a NASA para calibrar satélites que medem a salinidade do espaço e a Marinha dos EUA para detectar submarinos que podem ser usados ​​para contrabando de drogas ilegais.

"A idéia é que uma frota de Saildrones pode permanecer no mar essencialmente o tempo todo ... e estender uma espécie de controle de fronteira", disse o COO da Saildrone, Sebastien de Halleux.

A ambição da empresa é escalar rapidamente. "Nosso objetivo é implantar 1,000 Saildrones, e isso nos daria em tempo real - em alta resolução - o pulso do planeta", disse de Halleux.

Fonte: CNN

Comentários

Galerias | Mais Galerias