Puerto Escondido - Oaxaca - México por Redação Surfguru

Destaques da Temporada: Puerto Escondido

Por Thiago Rausch

Depois de muitos meses com swells incríveis, chega o final da intensa temporada mexicana, assim como o começo da esperada havaiana e europeia.

Desde março o beach break de Zicatela em Puerto Escondido - México, foi bombardeado por inúmeras ondulações que passaram dos 20 pés, além de incontáveis swells de 15, 12, 8, 6…

Infelizmente, para os mais insanos big riders do mundo, nenhum swell foi como o GIGANTE de 3 maio de 2015, aquele da vaca absurda do Pedro Calado. Entretanto, como o mundo pode acompanhar no "Puerto Escondido Challenge", em julho passado, Zicatela continua sendo o maracanã do surf mundial nesta época do ano, coroando - com ondas memoráveis - novos e antigos ídolos, assim como alguns desconhecidos e destemidos soul surfers de todo o mundo.

Segue uma breve análise, feita pelo freesurfer e surf repórter gaúcho Thiago Rausch que passou boa parte da temporada em Puerto, a respeito da performance de alguns destaques deste verão mexicano, ilustrada pelos belos registros do fotógrafo local Miguel "West Side" Diaz.

Alexandre Takeo: O sup rider santista radicado em Ibiraquera - SC, fez uma excelente terceira temporada mexicana - https://youtu.be/GThkQCAMP2o. Chegando no início de junho, junto com uma ondulação de 15 pés, "Magrinho" abusou da experiência, técnica e atitude para mais uma vez ser, na minha opinião, o melhor Stand Up Paddle da temporada. Fosse em mares grandes ou nas "marolas" de 3 pés, ele estava sempre determinado a ir na maior da série e entubar o mais fundo possível. Seria magnífico alguma marca de ponta patrocina-lo, sua disposição e história são dignas de uma oportunidade em Jaws. Um Samurai das ondas!

Alvaro Malpartida: Minha primeira temporada em Puerto foi em 2012, desde então, passo no mínimo 3 meses por ano focado em Zicatela. Sem dúvida alguma, o surfista que mais vi pegar tubos insanos foi o peruano Alvaro Malpartida! Alvaro deve fazer umas 3 visitas anuais ao beach break mais famoso do mundo, além de muitas surf-trips para Indonésia, Hawaii, Chile e todas as partes do mundo abençoadas com tubos pesados. Realmente, a técnica desenvolvida pelo local de Punta Hermosa para viajar por cilindros de água é absurda! Pra quem ainda não viu, sugiro um check nos vídeos do seu canal do Vimeo - https://vimeo.com/user22978213, são alguns dos mais irados que já vi de Puerto. Black Belt dos tubos!

Douglas Silva: Destaque da nova geração pernambucana, Dodô passou um mês no México surfando sem parar, fosse de passagem pelos point breaks do sul, nas esquerdas de La Punta ou pelas bombas de Zicatela - https://youtu.be/yAhff_EISA8, ele dava o que falar com performances destemidas e extremamente radicais. E seguindo os conselhos de alguns mestres como Rato Fernandes, Fábio Gouveia e Danilo Couto, o guri de 18 anos botou pra baixo até mesmo no dia das finais do "Puerto Escondido Challenge", entrando as 6 da manhã no mar e enfrentando as difíceis condições, lado a lado com os maiores big riders do mundo. Surfa muito em qualquer mar, intimidou muita gente com seu "Go For It" e personalidade "Faca nos Dentes", um legítimo nordestino cabra-macho!

Fabiano Passos: Ex competidor profissional e tube rider cascudo, Fabiano "descobriu" Zicatela no ano passado, quando passou alguns bons meses por lá. Este ano, voltou para sua segunda temporada obstinado em surfar a onda de sua vida. E surfou! Minutos antes de começar a primeira bateria das semi-finais do "Puerto Escondido Challenge", "Fabi" viu uma série das grandes se aproximando e remou com todas as forças para baixo do pico, sabendo que seria sua única oportunidade neste dia, para dropar uma bomba de 20 pés - https://youtu.be/JNiLxyfQ_jU - ao vivo no webcast da WSL para todo mundo ver. Foi um momento épico e daqueles que só um Maracanã pode tornar possível. Virou ídolo!

Felipe "Gordo" Cesarano: Gordo é figura certa durante os últimos anos em Puerto. Seu surf, atitude, simpatia e humildade são admirados não só por brasileiros e mexicanos, mas também por qualquer fã de tubos e ondas grandes. Este ano, mais uma vez, o local do Recreio dos Bandeirantes fez miséria! Resumindo um pouco das suas façanhas durante os quase dois meses que passou no México, destaco os tubos - https://www.facebook.com/yana.yanavaz/videos/vb.1704679143/10202041725360406/?type=3&theater - que surfou antes, durante e depois do mundial da WSL, onde abusou da coragem característica e de uma profunda técnica de backside, que, segundo ele, ficou ainda mais refinada depois da última temporada nos "afiados" tubos do Grower. Um ídolo do esporte brasileiro!

Gregorio "Pepino" Cruz: Pepino é mais um filho de Puerto Escondido, nascido e criado em Playa Marinero, é um dos locais mais destemidos e guerreiros da nova geração mexicana. Oriundo do bodyboard e surfando com pranchas há apenas 4 anos, acredito que este ano foi o que Pepino surfou as maiores ondas e tubos de sua vida - https://youtu.be/AWHE4gQ-ZZI, ostentando uma vitalidade e um dom natural para as bombas de causar inveja até mesmo nos melhores big riders do planeta. Lembro bem dele, nos vários mares que surfamos com mais de 10 pés, surfando muitas vezes sem leash, sem colete e com um sorriso estampado na cara depois de surfar várias ondas, ao mesmo tempo que a maioria estava com aquele nó na garganta que só quem já entrou em Puerto com mais de 10 pés sabe como é. Sangue bom, humilde, puro e corajoso, um típico mexicano "de huevos"!

José Ramirez: Assim como Pepino, José é um típico guerreiro mexicano e waterman oriundo do bodyboard. Aos 39 anos de idade, é tido como o Xerife do pico, pois seu conhecimento extremo e atitudes dignas, aliados aos 15 anos a frente dos salva-vidas de Zicatela, lhe renderam este mérito. Este ano, já surfou tubos bem grandes com performances incríveis, e protagonizou uma das piores vacas - https://www.facebook.com/yana.yanavaz/videos/vb.1704679143/10202060003817356/?type=3&theater - do "Puerto Challenge", durante a primeira bateria do evento na qual superou o campeão do XXL Koa Rothman. Pai de família, big rider e sangue nobre, José é uma das pessoas mais admiráveis que conheço!

Lucas Chumbinho: Chumbinho é, sem dúvida alguma, um dos maiores e mais bem preparados big riders do mundo atualmente! Esse guri é completamente insano e dono de um estilo único, pegava mais ondas do que todos durante os mares grandes, remando forte embaixo do pico sem nenhum medo de ser feliz - https://vimeo.com/186273821. Segundo um de seus professores, o saquaremense Marcos Monteiro, ele fez isso em Mavericks também. Como deve fazer em todos os picos por onde passa. Agora, me parece que chegou em Nazaré - Portugal, o que significa que muito em breve seu nome estará estampado nas principais mídias outra vez.

Marcelo Mota: Aos 50 anos de idade, o metade carioca e metade baiano Marcelo Mota é um dos brasileiros mais respeitados e conhecedores de Zicatela. Não é por acaso que seu apelido no pico - até mesmo alguns locais o chamam assim - é "General", tamanha a experiência e atitude positiva que o Sr. Mota tem perante o desafio que é enfrentar Zicatela. Atualmente, sempre que está por lá e algum swell grande aparece nos gráficos, lá vai ele cortar o cabelo, fazer a barba, treinar remada, apneia e colocar a sua gun 10' na água para estar pronto para o dia "D". Um apaixonado por Puerto Escondido e muita adrenalina, antes de dedicar-se integralmente as bombas, foi mergulhador, depois piloto de avião, porém, a vida lhe pedia algo a mais… E este "algo a mais", ele encontrou em forma de drops, tubos, vacas e toda energia de Zicatela. Este ano quase completou um dos melhores tubos da temporada, além de fazer alguns "Wave of the Day" -https://www.facebook.com/marcelo.motateixeirafilho/media_set?set=a.1442825999066759.1073741848.100000181196098&type=3. Meu ídolo!

Pedro Calado: Depois de ser lançado por Felipe Cesarano e estrear no Hawaii, aos 15 anos de idade, dropando Jaws, o também local do Recreio dos Bandeirantes já rompeu o status de promessa, para tornar-se um dos maiores big riders da história do surf mundial. Hoje, aos 20 anos de idade, além de muitas ondas grandes, vacas e tubos grotescos, foi terceiro colocado em sua estréia no BWWT, e protagonizou talvez a maior onda e vaca já vistas. Sua evolução no Big Surf é um fato histórico e de grande orgulho para o Brasil, algo que, seguramente, vamos contar para nossos filhos e netos. Seu terceiro lugar no mundial foi conquistado por absoluto merecimento e brilhantismo - https://youtu.be/P6j4aGp5Sa8. Humilde, simples, CORAJOSO, talentoso e predestinado, sou fã de carteirinha. Go Big Calado!!!

Rodrigo "Pedra" Dornelles: O maior surfista da história do Rio Grande do Sul não passou mais do que dez dias no México este ano, porém, bastou apenas um para o ex top do WCT mostrar que ainda é um dos melhores do planeta. O swell marcava 10 a 12 pés de sul, perfeito para as direitas de "Carmelitas", e o primeiro surf do Pedra em Zicatela seria exatamente no ápice deste swell. Pois bem, o local do canto dos Molhes de Torres chegou surfando duas das maiores ondas da manhã, fez tubos cavernosos e ainda machucou o ouvido num caldo após morrer dentro de mais um cilindro nervoso - https://youtu.be/tWyIJJJXDck. Dois dias após a lesão, voltou pra água e logo em sua primeira onda fez um tubo nota 10, mostrando que a maestria e o "Go for it" continuam em dia, ou até mesmo melhores do que nunca. Um ser humano exemplar e grande ícone do RS!

Rogercin Ramirez: Filho do legend Roger Ramirez, Rogercin é uma das boas novas da nova geração de Puerto. Mesmo sendo o mais contestado dos 6 convidados locais, fez bonito na etapa do mundial, surfando uma das ondas mais cascudas - https://www.facebook.com/yana.yanavaz/videos/vb.1704679143/10202038805087401/?type=3&theater - do evento e terminando com a honrosa sétima colocação. Parece que Roger Jr. não herdou apenas o "estilasso" e o faro de tubos do pai, mas um algo a mais que o tornou um dos melhores surfistas quando Zicatela passa dos 10 pés. Junto com, aproximadamente, mais 8 jovens locais, deve dominar o pico pelos próximos vinte e poucos anos.

Tom Lowe: O britânico Tom Lowe tem sido destaque em mares grandes e perigosos pelo mundo. Suas performances em Jaws, Mavericks, Mullaghmore e, logicamente, em Puerto Escondido deram o que falar e fizeram jus ao convite para substituir Mark Healey no BWWT. Lembro de uma esquerda sua, surfada durante um swell que rolou semanas antes do campeonato. Um TUBÃO que, se completasse, possivelmente seria o campeão do "Ride of the Eyer" -http://www.surfingmagazine.com/video/puerto-escondido/#jtPeuqRKjOd39QYi.97. Com toda certeza, foi um dos melhores em Puerto este ano!

Yana Vaz: A bodyboarder carioca Yana Vaz acumula 5 temporadas seguidas em Puerto. Toda dedicação e amor que tem pelo pico, costumam ser recompensados em forma de bombas, tubos e imagens que deixam muitos marmanjos de cabelo em pé. Yana é mais uma pessoa que achou em Zicatela a oportunidade de surfar as ondas da vida. Recentemente, dedicando-se muito à produção de imagens, tornou-se uma das melhores videomakers da nova geração brasileira - https://vimeo.com/182135351. Uma sonhadora, corajosa e casca-grossa, além de um grande exemplo para as meninas do Brasil!

Comentários

Notícias | Mais Notícias