Peniche - Leiria - Portugal por Redação Surfguru

MEO Rip Curl Pro Portugal 2016

John John Florence, 22 anos, conquistou nesta terça-feira (25) o novo troféu de campeão mundial da World Surf League com vitória no Meo Rip Curl Pro Portugal em Supertubos. O título foi confirmado antes, quando o sul-africano Jordy Smith perdeu nas semifinais para o norte-americano Conner Coffin. Depois de dois títulos consecutivos do Brasil, com Gabriel Medina em 2014 e Adriano de Souza em 2015, John John é o primeiro havaiano a vencer desde Andy Irons em 2004 e vai estrear como campeão de 2016 no Billabong Pipe Masters em homenagem ao tricampeão em Banzai Pipeline, que fecha o Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour nos dias 8 a 20 de dezembro na ilha de Oahu, Havaí.

“Eu, honestamente, nem consigo acreditar em tudo isso agora. Eu sei que a minha mãe e minha família estão assistindo online agora e eu realmente gostaria que eles estivessem aqui comigo”, confessou John John Florence. “Eu estou muito feliz, pois trabalhei toda a minha vida para isso e tenho que agradecer a muitas pessoas que foram importantes para mim”.

A temporada de John John Florence não começou bem nas três provas da “perna australiana”, até conquistar a sua segunda vitória no Oi Rio Pro do Brasil, no Postinho da Barra da Tijuca. Mais motivado com o título no Rio de Janeiro, o havaiano fez grandes apresentações nas etapas seguintes, sendo vice-campeão na África do Sul e no Taiti e ficando em terceiro lugar na França, enquanto seus concorrentes diretos, o brasileiro Gabriel Medina, o australiano Matt Wilkinson, o sul-africano Jordy Smith e o onze vezes campeão mundial Kelly Slater, não conseguiram a mesma consistência de resultados até Portugal.

“Foi um ano longo, mas certamente um dos melhores anos da minha vida”, continuou John John. “Foram muitos eventos divertidos que aprendi bastante e foi muito bom passar esse tempo todo junto com esses surfistas incríveis. Eu estava apenas tentando manter o foco em cada bateria aqui, mas achando que a decisão do título iria ser no Havaí”.

Em seis anos no WSL Championship Tour, o havaiano vinha ameaçando o trono de melhor surfista do mundo desde a sua entrada na divisão de elite em 2011. Ele ficou em quarto lugar no ranking final de 2013 e em terceiro no ano seguinte. Florence sempre foi apontado como uma das grandes promessas dos últimos anos e vinha evoluindo o seu surfe a cada temporada, para se tornar um dos talentos mais dinâmicos que o esporte já viu em 40 anos de história.

“Minha vida inteira foi direcionada para isso, mas só este ano especialmente, aprendi muito mais sobre o surfe competitivo, me concentrando completamente nas competições e tive muita ajuda e apoio incríveis para isso”, conta John John Florence. “O título mundial já era meu objetivo para este ano, então estou muito feliz neste momento e só quero me divertir agora”.

 

Resultados de John John Florence em 2016:

5.o lugar no Quiksilver Pro Gold Coast contra Stu Kennedy nas quartas de final

13.o lugar no Rip Curl Pro Bells Beach perdendo na terceira fase para Caio Ibelli

13.o lugar no Drug Aware Pro Margaret River contra Caio Ibelli novamente

Campeão do Oi Rio Pro na final com Jack Freestone no Rio de Janeiro, Brasil

5.o lugar no Fiji Pro perdendo na quarta de final com Matt Wilkinson em Fiji

Vice-campeão no J-Bay Open na final com Mick Fanning na África do Sul

Vice-campeão no Billabong Pro Tahiti na final com Kelly Slater em Teahupoo

13.o lugar no Hurley Pro at Trestles na terceira fase com Brett Simpson nos Estados Unidos

3.o lugar no Quiksilver Pro France na semifinal com Keanu Asing em Hossegor

Campeão do Meo Rip Curl Pro Portugal na final com Conner Coffin em Peniche

Carreira de John John Florence na World Surf League:

2011: 34.o lugar no 11.o título de Kelly Slater

2012: 4.o lugar no primeiro título de Joel Parkinson

2013: 10.o lugar no tricampeonato de Mick Fanning

2014: 3.o lugar no título brasileiro de Gabriel Medina

2015: 14.o lugar no título de Adriano de Souza

2016: Campeão mundial da World Surf League

Conner Coffin (Foto: Poullenot - WSL)
Conner Coffin (Foto: Poullenot – WSL)

Depois de ser coroado como campeão mundial de 2016 nas semifinais, John John Florence fez uma final emocionante com o estreante na elite, Conner Coffin, 23 anos. Os dois adotaram estratégias diferentes para o ataque final na “perna europeia” do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour. Florence escolheu as manobras aéreas com suas inúmeras rotações, enquanto Coffin continuou perseguindo os tubos, surfando um bem profundo que valeu nota 8,60. Mas, o havaiano deu o troco num “alley-oop” enorme que arrancou 9,5 dos juízes e garantiu a vitória por 16,67 a 9,93 pontos.

“A sensação de fazer uma final é incrível”, disse Conner Coffin. “Eu adoro Portugal, as ondas são muito boas, as pessoas são incríveis, a comida é boa também, é como na Califórnia e me sinto em casa aqui. Eu sabia que o John John poderia ser campeão na semifinal, mas não fiquei pensando no título dele na minha bateria com o Jordy (Smith). Eu só estava concentrado no meu trabalho, pois eu tinha muito o que fazer aqui neste evento para ficar no CT para o próximo ano. Esse era o meu objetivo”.

Conner Coffin depois de confirmar o título mundial para John John Florence (Foto: Poullenot - WSL)
Conner Coffin depois de confirmar o título mundial para John John Florence (Foto: Poullenot – WSL)

A vitória sobre Jordy Smith, 28 anos, tirou o sul-africano da briga do título e confirmou o troféu de campeão mundial de 2016 para John John Florence, que já havia vencido o duelo com Kolohe Andino que abriu a terça-feira em Supertubos. Jordy subiu do quarto para o terceiro lugar no ranking, atrás só do havaiano e de Gabriel Medina. Em oito temporadas no CT, o sul-africano já foi vice-campeão mundial em 2010 no décimo título de Kelly Slater e ficou em quarto no tricampeonato de Mick Fanning em 2013.

“Lógico que eu gostaria mais de ir para o Havaí com chance de lutar pelo título mundial lá, mas estou feliz com esse resultado”, disse Jordy Smith. “Eu competi esse ano como convidado pela contusão que sofri no ano passado, então estou satisfeito por ter voltado a surfar bem e chegar no fim do ano disputando o título, foi realmente uma conquista importante para mim. E se eu posso ser vice-campeão de novo ainda, então vou buscar isso em Pipeline”.

Jordy Smith (Foto: Poullenot - WSL)
Jordy Smith (Foto: Poullenot – WSL)

Jordy Smith dividiu o terceiro lugar no Meo Rip Curl Pro Portugal com o norte-americano Kolohe Andino, 22 anos. O californiano chegou nas semifinais nas duas provas da “perna europeia” e, assim como na França, ficou a um passo da grande final. Ele foi derrotado pelo novo campeão mundial John John Florence no primeiro duelo da terça-feira em Supertubos e permaneceu numa ótima quinta posição no ranking 2016 da World Surf League.

Oito surfistas ainda têm chances matemáticas de brigar por vaga neste seleto grupo dos top-5 no Havaí, como os brasileiros Adriano de Souza e Filipe Toledo. O Billabong Pipe Masters em homenagem à Andy Irons vai fechar a temporada 2016 do Samsung Galaxy WSL Championship Tour nos dias 8 a 20 de dezembro em Banzai Pipeline, na ilha de Oahu.

O Meo Rip Curl Pro Portugal foi transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com com divulgação também dos parceiros de mídia da World Surf League: ESPN, Globosat e Sportv no Brasil, Fox Sports da Austrália, CBS Sports dos Estados Unidos, Edgesport, Sky NZ, Canal + Deportes, Channel Nine, MCS, Starhub e Oceanic Time Warner Cable 250 & 1250 no Havaí.

John John Florence erguendo o troféu de campeão mundial de 2016 (Foto: Poullenot - WSL)
John John Florence erguendo o troféu de campeão mundial de 2016 (Foto: Poullenot – WSL)

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

Por João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

Versão do texto de Dave Prodan –

———————————————————–

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO MEO RIP CURL PRO PORTUGAL:

Campeão: John John Florence (HAV) por 16,67 pontos (9,50+7,17) – US$ 100.000 e 10.000 pontos

Vice-campeão: Conner Coffin (EUA) com 9,93 pontos (8,60+1,33) – US$ 50.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.500 pontos e US$ 25.000 de prêmio:

1.a: John John Florence (HAV) 13.84 x 8.47 Kolohe Andino (EUA)

2.a: Conner Coffin (EUA) 15.00 x 14.37 Jordy Smith (AFR)

TOP-22 DO JEEP WSL RANKING – após a décima das onze etapas de 2016:

Campeão mundial: John John Florence (HAV) – 56.400 pontos

2.o: Gabriel Medina (BRA) – 45.450

3.o: Jordy Smith (AFR) – 41.700

4.o: Matt Wilkinson (AUS) – 38.250

5.o: Kolohe Andino (EUA) – 38.150

6.o: Julian Wilson (AUS) – 35.600

7.o: Adriano de Souza (BRA) – 34.100

8.o: Joel Parkinson (AUS) – 32.200

9.o: Filipe Toledo (BRA) – 31.900

9.o: Kelly Slater (EUA) – 31.900

11: Sebastian Zietz (HAV) – 30.700

12: Adrian Buchan (AUS) – 29.700

13: Michel Bourez (TAH) – 29.200

14: Italo Ferreira (BRA) – 27.500

15: Caio Ibelli (BRA) – 26.950

16: Josh Kerr (AUS) – 25.950

17: Mick Fanning (AUS) – 25.200

18: Stu Kennedy (AUS) – 24.700

19: Conner Coffin (EUA) – 23.950

20: Wiggolly Dantas (BRA) – 22.400

21: Miguel Pupo (BRA) – 21.400

22: Nat Young (EUA) – 18.900

——–outros brasileiros no ranking:

25: Jadson André (BRA) – 17.500 pontos

30: Alejo Muniz (SC) – 14.250

34: Alex Ribeiro (SP) – 10.450

39: Bruno Santos (RJ) – 5.200

44: Deivid Silva (SP) – 1.750

44: Marco Fernandez (BA) – 1.750

44: Lucas Silveira (RJ) – 1.750

49: Bino Lopes (BA) – 500

Comentários

Notícias | Mais Notícias