Madrid - Espanha por Redação Surfguru

MADRID SURF FESTIVAL 2016

Texto e fotos por Keven Lennox

Madri é uma capital que basicamente esta no centro da Penísula Ibérica e a 500 km de distância em média de praias com ondas surfáveis, então se o assunto é surfe não vamos encontrar muitos adictos de água salgada por aqui?…Engano pois não é bem isso que tenho encontrado nos dias que estou por aqui e foi justamente no I Madrid Surf Film Festival que pude comprovar uma faceta de uma cidade urbana com muita, mas muita gente interessada pelo tema além dos surfistas nativos de Madri.

A intenção do MSFF era justamente reunir esses afccionados com diretores, atletas e profissionais do setor para desfrutar de histórias incríveis em um contexto não voltado ao surf de competição e sim ao soul surf registrado em imagens belíssimas e histórias fascinantes.

Minha primeira impressão do evento foi de espanto devido a quantidade de gente interessada no evento pois cheguei duas horas antes do início no primeiro dia, uma sexta-feira e já não haviam mais entradas disponíveis.

Foram três dias de evento e quatro sessões divididas nesses três dias além de atividades paralelas incríveis para o aperfeiçoamento do surf como: Uma clínica de SurfSkate Carver que por aqui são uma febre devido a sua grande similaridade aos movimentos que um surfista faz quando está em uma onda, Mindfull Experience que é uma atividade voltada compreensão da importância da concentração e atenção plena com o objetivo de melhorar o rendimento de uma forma geral principalmente em situações extremas e perigosas, Yoga e relaxamento, Surf Training voltado a preparação específica para o surf, Tarp Surfing que é aquela famosa onda que se pega usando um skate como prancha e uma lona formando um tubo, clínica de conserto de pranchas voltada exatamente para quem quer reparar aquele pequeno teco na prancha sem ter que deixá-la em uma oficina por alguns dias e além disso tudo música dentro da Cineteca.

Vale ressaltar que todas as atividades eram gratuitas porém com um número limitado de vagas.

Voltando ao tema dos filmes alguns me impressionaram de verdade tanto em qualidade de imagem como fotografia além é claro da própria aventura em si que foi o caso da película “Faroes” que retrata a aventura de um grupo de surfistas que vão as ilhas Feroes no Atlântico Norte, cenário incrível ao estilo Vikings com os fiordes e acantilados na praia ao qual se consegue surfar ondas incríveis e solitárias em meio a um cenário deslumbrante.

A película “I had to much too dream last night” de 2013 e rodada na indonésia mostra o estilo de vida de uma forma muito peculiar e radical, motos retrô para chegar na praia, longboards monoquilha para fazer bicos preciosos, biquilhas e triquilhas vintage para entubar e manobrar com muito estilo além da boa e velha sessão de skate em um dia sem ondas, preciosa essa película.

Outra película que me chamou a atenção foi “No Regreats” que conta a história de Ricky Basnett um sul-africano que foi uma jovem promessa do surf competição porém desiludido em certo momento se dedicou a noite e ao álcool durante 8 anos mas a sua essência fala mais alto e então ele resolve voltar a surfar e faz uma viagem com amigos a um lugar muito inóspito da África e recheado de altas ondas. 

Também foi bastante excitante de ver o curta psicodelico Waveform da marca O’Neill. 

No total foram exibidas 32 películas com entradas esgotadas todos os dias bem antes do início do evento que me leva a crer que esse festival definitivamente vai entrar no roteiro cultural de Madrid.

Parabéns a toda produção do evento pela competência e qualidade no serviço prestado ao nosso “universo surfístico”, Aloha!!! 

Comentários

Notícias | Mais Notícias