#tecnologia #meio ambiente #negócios 
Austrália Ocidental - Austrália por SMS

Estudo Testa Roupas de Neoprene de Dissuasão de Tubarões

Levou 90 segundos para os tubarões atacarem o neoprene preto, enquanto os ataques em neoprenes padronizados levou cerca de 5 minutos

É chamada de "tecnologia de padrão visual" também conhecida como SAMS (Shark Attack Mitigation Systems), o design exterior listrado visto em roupas de neoprene de dissuasão de tubarão está fazendo manchetes novamente esta semana.

A teoria por trás dos fatos? De acordo com a empresa SMS (Shark Mitigation Systems) é uma série de desenhos baseados numa análise científica de sistemas visuais de tubarões que podem ser aplicados a uma variedade de aplicações, incluindo roupas de neoprene, para confundir a capacidade dos tubarões de detectar visualmente a sua presa.

Desde que os sistemas da mitigação de tubarão começaram a trabalhar com o Instituto dos Oceanos na Universidade da Austrália Ocidental (UWA) para desenvolver estes neoprenes dissuasores de tubarão, muita especulação ocorreu sobre se estas roupas podem realmente funcionar, ou se fazem apenas o portador se sentir mais seguros sem qualquer apoio científico real.

A empresa acaba de lançar uma declaração apontando um estudo científico que prova o funcionamento das roupas. Eles fizeram alguns testes em Mossel Bay, na África do Sul, em que roupas de mergulho pretas foram colocadas ao lado das roupas de neoprene SAMS com o design de dissuasão de tubarões.

O que eles encontraram?

"Os tubarões levaram uma média de 90 segundos para se envolver com um neoprene de "controle" preto, enquanto as interações entre os tubarões e a roupa de design SAMS, com coloração disruptiva levou entre cinco a seis minutos", disse a empresa em um comunicado. "Testes sem isca são a melhor maneira de replicar cenários da vida real, mostrando que a nossa tecnologia pode aumentar o tempo gasto antes de um encontro com um tubarão em até 400%, o que tem algumas implicações óbvias na segurança".

O professor Shaun Collin, do Instituto dos Oceanos da UWA, que trabalha com os Sistemas de Mitigação de Tubarões no projeto e testes há vários anos, disse: "É fantástico que agora tenhamos um conjunto de dados de interações com tubarões brancos que seja grande o suficiente para ser estatisticamente válido e capazes para análise científica. O resultado é convincente e é emocionante ver os resultados do nosso novo conhecimento científico de sistemas visuais de tubarões fazendo um impacto nos resultados práticos".

A empresa continua a comercializar a tecnologia, tendo assinado acordos de licenciamento com algumas empresas de roupas de neoprene.

Fonte: SMS

Comentários

Galerias | Mais Galerias